Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/18789
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Saúde do Trabalhador: um estudo com profissionais que lidam com o sofrimento do outro na atenção domiciliar
metadata.dc.creator: Rezende, Laura Cristina Silva
metadata.dc.contributor.advisor1: Querino, Rosimar Alves
metadata.dc.contributor.referee1: Pereira, Maristela de Souza
metadata.dc.contributor.referee2: Simon, Cristiane Paulin
metadata.dc.description.resumo: A Atenção Domiciliar (AD) é uma modalidade de assistência à saúde disponível em vários países e relaciona-se à transição demográfica e epidemiológica, aos custos crescentes da hospitalização, ao desenvolvimento tecnológico e aos processos de humanização da saúde e desospitalização. A regulamentação da AD no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) ocorreu em 2002 e subsidiou a implantação de programas em todo o país, dentre os quais o Programa Melhor em Casa (PMC), cenário desta pesquisa. O PMC é operacionalizado por equipes multiprofissionais que atuam de modo territorializado, com foco na desospitalização e oferta de AD, e com envolvimento de cuidadores. O objetivo geral desta pesquisa foi compreender os impactos do trabalho na AD e do contato com o sofrimento do outro sobre a saúde de trabalhadores de equipes do PMC, em município mineiro. Os objetivos específicos consistiram em: conhecer a composição das equipes e a organização do trabalho; identificar o modo como os trabalhadores compreendem o público atendido, as singularidades do cuidado no espaço domiciliar e seus impactos na saúde do trabalhador; conhecer as estratégias individuais e grupais desenvolvidas para lidar com o sofrimento gerado pela convivência com o sofrimento do outro, sejam usuários ou cuidadores; verificar a existência de iniciativas governamentais para promover a saúde dos trabalhadores. Utilizou-se a triangulação de métodos qualitativos e quantitativos. A coleta de dados ocorreu com emprego de etnografia, grupo focal, entrevistas com roteiro semiestruturado e questionário autoaplicável. Participaram do estudo 62 (89,86%) trabalhadores, inclusive quatro coordenadores de dez equipes, das quais sete são vinculadas ao governo municipal e três à instituição federal de ensino (IFE). Todos os participantes responderam ao questionário, sendo que 30 deles participaram dos três grupos focais (GF) e os quatro coordenadores concederam entrevistas. O trabalho de campo norteou a compreensão da organização do trabalho no PMC e das especificidades da AD. A estatística descritiva permitiu a sistematização dos dados referentes ao perfil sociodemográfico dos trabalhadores. A análise temática oportunizou a compreensão dos dados obtidos com GF, entrevistas e questão aberta do questionário. O estudo permitiu vislumbrar as singularidades da AD e seus impactos na atenção integral à saúde, humanização, desospitalização e criação de vínculos entre trabalhadores, pacientes, cuidadores e familiares. De modo ampliado, os trabalhadores compreendem os determinantes sociais de saúde, as singularidades de cada paciente, cuidador e familiar. Cotidianamente, também são afetados pelo processo saúde-doença- cuidado e pelos desafios para o funcionamento do SUS. Reconheceram habilidades necessárias ao trabalho na AD e suas especificidades em relação a outras instituições e programas. Apresentaram-se motivados para o trabalho em equipe, valorizaram os aprendizados coletivos e ponderaram sobre a importância do reconhecimento de seu trabalho como fonte de satisfação. A intensidade do trabalho, envolvimento com as famílias e suas demandas, desafios para a articulação da Rede SUS e a sobrecarga emocional foram destacados como impactos do trabalho sobre sua condição de saúde. Os avanços percebidos na AD não são ancorados na promoção de saúde dos trabalhadores, pois inexistem no governo municipal tais ações. Na IFE há ações voltadas à saúde do servidor, mas não há participação em decorrência de outros vínculos trabalhistas, horários e locais de oferta, bem como da baixa adesão às práticas de autocuidado. O estudo revelou expectativas quanto às iniciativas que contribuem para a promoção da saúde do trabalhador, além de maiores investimentos no PMC e na rede SUS.
Abstract: Home Care is a modality of health care available in several countries and is related to the demographic and epidemiological transition, to the increasing costs of hospitalization, to technological development and to the processes of humanization of health and de-hospitalization. The Regulation for the Home Care under the Sistema Unico de Saude (SUS) occurred in 2002 and subsidized the implementation of programs throug the country, among which the Programa Melhor em Casa (PMC), the scenario of this research. The PMC is operated by multiprofessional teams that act in a territorialized way, focusing on dehospitalization and the involvement of caregivers. The main objective of this research was to understand the impacts of work in Home Care and the contact with the suffering of the other on the health of PMC team workers in a State of Brazil. To achieve this goal we had four objectives to support the objective: know the composition of the teams and the organization of the work; identify the way the workers understand the public served, the singularities of Home care and its impacts on workers' health; know the individual and group strategies developed to deal with the suffering generated by the coexistence with the suffering of the other, whether users or caregivers; verify the existence of governmental initiatives to promote workers' health. Triangulation of qualitative and quantitative methods was used. Data were collected using ethnography, a focus group, interviews with a semi-structured script and a self- administered questionnaire. Thirty-two (89.86%) workers, including 04 coordinators, from 10 teams which 7 were linked to the municipal government and 3 were the Federal Education Institution (IFE) participated of the study. All participants responded to the questionnaire, thirty of them participated in three focal groups and four coordinators gave interviews. Fieldwork guided the understanding of work organization in PMC and the specificities of Home Care. The descriptive statistics allowed the systematization of the data referring to the socio-demographic profile of the workers. The thematic analysis facilitated the understanding of the data obtained with GF, interviews and open question of the questionnaire. The study allowed us to glimpse the singularities of Home Care and its impacts on comprehensive health care, humanization, dehospitalization and the creation of links between workers, patients, caregivers and family members. Workers comprehend in an extended way the social determinants of health, the singularities of each patient, caregiver and family member. Every day they are affected by the health-disease-care process and by the challenges to the functioning of the system, SUS. They recognized the skills needed to work in Home Care and their specifics in relation to other institutions and programs. They were motivated to work in teams, valued collective learning and pondered the importance of recognizing their work as a source of satisfaction. Work intensity, involvement with families and their demands, challenges for SUS Network articulation and emotional overload were highlighted as impacts of work on their health condition. The perceived advances in AD are not anchored in the health promotion of workers. Such actions do not exist in the municipal government. In the IFE there are actions focused on the health of the server, but there is no participation due to other labor ties, schedules and places of supply, as well as the low adherence to self-care practices. The study revealed expectations regarding initiatives that contribute to the promotion of workers' health besides greater investments in PMC and SUS.
Keywords: Geografia médica
Saúde e trabalho
Promoção da saúde
Pessoal da área médica
Atenção domiciliar
Saúde do trabalhador
Home Care
Worker's Health
Health Promotion
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::GEOGRAFIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador (Mestrado Profissional)
Citation: REZENDE, Laura Cristina Silva. Saúde do Trabalhador: um estudo com profissionais que lidam com o sofrimento do outro na atenção domiciliar. 2017. 177 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2017.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/18789
Issue Date: 30-Mar-2017
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador (Mestrado Profissional)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SaudeTrabalhadorEstudo.pdfDissertação16.44 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.