Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/18322
metadata.dc.type: Tese
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Interações entre professores e alunos em grupos acadêmicos na rede social Facebook: um estudo à luz do paradigma da complexidade
metadata.dc.creator: Murta, Cláudia Almeida Rodrigues
metadata.dc.contributor.advisor1: Moraes Filho, Waldenor Barros
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Souza, Valeska Virgínia Soares
metadata.dc.contributor.referee1: Araújo, Júlio César
metadata.dc.contributor.referee2: Braga, Junia de Carvalho Fidelis
metadata.dc.contributor.referee3: Mello, Dilma Maria de
metadata.dc.contributor.referee4: Luz, Emeli Borges Pereira
metadata.dc.description.resumo: As transformações socioculturais promovidas pelas tecnologias digitais propiciaram o desenvolvimento das redes sociais na internet. Redes como o Facebook têm se tornado espaços de interação da contemporaneidade que estão sendo apropriados por diferentes grupos sociais, inclusive o acadêmico. Entender a complexidade das interações manifestadas pelas práticas de língua(gem), as diferentes apropriações que grupos de professores e alunos universitários dão ao site de rede social, bem como os benefícios que eles podem obter com as interações foi o que pretendi nesta investigação. Para tal entendimento, fundamentei-me nos conhecimentos sobre a língua(gem) em uso (LARSEN-FREEMAN; CAMERON, 2008), em interações mediadas por computador (PRIMO, 2003), em sites de rede sociais, bem como no capital social (RECUERO, 2009, 2012, 2014) gerado nas interações nessa mídia digital. Busquei evidências empíricas das propriedades dos sistemas adaptativos complexos, conforme Five Graces Group (2009), nas interações de cinco grupos no Facebook, de professores e alunos da área de Letras de três universidades. Além disso, analisei as apropriações que os participantes dos grupos fizeram do site de rede social a partir dos laços que estabeleceram em suas relações e os benefícios que tiveram ao interagir nesses grupos, a partir das categorias de capital social de Bertolini e Bravo (2004). Compreendo por meio da análise dos dados que as interações em grupos de professores e alunos no Facebook se materializam em práticas de língua(gem) híbridas que sofrem influências dos contextos mediadores, a academia e o site de rede social. Mas, a atuação do site de rede como parâmetro de controle foi mais forte levando os participantes a preferirem as práticas de língua(gem) típicas desse contexto. No sistema adaptativo complexo de interações, o controle é distribuído, por isso a emergência de comportamentos não é determinada por um líder (top down), ela emerge de interações locais que visam à solução de problemas imediatos. As práticas de língua(gem) no site de rede social se estabelecem em nuances de interação mútua que são indicativos dos laços sociais desenvolvidos nos grupos. Os laços sociais são multiplexos, ou seja, são fortes, fracos, de manutenção e associativos e mudam ao longo do tempo, de acordo com as interações estabelecidas e as apropriações feitas pelos participantes nos grupos. As apropriações demandam investimentos dos participantes e produzem benefícios gerando, assim, capital social que pode ser usufruído individualmente e pelo grupo. Acredito que entender a complexidade das interações em sites de redes sociais pode nos ajudar a compreender a natureza situada do uso da língua(gem), seu fluxo contínuo de mudança em diferentes contextos, inclusive no acadêmico. E ainda, os diferentes usos que os grupos socioculturais dão às plataformas interacionais digitais.
Abstract: The sociocultural transformations promoted by digital technologies have enabled the development of social networks on the Internet. Networks such as Facebook have become contemporary interaction spaces that are being appropriated by different social groups, including academic ones. Understanding the complexity of the interactions displayed by language practices, the different appropriations that groups of professors and university students give to the social network site, as well as the benefits that they may have from the interactions was what I aimed at in this research. To that end, I have based my research on knowledge about the language in use (LARSEN-FREEMAN; CAMERON, 2008), on computer mediated interactions (PRIMO, 2003), on social networking sites, as well as on social capital (RECUERO, 2009, 2012, 2014) generated in the interactions in this digital media. I have looked for empirical evidence of the properties of complex adaptive systems, according to the Five Graces Group (2009), in the interactions of five groups on Facebook, of professors and students of the area of Languages and Literature of three universities. In addition, I have analyzed the appropriations that the participants of the groups made of the social network site from the bonds they established in their relations and the benefits they had while interacting in these groups, following the social capital categories of Bertolini and Bravo (2004). I understand through the analysis of the data that the group interactions of professors and students on Facebook materialize in hybrid language practices which are influenced by the mediating contexts, the academy and the social networking site. However, the performance of the network site as a control parameter was stronger, leading participants to prefer the language practices typical of such context. In the complex adaptive system of interactions, the control is distributed, so the emergence of behaviors is not determined by a leader (top down); it emerges from local interactions that aim at solving immediate problems. The practices of language in the social network site are established in nuances of mutual interaction that are indicative of the social ties developed in the groups.Social bonds are multiplexed, which means, they are strong, weak, of maintenance and associative, and change over time according to the established interactions and appropriations made by the participants in the groups. The appropriations demand investments from the participants and produce benefits, thus generating social capital that can be enjoyed individually and by the group. I believe that understanding the complexity of interactions on social networking sites can help us understand the situated nature of language use, its continuing flow of change in different contexts, including the academic. Also, it sheds light to the different uses that sociocultural groups give to digital interactive platforms.
Keywords: Linguística
Linguística - Estudo e ensino
Linguagem e línguas - Ensino auxiliado por computador
Internet na educação
Interações
Língua(gem) em uso
Sites de redes sociais
Paradigma da complexidade
Apropriações
Capital social
Interactions
Language in use
Social networking sites
Complexity paradigm
Appropriations
Social capital
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos
Citation: MURTA, Cláudia Almeida Rodrigues. Interações entre professores e alunos em grupos acadêmicos na rede social Facebook: um estudo à luz do paradigma da complexidade. 2016. 253 f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2016.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/18322
Issue Date: 5-Dec-2016
Appears in Collections:TESE - Estudos Linguísticos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
InteracoesEntreProfessores.pdfTese50.3 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.