Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/21491
Document type: Dissertação
Access type: Acesso Aberto
Title: Trabalho do(c)ente e saúde do trabalhador: compreensões de coordenadores de programas de pós-graduação stricto sensu de instituição federal de ensino superior
Alternate title (s): Teaching work/sick work and health of workers in the federal institution of teaching: comprehensions of coordinators of post graduate programs
Author: Gomes, Larissa Isaura
First Advisor: Querino, Rosimár Alves
First member of the Committee: Pereira, Maristela de Souza
Second member of the Committee: Malusá, Silvana
Summary: As inter-relações entre o trabalho, a saúde e a vida de coordenadores de programas de pós-graduação (PG) stricto sensu em uma instituição federal de ensino superior (IFES) constituem o tema de pesquisa. Objetivou-se analisar o modo como os coordenadores compreendem o trabalho docente e seus impactos na saúde do trabalhador. Os objetivos específicos consistiram em: a) avaliar como a extensificação do trabalho e o presenteísmo impactam na invisibilidade de processos de adoecimento; b) identificar a imersão dos professores nas tecnologias digitais e a possível diluição das barreiras entre o trabalho e a vida cotidiana; c) compreender as relações entre saúde e trabalho docente nas vivências dos coordenadores e de seus pares. De natureza qualitativa, na construção dos dados empregou-se a técnica de entrevista com roteiro semiestruturado. Os participantes são dezessete coordenadores de cursos de mestrado acadêmico, mestrado profissional e doutorado de uma IFES, contemplando-se as áreas do conhecimento definidas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). As entrevistas foram áudio-gravadas, transcritas e analisadas de modo temático. Na análise emergiram as seguintes categorias: “trabalho docente”, “identidade docente”, “tecnologias digitais, “extensificação e intensificação do trabalho docente” e “saúde do trabalhador docente”. O estudo evidenciou a existência de uma pluralidade de sentidos e significados para o trabalho docente. Os coordenadores conciliam gestão, ensino, pesquisa e extensão. A métrica construída pelo capitalismo acadêmico incide na carreira docente e na avaliação de desempenho e permeia as dimensões da atuação dos participantes. O trabalho docente confere identidade aos professores e se expressa em vivências permeadas por prazer e/ou sofrimento. A organização e as condições de trabalho repercutem diretamente na saúde e na vida dos coordenadores de PG que assumem a condição de trabalhadores full time, com traços evidentes de intensificação e extensificação do trabalho, realidade agravada pelo uso das tecnologias digitais. O adoecimento e suas relações com o trabalho são invisibilizadas. Na dimensão individual, há a negação do adoecimento e de suas relações com o trabalho. As narrativas apontam a continuidade do trabalho mesmo em precárias condições de saúde e graves quadros de adoecimento. Compromisso e responsabilidade justificam o presenteísmo. Na dimensão coletiva, ainda que identificado, o adoecimento dos pares não constitui prioridade na agenda de interesses, pois vínculos e empatia contrariam a dinâmica produtivista. O estudo demonstra a consolidação da lógica do capitalismo acadêmico nos cursos de PG e seus impactos nas diversas dimensões da vida dos trabalhadores docentes. Embora sejam profundas as relações entre trabalho e saúde do trabalhador esta não compõe o rol de prioridades das IFES, das políticas governamentais e de agências de fomento. Urge a ampliação de um olhar crítico sobre a saúde do trabalhador docente e a construção de estratégias coletivas de enfrentamento.
Abstract: The interrelationships between work, health and the life of graduate program coordinators stricto sensu in a federal institution of higher education constitute the research theme. The objective was to analyze how the coordinators understand the teaching work and its impacts on worker health. The specific objectives were: a) to evaluate how extensification of work and presenteeism impact on the invisibility of illness processes; b) identify the immersion of teachers in digital technologies and the possible dilution of barriers between work and everyday life; c) understand the relationship between health and teaching work in the experiences of coordinators and their peers. Of qualitative nature, the construction of the data used the technique of interview with semi-structured script. The participants are seventeen coordinators of academic master's courses, professional master's and doctorate of a federal institution of higher education, contemplating the areas of knowledge defined by the National Council of Scientific and Technological Development. The interviews were audio-taped, transcribed and thematically analyzed. In the analysis, the following categories emerged: "teaching work", "teacher identity", "digital technologies", extensification and intensification of teaching work" and " "health of teaching worker". The study evidenced the existence of a plurality of senses and meanings for the teaching work. The coordinators combine management, teaching, research and extension. The metric built by academic capitalism focuses on the teaching career and the performance evaluation and permeates the dimensions of the participants' performance. Teaching work confers teachers' identity and expresses themselves in experiences permeated by pleasure and/or suffering. The organization and working conditions have a direct impact on the health and life of postgraduate coordinators who assume the status of full time workers, with evident intensification and extensification of work, a reality aggravated by the use of digital technologies. Illness and its relations to the work are invisibilized. In the individual dimension, there is the denial of illness and its relations to the work. The narratives indicate the continuity of work even in poor health conditions and serious illnesses. Commitment and responsibility justify presenteeism. In the collective dimension, even if identified, the sickness of the peers is not a priority in the agenda of interests, because ties and empathy are contrary to the productivist dynamics.The study demonstrates the consolidation of the logic of academic capitalism in postgraduate courses and its impact on the different dimensions of the life of teaching workers. Although the relationship between work and workers' health are deep, this does not make up the list of priorities of the federal institutions of higher education, government policies and development agencies. It is urgent to expand a critical view on the health of the teaching worker and the construction of collective coping strategies.
Keywords: Geografia Médica
Saúde e Trabalho
Saúde Mental
Worker's Health
Mental Health
Teacher
Geografia médica
Saúde e trabalho
Professores universitários - Saúde mental
Area (s) of CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
Program: Programa de Pós-graduação em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador (Mestrado Profissional)
Quote: GOMES, Larissa Isaura. Trabalho do(c)ente e saúde do trabalhador : compreensões de coordenadores de programas de pós-graduação stricto sensu de instituição federal de ensino superior- Uberlândia.2018.211f. Dissertação (Mestrado em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2018. Disponível em: http://dx.doi.org/10.14393/ufu.di.2018.931
Document identifier: http://dx.doi.org/10.14393/ufu.di.2018.931
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/21491
Date of defense: 23-Mar-2018
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador (Mestrado Profissional)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TrabalhoDo(c)enteSaude.pdf2.28 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.