Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17549
Document type: Tese
Access type: Acesso Aberto
Title: A escrita da escrita em (d)enunciação no espaço sócio-escolar: um espaço (em vão) para a (cri)atividade escrita
Author: Borges, Selma Zago da Silva
First Advisor: Agustini, Carmen Lucia Hernandes
First member of the Committee: Leite, João de Deus
Second member of the Committee: Gomes, Vilma Aparecida
Third member of the Committee: Novodvorski, Ariel
Fourth member of the Committee: Bertoldo, Ernesto Sérgio
Summary: Esta tese é uma escrita em (d)enunciação, pois desvela as experiências de linguagem de indivíduos que, ao ocuparem, no espaço sócio-escolar, o lugar social de professor e de aluno, por alguma razão, sentem-se velados por uma demanda que os impede de ensinar e de aprender a escrita – e, até mesmo, a própria escrita. Para isso, problematizamos questões concernentes à enunciação benvenistiana e ao processo de ensino e de aprendizagem de escrita em Língua Portuguesa a partir da tríade relação professor – ensino de escrita/saber – aluno, aproximando o campo teórico enunciativo, fundamento deste trabalho, e o didático-pedagógico. Apostamos na hipótese de trabalho que se baseia na posição de que o afrouxamento dessa relação triádica repercute seus efeitos no processo de intervenção-inter(fere(ê))ncia, de tal modo que esse processo não fere o aluno, deixando uma cicatriz que permaneça produzindo ali efeitos produtivos sobre sua escrita. Em decorrência dessa pressuposição, evidenciamos duas constatações de chancelar a possibilidade de saída(s) que permite(m) considerar que o ensino de escrita em Língua Portuguesa é o espaço para a (cri)atividade escrita, de maneira que se instaura como uma condição sine qua non para a assunção do aluno a uma escrita institucionalizada e subjetiva. A primeira constatação é a de que há implicações para o processo de ensino e de aprendizagem de escrita se considerarmos o gênero como modelo, conforme as diretrizes e orientações dos documentos oficiais. A segunda constatação, em decorrência da primeira, admitimos que o gênero é, ao mesmo tempo, um modelo e uma transgressão, tomá-lo como (a)mostra abre espaço para a (cri)atividade escrita que ―é uma transposição da linguagem interior‖ (BENVENISTE, 2014 [1968-1969], p.132), de modo a torná-la inteligível e ressaltar aquilo que é da ordem de um modelo (o iterativo) e de uma transgressão (o inventivo). A partir dessas constatações, para os procedimentos analíticos, constituímos os materiais de análise que compõem o corpus heterogêneo desta pesquisa, de acordo com as seguintes ações procedimentais: gravação em áudio das aulas; gravação em áudio das entrevistas com os professores e com os alunos; e a constituição de um acervo de produção escrita dos alunos. Desse conjunto de materiais, analisamos a (a)(tu)ação, em mo(vi)mentos enunciativos, dos envolvidos na relação triádica professor – ensino de escrita/saber – aluno, as histórias das enunciações, das experiências de linguagem. Além disso, analisamos o discurso no qual se inscreve o dizer do professor em relação ao modo como 'constrói' sua aula em função do saber a ser ensinado e de sua relação com esse saber, a fim de, em outro mo(vi)mento de análise, circunscrever suas implicações na escrita dos alunos. As análises (re)afirmaram que, ao afrouxamento do laço na relação triádica, abrem-se espaços para que os alunos permaneçam à deriva, em vão, impossibilitando-lhes, epilinguisticamente, de realizar um trabalho elaboral sobre a própria escrita. Em razão disso, a instituição escolar vem perdendo sua especificidade, como lugar de ensino, lugar de ensinar o aluno a ler e a escrever e abrindo espaço, cada vez maior, para o treino. Nesse sentido, consideramos que o efeito desse afrouxamento repercute um sintoma que se manifesta em queixa, em denúncia. Logo, com base nessas (d)enunciações, apresentamos o Esboço em preliminares de uma pro(a)posta de/para intervenção- inter(fere(ê))ncia no trabalho do ensino de escrita e,assim, buscamos oferecer ao ensino, ao professor, um conjunto de conhecimentos que lhe possibilite a reflexão e saídas.
Abstract: This thesis is a writing of (d)enunciation because it reveals the language experiencies of those individuals who take, in social school space, the social role of the teacher and of the student, for some reason, they feel restrained by a demand which prevents them of teaching and learning how to write – and, even, their own writing. On this basis, we consider some questions concerning Benveniste‘s theory of enunciation and the teaching and learning process in Portuguese from the triad among teacher – teaching of writing/ knowledge – student, making this theoretical area closer to the pedagogical one. We support in the working hypothesis that is based on the position of the loosening of this triad has its effects in the process of intervention-interference to the point where it does not leave a scar which can remain working on productive effects on the student‘s writing. As a consequence, we show two findings which allow us to think the teaching of writing in Portuguese is a space for writing creativity in such a way it reveals itself as a sine qua non condition for the institutionalized and subjective writing. The first finding is that taking genre as a model has some implications in the teaching and learning process of writing according to the instructions of the official documents. The second finding, as a result of the first one, is the assumption that genre is at the same time a model and a transgression and taking it as a (ex)sample opens space for writing creativity which ―is a transposition of the interior language‖ (BENVENISTE, 2014 [1968-1969], p. 132) in a way this creativity makes it intelligible and highlights what is a model (interactiveness) and a transgression (inventiveness). From such findings, we organize our heterogeneous corpus according to these procedures: recording the classes in audio; recording the interviews we made with teachers and students in audio; and constituting an archive with the students‘ writing production. From this corpus, we analyzed the (d)enunciative mo(ve)ments in the teacher – teaching of writing/ knowledge – student triad and the history of (d)enunciations, of language experiences. Besides, we analyzed the teacher‘s discourse in relation to the way he plans his classes based on the knowledge that must be taught and his own way of managing this knowledge in order to understand his interference in his students‘ writings. Our analyses (re)affirm that when the loosening of the triad happens, the students become lost, what makes them unable of working upon their own writing epilinguisticaly. Because of it, schools have lost their specificity as a place for teaching students how to read and write as they open space for training, only. On this basis, we consider that the effect of such a loosening generates complaints and denunciations. Therefore, based on such (d)enunciations, we present the Primary sketches of a proposition for intervention-interference in teaching how to write and we aim at introducing much knowledge to teachers and students in order to allow them to think about possible ways out.
Keywords: Linguística
Ensino
Escrita
Língua Portuguesa
(A)mostra
Afrouxamento
Escola
Intervenção-inter(fere(ê))ncia
(Ex)samples
Loosening
School
Teaching
Writing
Intervention-interference
Portuguese
Area (s) of CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Ubelândia
Program: Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos
Quote: BORGES, Selma Zago da Silva. A escrita da escrita em (d)enunciação no espaço sócio-escolar: um espaço (em vão) para a (cri)atividade escrita. 2015. 312 f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2015.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17549
Date of defense: 12-Feb-2016
Appears in Collections:TESE - Estudos Linguísticos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
EscritaEscritaDenunciacao.pdfTese5.6 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.