Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/18270
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: O problema do ser a partir dos referenciais fenomenológicos: da Fenomenologia transcendental à ontologia fenomenológica
metadata.dc.creator: Vieira, Marcelo Rosa
metadata.dc.contributor.advisor1: Soares, Alexandre Guimarães Tadeu de
metadata.dc.contributor.referee1: Goto, Tommy Akira
metadata.dc.contributor.referee2: Starzyński, Wojciech Zbigniew
metadata.dc.description.resumo: O tema que motivou a presente pesquisa foi o da possibilidade de articulação entre fenomenologia e ontologia. Ela teve a pretensão de mostrar, a propósito, que a retomada do problema do ser era já a possibilidade central inscrita no projeto filosófico husserliano. Basta recordar, com efeito, que a tendência de pensamento que surge com Husserl e prossegue, depois, com Heidegger, Sartre e outros, parece, justamente, querer corroborar tal suposição. Husserl inaugurou a fenomenologia já designandoa, explicitamente, para a tarefa de constituir uma ontologia universal dos fenômenos. A introdução e o epílogo das Meditações Cartesianas e, em particular, o parágrafo 59 deste livro, sinalizam também para a mesma ideia. Colocamonos assim, de início, na averiguação dessa hipótese guiados pela leitura de Husserl e de alguns de seus intérpretes. Outra questão, porém, logo se impôs, ao longo do processo, requisitando nossa atenção: Husserl parece propor um quadro de referências fenomenológicas que antecipa o estabelecimento da ontologia e se oferece como item indispensável a este estabelecimento. O referido quadro é constituído por quatro referênciaschave – que parecem assumir o papel de condições e diretrizes para toda ontologia que queira estabelecerse a partir da fenomenologia. São elas: 1º a correlação intencional; 2º a tese da imanência e da transcendência; 3º a redução fenomenológica; 4º a estrutura teleológica. Como sabemos, o trajeto histórico da fenomenologia, depois de Husserl, passa por Heidegger e Sartre. A hipótese reitora de nosso trabalho, portanto, será a de que os quatro referenciais servem de orientação para eles na sua tentativa de converter a fenomenologia transcendental numa ontologia fenomenológica. A proposta aqui será conferir de perto o desenlace desse projeto, vendo a recepção dos referenciais por parte de Heidegger e Sartre, e o modo como sua ontologia fenomenológica se comporta em relação ao quadro de diretrizes acima elaborado por Husserl. Iremos ver que tudo se passa, de fato, como se toda ontologia – cuja orientação seja fenomenológica – parte dos referenciais da correlação, da imanência, da transcendência, da redução, da teleologia, a eles retorna e neles se mantém – seja prolongandoos, seja modificando seu sentido. Desejamos aqui, todavia, não estabelecer um esquematismo, cujo excedente formalismo acabaria nos afastando da realidade. A ideia é apenas propor uma via de interpretação que permita entender melhor o modo como a fenomenologia transcendental é convertida por Heidegger e Sartre numa ontologia fenomenológica, mas sem perder de vista o quadro referencial legado de início por Husserl.
Abstract: The theme that has motivated this research was the possibility of articulation between phenomenology and ontology. It had the intention to show, about this, that the resumption of the problem of being was already the central possibility inscribed in Husserl’s philosophical project. It’s enough to remember, indeed, that the tendency of thinking that comes with Husserl and goes on through Heidegger, Sartre and others, seems rightly to want to corroborate that assumption. Husserl inaugurated phenomenology assigning it already explicitly to the task of forming an universal ontology of phenomena. The introduction and epilogue of the Cartesian Meditations and, in particular, the paragraph 59 of this book, also point to the same idea. So, we put ourselves, firstly, at the investigation of that hypothesis guided by Husserl’s reading and some of his interpreters. However, another question has soon imposed to us, throughout the research process, requiring our attention: Husserl seems to propose a phenomenological reference framework that anticipates the settingup of ontology and offers itself as an indispensable item for that. This framework consists of four keyreferences – which seem to assume the role of conditions and guidelines for all ontology that wants to establish itself from the phenomenology. They are: 1 the intentional correlation; 2 the thesis of the immanence and transcendence; 3 the phenomenological reduction; 4 the teleological structure. As we know, the historical path of phenomenology, after Husserl, carries on through Heidegger and Sartre. The dean hypothesis of our work, therefore, will be that the four benchmarks provide guidance for them in their attempt to convert the transcendental phenomenology in a phenomenological ontology. We propose here to check closely the outcome of this project, seeing the reception of the references by Heidegger and Sartre, and how their phenomenological ontology behaves in relation to the guidelines above elaborated by Husserl. We will see that all takes place, in fact, as if every ontology whose orientation is phenomenological starts from the references of correlation, immanence, transcendence, reduction, teleology, goes back to them and there remains be extending them or be changing their meaning. However, we wish here does not establish a schematism, whose surplus formalism would ultimately moving away from the reality. The idea is just to propose a way of interpretation in order to better understand how the transcendental phenomenology is converted by Heidegger and Sartre in a phenomenological ontology, but without losing sight of the reference framework firstly left by Husserl.
Keywords: Filosofia
Husserl, Edmund, 1859-1938 - Crítica e interpretação
Heidegger, Martin, 1889-1976 - Crítica e interpretação
Sartre, JeanPaul, 1905-1980 - Crítica e interpretação
Fenomenologia
Ontologia
Husserl
Heidegger
Sartre
Phenomenology
Ontology
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::FILOSOFIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Filosofia
Citation: VIEIRA, Marcelo Rosa. O problema do ser a partir dos referenciais fenomenológicos: da Fenomenologia transcendental à ontologia fenomenológica. 2016. 328 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2016.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/18270
Issue Date: 8-Sep-2016
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Filosofia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ProblemaSerPartir.pdfDissertação2.53 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.