Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17245
Document type: Dissertação
Access type: Acesso Aberto
Title: Estresse e suporte social em profissionais do setor de segurança pessoal e patrimonial
Author: Coleta, Alessandra dos Santos Menezes Dela
First Advisor: Coleta, Marilia Ferreira Dela
First member of the Committee: Martins, Maria do Carmo Fernandes
Second member of the Committee: Matsukura, Thelma Simões
Summary: Estudos sobre policiais destacam que estes constituem um dos grupos profissionais com maior freqüência de alto nível de estresse. Assim, este estudo foi desenvolvido com os objetivos de avaliar fatores de estresse ocupacional e de relacionar o estresse com o suporte social em uma amostra de policiais civis de uma Delegacia Regional de Segurança Pública. O estudo foi desenvolvido em duas fases, nas quais foram adotadas diferentes metodologias. Na primeira fase participaram voluntariamente 40 policiais civis e buscou-se identificar os estressores gerais no trabalho do policial civil e investigar as formas de enfrentamento ao estresse pelos policiais, utilizando um roteiro de entrevista semi-estruturado. Após análise de conteúdo foram obtidas 222 respostas sobre os estressores ocupacionais, que foram classificados em 18 categorias envolvendo as características do trabalho, relacionamento com colegas e superiores, imagem negativa da classe por parte da sociedade e da mídia e falta de apoio legal e governamental ao trabalho da polícia. A estratégia utilizada para lidarem com o estresse gerou 86 respostas, sendo que a maioria utiliza manejo dos sintomas, tais como autocontrole, apoio da família, lazer, prática de exercícios, religião e atitude positiva. Na segunda fase deste estudo participaram 96 sujeitos, correspondendo a aproximadamente 50% do quadro de pessoal da Delegacia, com os objetivos de analisar o suporte social percebido, a satisfação com o suporte social, o nível de estresse e sua manifestação sintomática na amostra; e investigar a relação entre a percepção de suporte social, as características biográficas e os sintomas de estresse relatados. O instrumento auto-administrável continha questões sobre dados biográficos e profissionais, o Inventário de Sintomas de Stress para Adultos e o Questionário de Suporte Social. As respostas foram digitadas em planilha do programa SPSS for Windows®, versão 11.0, para proceder às análises. Os resultados indicaram mais de 50% dos participantes com estresse, já em fase de resistência/quase exaustão ou exaustão. Nas análises de cruzamento de variáveis, verificou-se que no grupo de sujeitos com grau de escolaridade superior, a maioria apresentou estresse; e que quanto maior a carga horária semanal, maior o nível de estresse. Quando se analisou o tipo de sintoma de estresse, verificou-se que entre os 51 sujeitos que apresentaram estresse, 25 tiveram predominância de sintomas psicológicos e 20 mostraram predominância de sintomas físicos, de acordo com a tabela de correção do ISSL. O Questionário de Suporte Social Percebido (SSQ-N) indicou que a maioria percebe, em média, duas pessoas como suportivas e que estão entre razoavelmente satisfeito e um pouco satisfeito com este suporte. As ANOVAs mostraram diferença entre as médias em suporte social do grupo de sujeitos sem estresse, em comparação com aqueles na fase de resistência/quase exaustão e os que estão na fase de exaustão, de modo que quanto menor o suporte social percebido, mais grave a fase de estresse em que o sujeito se encontra. Entretanto, esta diferença não foi significativa para o Índice N, representativo do número médio de pessoas percebidas como suportivas nas diversas situações do SSQ-N. Quanto à satisfação com o suporte social (Índice S) verificou-se que quanto maior a satisfação com o suporte social, menor o nível de estresse. O suporte social percebido (Índice N) correlacionou-se negativamente com as três medidas de sintomas de estresse do ISSL, indicando que quanto maior o número de pessoas suportivas, menor a quantidade de sintomas indicados pelo sujeito. A satisfação com o suporte social (Índice S) correlacionou-se positivamente com os sintomas de estresse nos três períodos, de modo que quanto mais satisfeito o sujeito com o suporte social percebido, também menor o número de sintomas de estresse indicados, confirmando-se, assim, as hipóteses principais deste estudo. Foi possível concluir que a metodologia utilizada permitiu um diagnóstico organizacional que extrapola a questão da saúde/estresse, ao identificar problemas na infra-estrutura do trabalho, na organização das tarefas e no relacionamento entre os funcionários e destes com a sociedade. Retomando o conceito e os níveis de análise do Comportamento Organizacional, este estudo confirma que o estresse no trabalho é uma questão individual, de grupo e da organização.
Abstract: Studies about policemen point out that they constitute one of the professional groups with the highest rate of stress. So, this study was developed aiming to evaluate occupational stress factors and to relate stress with social support in a sample of civil policemen of a Public Safety Police Station. The study was developed in two phases, in which different methodologies were adopted. On phase one, forty policemen participated as volunteers and we tried to identify the general stressing factors of the policemen work and to investigate the forms of dealing with stress, using a semi-structured interview. After content analysis, 222 answers on occupational stressors were obtained and they were classified in 18 categories related to work characteristics, relationship with colleagues and superiors, the police negative image by society and media, and lack of legal and governmental support to the police work. The strategies used to deal with stress produced 86 answers, so that the majority uses the symptoms management, as self-control, family support, leisure, exercises practice, religion and a positive attitude. On the phase two 96 subjects participated, corresponding to approximately 50% of the Police Station staff, with the objectives of analyzing the social support, the stress level, and its symptoms as reported. The instrument was self-answered and had questions about demographic and professional data, the Stress Symptoms Inventory for Adults and the Social Support Questionnaire. The answers were typed on SPSS for Windows to proceed the analysis. The results indicated that over 50% of the sample was diagnosed with stress, already on resistance/nearly exhaustion or exhaustion phase. On the variables crossing analysis, it was verified that most of the higher educated group of subjects showed stress and the higher the working hours of the week, the higher the stress level. When the kind of stress symptom was analyzed, it was verified that among the 51 subjects that were stressed, 25 had mostly psychological symptoms and 20 had mostly physical symptoms, according to the correction table of ISSL. The Perceived Social Support Questionnaire (SSQ-N) indicated that the majority perceives two people as supportive and they are between reasonably satisfied and a little satisfied with this support. The ANOVAs showed difference between the averages in social support of the not stressed group, in comparison to those on the resistance/nearly exhaustion phase and the ones on the exhaustion phase. So, the least social support they perceive, the worse the stress phase they are. However, this difference was not significant for the N index, which represents the average number of people perceived as supportive on all the situations of the SSQ-N. Concerning the social support satisfaction (S index), it was verified that the more satisfied with social support, the less stressed. The perceived social support (N index) correlated negatively to the three measurements of stress symptoms from ISSL, indicating that the larger the number of supportive people, the smaller the amount of symptoms the subject points. The satisfaction with the social support (S index) correlated positively with the stress symptoms on the three periods, so the more satisfied the subject was with the social support perceived, also smaller the number of stress symptoms, which confirms the main hypothesis of this study. It was possible to conclude that the methodology used allowed an organizational diagnosis that overcomes the health/stress issue, by the identification of problems on the infrastructure of work, on the tasks organization and on relationship among staff and theirs towards society. Keeping in mind the concept and the levels of analysis of Organizational Behavior, this study confirms that work stress is an individual, group and organizational matter.
Keywords: Estresse
Suporte social
Policial civil
Stress
Social support
Civil policemen
Estresse ocupacional
Comportamento organizacional
Area (s) of CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Language: por
Country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
Institution Acronym: UFU
Department: Ciências Humanas
Program: Programa de Pós-graduação em Psicologia
Quote: COLETA, Alessandra dos Santos Menezes Dela. Estresse e suporte social em profissionais do setor de segurança pessoal e patrimonial. 2007. 171 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2007.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17245
Date of defense: 15-Feb-2007
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ASMDColetaDISSPRT.pdf638.98 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.