Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/19547
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Henri Cartier-Bresson e as “Cicatrizes do Mundo”: uma poética da denúncia
metadata.dc.creator: Espir, Raquel Tibery
metadata.dc.contributor.advisor1: Seixas, Jacy Alves de
metadata.dc.contributor.referee1: Carrijo, Gilson Goulart
metadata.dc.contributor.referee2: Franco, Aléxia Pádua
metadata.dc.description.resumo: O presente trabalho pretende apontar algumas considerações sobre a obra fotográfica de Henri Cartier-Bresson (1908) durante o período de reconstrução pós-segunda guerra mundial entre os anos de 1944 a 1955 na Europa. Através da análise das fotos selecionadas pretendo lançar o meu olhar sobre o olhar do fotógrafo e atribuir significados as suas vivências. As décadas entre meados do século XX marcaram o aparecimento de uma nova linguagem e expressão visual: o fotojornalismo. O surgimento da Leica, câmara reflex portátil 35 mm, nos anos trinta do século XX, possibilitou que o fotógrafo se movesse entre diferentes mundos, cultura e grupos sociais passando quase que “despercebido” entre essas pessoas, o que lhe permitia registrar de maneira mais livre tais vivências. Minha intenção é estabelecer diálogos com as fotos no sentido de interpretar não apenas o aparente, mas o que os registros fotográficos querem dizer. É também observar o enquadramento nos registros dos sujeitos sociais fotografados. “Descobrir” algumas respostas ou, ao menos, suscitar reflexões do porque, ao fotografar um aglomerado de pessoas, o destaque foi dado para apenas alguns e não para outros, ou somente a um foi concedido o destaque em detrimento dos demais presentes. As fotografias de Henri Cartier-Bresson não são meramente um registro para a posteridade, mas fundamentalmente uma forma bela de denunciar, por isso a poética da denúncia. Denunciar sobretudo, o cotidiano do pós-guerra. No primeiro capítulo foi feita uma biografia intelectual de Henri Cartier-Bresson ressaltando sua formação política e artística, sua produção não apenas na fotografia como também cinematografia, sua atuação e engajamento político durante sua trajetória de vida – que ainda não terminou. O fotógrafo nasceu em 1908, na França, e segue vivo até os dias em que escrevo estas linhas. Já no segundo capítulo é feita uma análise de quinze imagens do fotógrafo, todas elas compreendidas ou feitas entre os anos de 1944 e 1955 na Europa. Através de tais fotografias procuro perceber o imaginário que permeava os anos de reconstrução pós-guerra e o olhar do fotógrafo sobre tal período.
Keywords: Fotojornalismo
História
Denúncia
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::HISTORIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
Citation: ESPIR, Raquel Tibery. Henri Cartier-Bresson e as “Cicatrizes do Mundo”: uma poética da denúncia. 2004. 82 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Curso de História, Instituto de História, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2004.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/19547
Issue Date: 2004
Appears in Collections:TCC - História

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
HenriCartierBresson.pdfTCC15.68 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.