Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/28767
Document type: Dissertação
Access type: Acesso Aberto
Title: O comportamento de viagens em bairros planejados de uso misto: evidências a partir de um estudo de caso em Uberlândia-MG
Alternate title (s): Travel behavior in planned mixed-use neighborhoods: evidence from a case study in Uberlândia-MG
Author: Carminati, Valeika
First Advisor: Garrefa, Fernando
First member of the Committee: Mesquita, Adailson Pinheiro
Second member of the Committee: Vital, Giovanna Teixeira Damis
Summary: O acelerado crescimento das cidades brasileiras especialmente a partir do final do século XX veio acompanhado do aumento da dependência do uso do automóvel pelos seus habitantes, contribuindo significativamente para a piora gradativa da mobilidade urbana especialmente por privilegiar padrões de viagem baseados em veículos automotores. Por sua vez, diversas evidências relatadas na literatura dão conta de que um dos fatores a delinear os padrões de viagens urbanas é a relação entre uso do solo, sistema viário e forma urbana. Dessa forma, nos anos 1960 começou-se a colocar em xeque diversos preceitos do urbanismo moderno, como a escala massacrante e o zoneamento monofuncional, identificados como um dos responsáveis pela decadência dos espaços de pedestres e da urbanidade entretanto, ainda nos anos 1950, a conciliação entre os diversos usos do solo havia começado a fazer parte do planejamento de algumas cidades norte-americanas por meio dos chamados empreendimentos de uso misto. Vale ressaltar que as críticas ao urbanismo moderno tiveram resposta ativa nos anos 1990, pelo grupo intitulado Novo Urbanismo, que propunha um desenho urbano com uso do solo mais diversificado e consequentemente mais amigável ao pedestre. As teorias do grupo, em maior ou menor escala, passaram a ter grande alcance e se materializaram em diversas partes do mundo com a criação de bairros planejados de uso misto onde supostamente se legava um desenho urbano mais sustentável contudo, mesmo arraigado em propostas mais sustentáveis, as ideias do Novo Urbanismo foram criticadas por serem excessivamente mercantilizadas e por esconder, atrás de seus aparentes benefícios, malefícios maiores do que os apresentados na cidade tradicional. Entre eles estaria o fato de que a maioria dos moradores não teria possibilidade de morar e trabalhar no bairro, o que anularia o efeito pretendido de redução dos gastos energéticos com deslocamentos. A partir desses pressupostos, o presente trabalho busca avaliar o comportamento de viagens de moradores em empreendimento com planejamento específico para uso misto buscando traçar um cenário comparativo com a moradia anterior desses moradores. Para tal, o trabalho se concentrará na análise de um caso pioneiro em Uberlândia-MG, e para isso, serão aplicados questionários e grupos focais, que serão processados por meio de ferramentas digitais de análise espacial permitindo de traçar um quadro analítico de distâncias percorridas pelos moradores em dois cenários, o antigo e o atual. Busca-se com isso, compreender se o bairro de uso misto planejado consegue almejar suas metas de redução do uso de veículos motorizados, seguido do aumento dos transportes não motorizados. Os resultados mostram as distâncias percorridas atualmente pelos moradores do bairro são maiores do que as percorridas em relação às suas moradias anteriores, contradizendo o conceito de “morar, viver e trabalhar” pregado pelo projeto. Acredita-se, no entanto, que a longo prazo, haverá uma pequena redução nos deslocamentos em função do comércio que tenderá a se aglutinar na região. Este trabalho lança, portanto, subsídios que podem contribuir com os planejadores urbanos na criação de projetos mais sustentáveis.
Abstract: The rapid growth of Brazilian cities, especially since the late twentieth century, has been accompanied by increased dependence on car use by its inhabitants, contributing significantly to the gradual worsening of urban mobility, especially by favoring travel patterns based on motor vehicles. On the other hand, several evidences reported in the literature show that one of the factors that delineate urban travel patterns is the relationship between land use, road system and urban form. Thus, in the 1960s began to put in check several precepts of modern urbanism, such as the massacre scale and monofunctional zoning, identified as one of the responsible for the decay of pedestrian spaces and urbanity. However, even in the 1950s, the Reconciliation between the various land uses had begun to be part of the planning of some US cities through so-called mixed-use ventures. It is noteworthy that the criticism of modern urbanism was actively answered in the 1990s by the group called New Urbanism, which proposed a more diversified and therefore more pedestrian friendly urban design. The group's theories, to a greater or lesser extent, became far-reaching and materialized in various parts of the world with the creation of planned mixed-use neighborhoods that supposedly left behind a more sustainable urban design, however, even rooted in more sustainable proposals, the ideas of New Urbanism were criticized for being overly commercialized and for hiding behind their apparent benefits, greater harm than presented in the traditional city. Among them would be the fact that most residents would not be able to live and work in the neighborhood, which would nullify the intended effect of reducing energy expenditure on commuting. Based on these assumptions, the present work aims to evaluate the travel behavior of residents in a project with specific planning for mixed use in order to draw a comparative scenario with their previous dwelling. To this end, the work will focus on the analysis of a pioneer case in Uberlândia-MG, and for this, questionnaires and focus groups will be applied, which will be processed by means of digital spatial analysis tools allowing to draw an analytical picture of the distances traveled by the residents in two scenarios, the old and the current. The objective is to understand if the planned mixed-use neighborhood can achieve its goals of reducing the use of motor vehicles, followed by the increase in non-motorized transport. The results show the distances currently traveled by neighborhood residents are greater than the distance traveled from their previous homes, contradicting the concept of “living, living and working” preached by the project. However, it is believed that in the long run there will be a small reduction in trade-related dislocations that will tend to coalesce in the region. Therefore, this work therefore launches subsidies that can contribute to urban planners in creating more sustainable projects.
Keywords: Bairro Planejado
Mobilidade Urbana
Uso Misto
Comportamento de Viagens
Sustentabilidade Urbana
Planned Neighborhood
Urban mobility
Mixed use
Travel Behavior
Urban Sustainability
Area (s) of CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
Program: Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo
Quote: CARMINATI, Valeika. O comportamento de viagens em bairros planejados de uso misto: evidências a partir de um estudo de caso em Uberlândia-MG. 2019. 157 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2019. Disponível em: http://dx.doi.org/10.14393/ufu.di.2019.2408
Document identifier: http://dx.doi.org/10.14393/ufu.di.2019.2408
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/28767
Date of defense: 8-Nov-2019
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Arquitetura e Urbanismo

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ComportamentoViagensBairros.pdf38.37 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons