Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17565
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Identidade pessoal em Hume e em Kant
metadata.dc.creator: Peixoto, Cristiano Rodrigues
metadata.dc.contributor.advisor1: Seneda, Marcos César
metadata.dc.contributor.referee1: Klaudat, André Nilo
metadata.dc.contributor.referee2: Gonzalez, Carlos Gustavo
metadata.dc.description.resumo: O tema desta dissertação é o problema da identidade pessoal. Mais especificamente, o objetivo deste trabalho é investigar e comparar o modo como Hume e Kant constroem, no interior de seus próprios sistemas filosóficos, suas teorias da identidade pessoal (do eu), de modo que essas teorias possam fundamentar a construção de conhecimento teórico. A teoria da identidade pessoal de Hume está intimamente ligada ao seu modelo empirista de investigação, de acordo com o qual nenhuma conclusão metafísica pode ser aceita. Isso coloca um limite muito específico à descrição humiana da identidade pessoal. Porque não pode encontrar um referente empírico seguro para o eu, Hume é obrigado a descrevê-lo como uma mera ficção, a qual a imaginação cria para tentar dar unidade ao conjunto de percepções que compõem a mente. Kant, por outro lado, constrói sua teoria do eu com o objetivo de explicar a possibilidade do conhecimento a priori na Matemática e na Física. Kant tenta encontrar quais atributos devem necessariamente pertencer ao eu de modo que esse eu possa ser, ao mesmo tempo, a condição transcendental a priori de uma subjetividade em geral e a condição transcendental igualmente a priori para a construção de conhecimento objetivo. Ademais, Kant mostra a impossibilidade de se conhecer o eu objetivamente, como intuição, e se limita a descrevê-lo como uma consciência meramente subjetiva das capacidades de síntese do entendimento. É possível perceber, assim, as disparidades entre as teorias da identidade pessoal desses dois autores. Baseado nessas diferenças, o presente trabalho também explora a possibilidade de se fazer uma interpretação da teoria humiana do eu usando elementos da filosofia kantiana. A finalidade desse tipo de interpretação é propor uma solução para as dificuldades enfrentadas por Hume na descrição de sua teoria da identidade pessoal.
Abstract: The issue of this dissertation is the problem of personal identity. More specifically, the objective of this work is to investigate and compare how Hume and Kant construct, within their own philosophical systems, their theories of personal identity (of the self), so that these theories can set the grounds for the construction of theoretical knowledge. Hume’s theory of personal identity is closely connected to his empirical model of investigation, according to which no metaphysical conclusion can be accepted. This implies a very specific limitation to the humean description of personal identity. Because he can’t find a safe empirical reference for the self, Hume is obliged to describe it as a mere fiction, which the imagination creates to try to give unity to the set of perceptions that composes the mind. Kant, on the other hand, constructs his theory of the self with the aim of explaining the possibility of the a priori knowledge in Mathematics and in Physics. Kant tries to find which attributes must necessarily belong to the self so that this self can be, at the same time, the a priori transcendental condition of a subjectivity in general and the equally a priori transcendental condition for the construction of objective knowledge. Moreover, Kant shows the impossibility of objectively knowing, as intuition, the self, and limits himself to the description of the self as a mere subjective consciousness of the synthetic capacities of the understanding. Several disparities, thus, can be perceived between the theories of personal identity of these two authors. Based on these differences, the present work also examines the possibility of making an interpretation of the humean theory of the self by using elements of the kantian philosophy. The purpose of this kind of interpretation is to propose a solution to the difficulties faced by Hume in the description of his theory of personal identity.
Keywords: Filosofia
Kant, Immanuel, 1724-1804 - Crítica e interpretação
Hume, David, 1711-1776 - Crítica e interpretação
Consciência
Self (Filosofia)
Personalidade
Apercepção
Eu
Experiência
Identidade pessoal
Apperception
Consciousness
Experience
Personal identity
Self
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::FILOSOFIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Ubelândia
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Filosofia
Citation: PEIXOTO, Cristiano Rodrigues. Identidade pessoal em Hume e em Kant. 2016. 113 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2016.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17565
Issue Date: 11-Apr-2016
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Filosofia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
IdentidadePessoalHume.pdfDissertação769.6 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.