Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/18146
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Efeito agudo de diferentes treinamentos intermitentes de alta intensidade : respostas cardiorrespiratórias e neuromusculares na corrida
metadata.dc.creator: Arantes, Franciel José
metadata.dc.contributor.advisor1: Pereira, Adriano Alves
metadata.dc.contributor.referee1: Santos, Silvio Soares dos
metadata.dc.contributor.referee2: Andrade, Adriano Oliveira
metadata.dc.contributor.referee3: Gonçalves, Alexandre
metadata.dc.description.resumo: O objetivo do estudo foi examinar o efeito de diferentes razões entre esforço e recuperação (E:R) em treinamentos intermitentes de alta intensidade (TIAI), com intensidade fixa, no desempenho cardiorrespiratório e neuromuscular em corredores amadores. Para esse fim, 11 homens, corredores de rua amadores (25,45 ± 1,25 anos; massa corporal 64,91 ± 2,48; estatura 1,74 ± 0,03 e percentual de gordura 8,09 ± 0,62) realizaram em quatro dias diferentes os seguintes testes: teste incremental para determinação do consumo máximo de oxigênio (VO2máx), frequência cardíaca máxima (FCmáx) e velocidade pico (Vpico); e três protocolos intermitentes de alta intensidade a 110% da Vpico (quarenta segundos de esforço com quarenta segundos de recuperação [40:40], trinta segundos de esforço com trinta segundos de recuperação [30:30] e quarenta segundos de esforço com vinte segundos de recuperação [40:20]) em dias diferentes, com análise antes, após 5 e 10 minutos da contração isométrica voluntária máxima (CIVM), com obtenção também da taxa de desenvolvimento de força pico (TDFp) com registro simultâneo da atividade eletromiográfica dos músculos vasto lateral, reto femoral e vasto medial, obtendo valores de root mean square (RMS) e da frequência média e mediana. Ademais, durante os protocolos, variáveis cardiorrespiratórias do tempo de manutenção igual ou próximo a 90% do VO2máx (TM90%VO2máx); e concentrações de lactato antes, imediatamente após, pós 5 e 10 minutos de cada diferente protocolo proposto foram quantificados. Foram registrados também, o tempo total de exercício e o tempo de exaustão para cada TIAI. Para comparações entre os grupos nas diferentes variáveis, foi empregado o teste de variância (ANOVA) com medidas repetidas com teste de post-hoc de Turkey quando encontrada interação entre alguma variável. Em todo o processamento, foi adotado nível de significância de 5%. Os resultados apontaram para tempo em exercício e de exaustão diferente estatisticamente (p < 0,05) para o protocolo 30:30 e 40:40 para o 40:20, e entre o 30:30 e 40:40. As concentrações de lactato foram diferentes no momento pós 10 minutos entre o protocolo 40:20 e o 30:30 com valores maiores para o primeiro. O TM90%VO2máx não foi diferente entre os diferentes TIAI, apenas quando foi levado em consideração o tempo total de exercício e o tempo de exaustão; o 40:20 apresentou valores percentuais maiores para os outros dois. Nos índices de força, a CIVM apresentou reduções entre os momentos pós 5 e 10 minutos para os diferentes TIAI sem diferença significativa relatada entre os mesmos. A TDFp não foi diferente entre os momentos para o 40:20 (p > 0,05) e apresentou diferença significativa para o 30:30 no momento pós 10 minutos e no após 5 minutos para o 40:40. O RMS foi diferente para os diferentes músculos do vasto lateral e medial e reto femoral, entre os momentos, mas não entre os protocolos. Ademais, houve um leve aumento da frequência média e mediana, nos momentos pós para todos os protocolos, porém sem diferença entre os TIAI. Com base nos resultados do presente estudo podemos concluir que diferentes razões entre esforço e recuperação respondem de forma semelhante nos índices neuromusculares e cardiorrespiratórios, porém com distinto comportamento do tempo final do exercício para razões diferentes.
Abstract: The aim of the study was to examine the effect of different ratios of effort and recovery (E:R) high-intensity intermittent training (HIIT) with fixed intensity in cardiorespiratory and neuromuscular performance in amateur athlete runners. To this end, 11 men, amateur street runners (25.45 ± 1.25 years; body mass 64.91 ± 2.48, height 1.74 ± 0.03 and 7.09 ± fat percentage 0.62 ) executed in four different days the following tests: incremental test to determine maximum oxygen consumption (VO2max), maximum heart rate (HRmáx) and peak speed (Vpeak); and three highintensity intermittent protocols at 110% of Vpeak (forty seconds of effort with forty seconds of recovery [40:40], thirty seconds of effort with thirty seconds of recovery [30:30] and forty seconds of effort with twenty seconds of recovery [40:20]) on different days, with analysis before, after 5 and 10 minutes of maximum voluntary isometric contraction (MVIC), obtaining also the rate of peak force development (RPFD) with simultaneous recording of electromyographic activity of the vastus lateralis, rectus femoris and vastus medialis root mean square values (RMS) and average and median frequency. In addition, during the execution of the protocols, analysis for the protocols of cardiorespiratory variables, maintenance time equal or close to 90% of VO2max (TM90%VO2max); and lactate concentrations before, immediately after, 5 and 10 minutes after each different protocol proposed were quantified. For comparisons between groups in different variables, we used the analysis of variance (ANOVA) with repeated measures with post-hoc Tukey's test when found interaction between some variable. Throughout the process, we adopted a significance level of 5%. The results pointed to time in exercise and exhaustion different statistically (p < 0.05) for the 30:30 and 40:40 protocol for 40:20 and between 30:30 and 40:40. Lactate concentrations were different at the time after 10 minutes between 40:20 and 30:30 protocol with higher values for the first. The TM90%VO2máx was not different between different TIAI, just when it was taken into account the total exercise time and time to exhaustion, 40:20 showed higher percentages for the other two. The force ratios, the MVCI showed reductions between the post moments 5 and 10 minutes to the different HIIT, without difference statistic between them RPFD was not different between the times for the 40:20 (p > 0.05) and showed a significant difference to the 30:30 in the post 10 minutes time and after five minutes to 40:40. The RMS was different for the different muscle of the vastus lateralis, rectus femoris and vastus medialis, between times, but not between protocols. In addition, there was a slight increase of the average frequency and median in increase in the moments after for all protocols, but no difference between HIIT. Based on the study results we can conclude that different ratios of effort and recovery respond similarly in neuromuscular and cardiorespiratory indexes, but with different behavior of the end of the year time for different reasons.
Keywords: Engenharia biomédica
Treinamento (Atletismo)
Corridas
Treinamento intervalado
Tempo de exercício
Consumo de oxigênio
Eletromiografia
Interval training
Running
Exercise time
Oxygen uptake
Electromyography
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::ENGENHARIAS::ENGENHARIA BIOMEDICA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Engenharia Biomédica
Citation: ARANTES, Franciel José. Efeito agudo de diferentes treinamentos intermitentes de alta intensidade: respostas cardiorrespiratórias e neuromusculares na corrida. 2016. 111 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2016.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/18146
Issue Date: 11-Oct-2016
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Engenharia Biomédica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
EfeitoAgudoDiferentes.pdfDissertação7.43 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.