Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17280
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Campo-relação na clínica do conjugal : reflexões psicanalíticas sobre a cultura hoje
metadata.dc.creator: Dias, Andrea Gonçalves
metadata.dc.contributor.advisor1: Romera, Maria Lucia Castilho
metadata.dc.contributor.referee1: Loffredo, Ana Maria
metadata.dc.contributor.referee2: Paravidini, João Luiz Leitão
metadata.dc.description.resumo: Este estudo propõe-se a um trabalho reflexivo sobre a conjugalidade, através da investigação das relações conjugais para além do modelo de aliança heterossexual reprodutiva que norteou a vivência da sexualidade e da intimidade na Modernidade. Avalia a perspectiva de durabilidade das uniões no projeto Romântico em contraponto com a fugacidade das uniões atuais norteadas por uma lógica de concepção: produção-consumo. Coloca em questão qual a condição de sustentabilidade de uma relação conjugal hoje e sua implicação quanto ao amor. Objetiva investigar o campo da conjugalidade, refletindo sobre sua condição de diferenciação, considerada a criação de novos sentidos no modo de conjugar e constituir a realidade. Discute formas de alteridade e a articulação entre perspectivas teóricas na clínica do casal, tendo como ponto central o método psicanalítico por ruptura de campo sustentado por articulações teóricas da Teoria dos Campos com intuito de produção de conhecimento. Desenvolve um pensamento da clínica da cultura a partir de três rupturas ocorridas no campo sócio-histórico que influenciaram a concepção de conjugalidade hoje: o casamento, o feminino e a lógica vincular determinada pela Globalização e a Hipermodernidade. Apresenta como analisadores a noção de Campo e Paradoxo tendo como hipótese a capacidade transformadora da conjugalidade no difícil jogo entre o uno e o múltiplo a que o projeto social da atualidade nos institui. Através de um olhar clínico da psique conjugal singularidades de cada relação foram reveladas e a partir de um recorte de sentidos comuns apreendidos, uma análise da cultura na clínica foi sendo delimitada. Descobriu-se que o projeto conjugal, ou representação do conjugal em condição de crise, erige uma multiplicidade de sentidos que, paradoxalmente, padroniza as relações e também possibilita a emergência de outra sensibilidade neste campo, ou seja, efetiva uma crítica paradoxal destas. Há a conjugalidade enquanto projeto dos sujeitos na atualidade, porém enquanto indefinição definida. Tais possibilidades já estão em jogo, pois a alteridade na condição de fragilidade presente, ainda persiste e insiste. Como se sabe: é no momento de crise que se está destinado ao novo e ao inesperado.
Abstract: This study proposes a reflexive work on conjugality, through the investigation of matrimonial relationships beyond the model of reproductive heterosexual alliance that has been orientating the existence of sexuality and intimacy in modern times. It evaluates the perspective of durability of the unions in the romantic project compared to the transiency of the current unions, orientated by a conception logic: consume production. It puts in subject which is the condition of sustainability of a matrimonial relationship nowadays, and its implication to love. It aims to investigate the conjugality field, considering its differentiation condition and the creation of new meanings in the way of conjugating and constituting reality. It discusses forms of alterity and articulation among theoretical perspectives in the couple's clinic, having as central point the psychoanalytic method of field rupture sustained by theoretical articulations of Campos' Theory with intention of knowledge production. It develops a thinking of the culture clinic, starting from three ruptures that happened in the social-historical field that influenced the present conjugality conception: the marriage, the feminine and the link logic determined by globalization and hypermodernity. It presents as analyzers the notion of field and paradox, having as hypothesis the transforming capacity of conjugality in the hard game between the one and the multiple that the social project of the present times institutes us. Through a clinical eye of the matrimonial psyche, some singularities of each relationship have been revealed and, using a set of learned common senses, an analysis of the culture in the clinic have been delimited. It has been found that the matrimonial project, or its representation in a crisis condition, erects a multiplicity of senses that, paradoxically, standardizes the relationships and also makes possible the rising of another sensibility in this field, in other words, it makes a paradoxical critic of these. Nowadays, there is the conjugality as a project of the subjects, as an defined indefinition. Such possibilities are already in place, because the alterity in the condition of present fragility, still persists and insists. As it is known: it is in the moment of crisis that one is destined to the new and the unexpected.
Keywords: Conjugalidade
Método psicanalítico
Alteridade
Conjugality
Psychoanalytic method
Alterity
Psicanálise
Relações homem-mulher
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Humanas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Psicologia
Citation: DIAS, Andrea Gonçalves. Campo-relação na clínica do conjugal : reflexões psicanalíticas sobre a cultura hoje. 2007. 158 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2007.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17280
Issue Date: 28-Sep-2007
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AGDiasDISPRT.pdf1 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.