Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17688
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Noção de simetria na cosmologia de Anaximandro de Mileto
metadata.dc.creator: Freire, João Batista
metadata.dc.contributor.advisor1: Nunes Sobrinho, Rubens Garcia
metadata.dc.contributor.referee1: Mendonça, Fernando Martins
metadata.dc.contributor.referee2: Coutinho, Carlos Luciano
metadata.dc.description.resumo: Mediante o movimento filosófico ocorrido na Jônia e a investigação sobre a phýsis (inaugurada por seus primeiros sábios, na portuária Mileto), elegemos a cosmologia de Anaximandro como um terreno fecundo para explorar a noção grega de simetria. A partir de uma perspectiva geográfica, inicialmente, a originalidade dos gregos quanto à noção de justa medida será questionada, haja vista os conhecimentos astrológicos e matemáticos serem comuns na Babilônia e no Egito. Não obstante o ambiente cultural em seus portos comerciais e a arquitetura milésia demonstrarem indícios de um possível impacto oriental no pensamento grego, a partir dos fragmentos validados pela tradição doxográfica será notado que o problema quanto ao berço da noção de – harmonia e justa medida – era algo próprio da cultura grega e inerente à sua remota religiosidade. A retomada dessas noções remeterá à questão da arché e à sua divindade assumida por Tales, Anaximandro e Anaxímenes. O divino não era uma noção extrínseca ao pensamento milésio quanto ao elemento primeiro. Por isso, teremos como resultado dessa investigação alguns pressupostos nos quais a noção de simetria em Anaximandro – enunciada em seu ápeiron – poderia ser a partir do diálogo entre filosofia e orfismo, a assimilação do Uno, conforme testemunhou o papiro de Derveni.
Abstract: Through the philosophical movements in Ionia and through researches made on phýsis (started by the first wise men in Miletus), we elected Anaximander‟s cosmology as a fertile ground for exploring the Greek notion of symmetry. From a geographical perspective, initially, the Greeks‟ originality towards the notion of a due measure will be questioned, since the astrological and mathematical knowledge were common in Babylon and Egypt. Although the cultural environment on the Milesian commercial ports and its architecture show evidences of a possible eastern impact on the Greek thought, it will be noted (from fragments validated by the Doxography tradition) that the problem with the birthplace of the notion of harmony and of due measure is something specific of the Greek culture and inherent to its remote religiosity. The resumption of these notions refers to the issue of arché and to its divinity assumed by Thales, Anaximander and Anaximenes. The divine was not an extrinsic notion to the Milesian thought towards the first element. Therefore, we will have as a result of this investigation some assumptions for which the notion of symmetry in Anaximander, stated in his ápeiron, could be, from the dialogue between philosophy and Orphism, an assimilation of the One, as witnessed in the Derveni papyrus.
Keywords: Filosofia
Anaximandro - Crítica e interpretação
Apeiron
Simetria
Anaximandro
Arché
Divino
Anaximander
Divine
Symmetry
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::FILOSOFIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Filosofia
Citation: FREIRE, João Batista. Noção de simetria na cosmologia de Anaximandro de Mileto. 2016. 117 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2016.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17688
Issue Date: 10-Jul-2016
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Filosofia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
NocaoSimetriaCosmologia.pdfDissertação1.04 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.