Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17085
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Os impasses na clínica psicanalítica: a interpretação e os corpos na contemporaneidade
metadata.dc.creator: Rodrigues, Priscila Almeida
metadata.dc.contributor.advisor1: Romera, Maria Lucia Castilho
metadata.dc.contributor.referee1: Silva, Luiz Carlos Avelino da
metadata.dc.contributor.referee2: Barone, Leda Maria Codeço
metadata.dc.description.resumo: O presente trabalho tem como objetivo estudar sobre os impasses na clínica psicanalítica a partir da clínica com pacientes que apresentam dores corpóreas. Tal investigação se erigiu a partir dos impasses no atendimento a paciente diagnosticados do ponto de vista orgânicofisiológico com Fibromialgia. Tal doença nos remete a pensar em um estranhamento sem representação ou num corpo em palavra. Esta toma a dimensão do corpo cujo reconhecimento advém tão somente das terríveis dores e amarguras. Sujeitos que circulam em função da dor e caminham de clínica em clínica, de profissionais a profissionais, de medicação a medicação numa tentativa de esgotamento de todas as possibilidades de restituição de algo que perderam. Um corpo em evidência que denuncia um sujeito em busca de sentidos. Uma dor que não encontra expressão verbal ou uma via que possa nomeá-la. Também são tomados em consideração os impasses vivenciados por diferentes autores como Freud, Melaine Klein, Lacan e Fábio Herrmann, dentre outros. Específicas formas de apreensão do corpo foram consideradas. O método balizador da presente pesquisa foi o método psicanalítico e o referencial teórico foi o da Teoria dos Campos. Esta considera que o mundo participa de cada pensamento do indivíduo e determina como o sujeito é constituído. Uma psique que não é de nossa fabricação pessoal, mas que é criada no real e desenvolve suas propriedades historicamente, sendo infundida no indivíduo por seu tempo e sua cultura. A questão deste trabalho diz respeito à articulação da estreiteza entre sujeito e mundo e como a clínica ou qual clínica pode responder a isso ou a essa demanda. Estaria a clínica padrão sendo colocada em crise pelo manifesto sem concessão de um corpo estilhaçado? Haveria possibilidade de uma clínica que tomasse em consideração tal estreitamento, ou seja, que pudesse ver o mundo nos interstícios do corpo doído ou doido? A clínica que responde a tais questões denominou-se clínica do real. O mundo se faz presente no corpo e o aprisiona. Denuncia-se ou anuncia-se a fragilidade humana exposta no corpo em dor. O mundo ou o pensamento do mundo atravessa o corpo e este o espelha de forma convexa e o escancara como se fora um disfarce.
Abstract: This work has the objective to study the differences in the psychoanalytic clinic from the clinic of patients who present body aches. This investigation came up because of the questionings in the analysis of patients diagnosed with Fibromyalgia according to the organicphysiologic point of view. This disease makes us think on strangeness without representation or on a body without words. The former gives the dimension of the body which the knowledge comes only from the horrible pain e sadness. Subjects that roam around based on the pain go from clinic to clinic, from professional to professional, from medication to medication; in one attempt to wear out all the possible ways of getting back something they have lost. A body in evidence that clearly shows a person in search of senses. A pain that does not find a verbal expression or a way to name it. It is also taken under consideration the impasses of different authors like Freud, Melanie Klein, Lacan and Fabio Herrmann, among others. Specific forms of body apprehension were considered. The base method of the research was the psychoanalytic and the theoric reference was the Campos Theory. This one considers that the world takes part in every individual thought and determines what the subject is made of. A psyche that is not our own, but that is created in the real world and historically develops its characteristics, being incrusted in the person on the right time and culture. The question of this work refers to the articulation of the shortness between the subject and the world and how the clinic and which clinic can solve this problem or this demand. Would the regular clinic be in crisis because of the manifesto without reason of a ripped body? Would it be possible to have a clinic that takes under consideration this narrowness, in other words, that could see the world through the eyes of a body in pain or in madness? The clinic that answers all these questions was named real clinic. The world becomes present in the body and locks it. The human fragility is announced or reported, exposed in the ache body. The world or the world thought gets through the body and this one reflects itself in a convex way shows it up as it was a disguise.
Keywords: Corpo
Contemporaneidade
Dor
Body
Psychoanalysis
Contemporaneity
Pain
Psicanálise
Cultura
Corpo e mente
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Humanas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Psicologia
Citation: RODRIGUES, Priscila Almeida. Os impasses na clínica psicanalítica: a interpretação e os corpos na contemporaneidade. 2009. 156 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2009.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17085
Issue Date: 13-Nov-2009
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
priscila.pdf1.16 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.