Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/18912
Document type: Tese
Access type: Acesso Aberto
Title: A arte como pressupostos da formação do Ethos segundo os fundamentos Rousseaunianos
Author: Ferreira, Cleudio Marques
First Advisor: Guido, Humberto Aparecido de Oliveira
First member of the Committee: Almeida, Ivete Batista da Silva
Second member of the Committee: Danelon, Márcio
Third member of the Committee: Martins, Adriano Eurípedes Medeiros
Fourth member of the Committee: Almeida Júnior, José Benedito de
Summary: Objetivou-se, com o presente trabalho, fazer um estudo dialético sobre o pensamento de Rousseau para discorrer sobre os conceitos de poíesis e ethos, nas seguintes obras: primeiro e segundo Discursos (1949; 1755), Carta a D’Lembert (1993), Narciso ou O Amante de Si mesmo (1733), Emílio ou Da educação (1762), Júlia ou a Nova Heloísa (1761). Para tanto, fez-se necessário a leitura destas obras para ratificar a possibilidade de conhecer a arte e o ethos. Concluiu-se, que elas fazem parte do aprendizado do homem, na condução do seu modelamento das coisas e, devido a isso, elas também se remodelam para, posteriormente, configurarem a relação do amor de si e do amor-próprio, responsáveis por uma imaginação que brota em seus sentidos para educar as paixões, guiando o homem a (re)conhecer as experiências de sofrimentos e de alegrias no outro, em sua vida prática. Teoricamente, Rousseau oferece em suas obras contributos de entrelaçamento da poíesis e do ethos para o educando perceber a justiça e a bondade surgirem do interior do homem quando ele faz a sua complementariedade com o outro e forma o mosaico da cultura, da justiça e do belo para reluzir uma inter-relação expressando um novo ethos do período iluminista.
Abstract: The objective of the present work, make a dialectical study of the thought of Rousseau to discuss the concepts of poíesis and ethos, the following works: First and Second Discurso (1949; 1755), Carta a D'Lembert (1993) Narciso ou O amante de si mesmo (1733), Emílio, ou Da Educação (1762), Júlia ou a Nova Heloísa (1761). Therefore, reading became necessary these works to ratify the possibility of knowledge the art and ethos. It was concluded that they are part of human learning, in conducting their modeling of things and because of this, they also remodel to subsequently configure the love relationship of self and self-esteem, responsible for a imagination that springs in their senses to educate the passions, leading the man to (re) learn about the experiences of suffering and joy on the other, in their practical life. Theoretically, Rousseau offers in his works interviewing of poíesis and ethos contributions for the student to realize justice and goodness arise from inside the man when he makes his complementary with each other and form the mosaic of culture, justice and the beautiful to spark an interrelationship expressing a new ethos of the Enlightenment period.
Keywords: Educação
Ethos
Amor-próprio
Imaginação
Poíesis
Formação
Amor de si
Formation
Love itself
Self-esteem
Imagination
Area (s) of CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
Program: Programa de Pós-graduação em Educação
Quote: FERREIRA, Cleudio Marques. A arte como pressupostos da formação do Ethos segundo os fundamentos Rousseaunianos. 2016. 169 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2016.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/18912
Date of defense: 21-Oct-2016
Appears in Collections:TESE - Educação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ArteComoPressupostos.pdf1.55 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.