Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17812
Document type: Dissertação
Access type: Acesso Aberto
Title: A nasalidade no dialeto quilombola do Norte de Minas: uma análise contrastiva baseada em corpus
Author: Silva, Wagner Cassiano da
First Advisor: Novodvorski, Ariel
First member of the Committee: Silva, Thaïs Cristófaro
Second member of the Committee: Fromm, Guilherme
Summary: Esta pesquisa investigou a nasalidade de vogais na fala espontânea de moradores das comunidades quilombolas de Brejo dos Crioulos e Poções (MG). Como aporte teórico, baseou-se nos pressupostos da Fonética e Fonologia, em estudiosos renomados na investigação da nasalidade (CAGLIARI, 1977; CÂMARA JR., 1984, 2013; BISOL, 2013; ABAURRE; PAGOTTO, 1996; SILVA, 2015), com subsídios da Linguística de Corpus. Seu objetivo geral foi investigar a ocorrência da nasalidade, no dialeto dessas comunidades quilombolas, e seu comportamento linguístico, considerando os fatores linguísticos que podem no fenômeno interferir. Especificamente, objetivou-se a) detectar a ocorrência de vogais nasalizadas com auxílio dos recursos que provê a Linguística de Corpus (Praat e WorldSmith Tolls); b) discriminar os diferentes tipos de contextos de ocorrência das vogais nasalizadas; c) fazer análises quantitativa e qualitativa das vogais nasalizadas no corpus de estudo; d) descrever e analisar o comportamento das vogais nasalizadas e; e) contrastar os valores de F1 e F2 das vogais orais e nasalizadas. Hipotetizou-se que a nasalidade acontece por ser condicionada pelo segmento nasal seguinte à vogal nasalizada – processo fonológico de “assimilação” –, sua posição quanto ao acento primário e categoria gramatical. Acreditou-se que as comunidades quilombolas de Brejo dos Crioulos e Poções produzem em suas falas vogais nasalizadas e que esse fenômeno linguístico é favorecido pela presença adjacente de consoantes ou vogais nasais. Além disso, foi hipotetizado que os valores dos F1 e F2 das vogais orais e nasalizadas nessas comunidades são distintos. Elaboraram-se as seguintes perguntas de pesquisa: (i) a presença de vogais nasalizadas na fala nessas comunidades quilombolas está condicionada à presença de um segmento sonoro nasal? (ii) o segmento sonoro nasal seguinte à vogal nasalizada favorece a ocorrência do fenômeno da nasalidade? há diferença entre os valores de F1 e F2 das vogais orais e nasalizadas nas duas comunidades quilombolas consideradas? Para compor o nosso corpus, utilizaram-se gravações de 24 entrevistas (12 locutores femininos e 12 locutores masculinos), num total de 24 participantes. Verificou-se que o segmento sonoro nasal seguinte tende a condicionar a vogal nasalizada. Geralmente, assimila-se o abaixamento do véu palatino de segmento consonantal nasal imediatamente seguinte, mas há casos de segmento vocálico nasal – assimilação regressiva; a sílaba tônica tende a favorecer a nasalidade, mas ela ocorre em posição pretônica e postônica também; os valores de F1 e F2 das vogais orais e nasalizadas nas comunidades quilombolas de Poções e Brejo dos Crioulos são distintos: o Grupo de Brejo dos Crioulos tende a produzir o F1 das vogais orais e nasalizadas mais abaixado do que o Grupo de Poções e o F2, mais anteriorizado. A nasalidade tende a ocorrer em verbos e substantivos, apesar de não ser específica a uma categoria gramatical. Esta pesquisa apontou casos de nasalização espúria, confirmando pesquisas já realizadas. Por sua vez, revelou casos de itens lexicais com contexto favorável à nasalização, mas com sua não ocorrência. Este último caso, tido como de abaixamento do véu palatino uniforme no Português Brasileiro, apresentou vogais pronunciadas sem o abaixamento do véu palatino. Ou seja, detectou-se variação no fenômeno de nasalização no Português Brasileiro. Com este trabalho, promoveu-se a discussão sobre a nasalidade, com o intuito de contribuir com os estudos linguísticos sobre o funcionamento do Português Brasileiro neste contexto geográfico.
Abstract: This research investigated the nasality of vowels in the spontaneous speech of inhabitants of the quilombola communities of Brejo dos Crioulos and Poções (MG). As a theoretical framework, we based on the assumptions of Phonetics and Phonology, in renowned scholars on the investigation of nasality (CAGLIARI, 1977; CÂMARA JR., 1984, 2013; BISOL, 2013; ABAURRE; PAGOTTO, 1996; SILVA, 2015), with subsidies of the Corpus Linguistics. Its general goal was to investigate the occurrence of nasality, in the dialect of these quilombola communities, and their linguistic behavior, considering the linguistic factors that can interfere in the phenomenon. Specifically it was aimed to a) detect the occurrence of nasalized vowels with the help of the resources that the Corpus Linguistics provides (Praat and WorldSmith Tolls); b) discriminate the different types of occurring contexts of nasalized vowels; c) make quantitative and qualitative analyzes of the nasalized vowels in the study corpus; d) describe and analyze the behavior of nasalized vowels and; e) contrast the values of F1 and F2 of the oral and nasalized vowels. It was hypothesized that the nasality happens because it is conditioned by the nasal segment following the nasalized vowel - phonological process of “assimilation” - its position as the primary stress and grammatical category. It was believed that the quilombolas communities of Brejo dos Crioulos and Poções produce nasalized vowels in their speech and this linguistic phenomenon is favored by the adjacent presence of consonants or nasal vowels. Furthermore, it was hypothesized that the values of F1 and F2 of oral and nasalized vowels in these communities are distinct. The following research questions were elaborated: (i) is the presence of nasalized vowels in the speech of these quilombola communities conditioned to the presence of a nasal sound segment? (ii) does the nasal sound segment following the nasalized vowel favor the occurrence of the nasality phenomenon? is there a difference between the values of F1 and F2 of the oral and nasalized vowels in both quilombola communities considered? To compose our corpus, 24 interviews recordings were used (12 female speakers and 12 male speakers), a total of 24 participants. It was found that the following nasal sound segment tends to condition the nasalized vowel. In general, it assimilates the lowering of the soft palate of nasal consonant segment immediately following, but there are cases of nasal vowel segment - regressive assimilation; the stressed syllable tends to favor the nasality, but it occurs in pretonic and postonic position as well; F1 and F2 values of oral and nasalized vowels in the quilombola communities of Poções and Brejo dos Crioulos are distinct: the group of Brejo dos Crioulos tends to produce the F1 of oral and nasalized vowels more lowered than the group of Poções and the F2, in a more anterior position. The nasality tends to occur in verbs and nouns, although it is not specific to a grammatical category. This research found cases of spurious nasalization, confirming previous studies. In turn, it revealed cases of lexical items with favorable context for nasalization, but with its non-occurrence. This last case, considered as the lowering of the uniform soft palate in PB, presented pronounced vowels without the soft palate lowering. That is, it was detected variation in the phenomenon of nasalization in PB. With this work, it was promoted the discussion about nasality, in order to contribute to the linguistic studies about the functioning of Brazilian Portuguese in this geographical context.
Keywords: Linguística
Nasalidade (Fonética)
Língua portuguesa - Fonética
Vogais orais
Nasalidade
Nasalização
Análise acústica
Oral vowels
Nasality
Nasalization
Acoustic analysis
Area (s) of CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRAS
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
Program: Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos
Quote: SILVA, Wagner Cassiano da. A nasalidade no dialeto quilombola do Norte de Minas: uma análise contrastiva baseada em corpus. 2016. 145 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2016.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17812
Date of defense: 27-Jun-2016
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Estudos Linguísticos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
NasalidadeDialetoQuilombola.pdfDissertação3.48 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.