Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/16462
Document type: Dissertação
Access type: Acesso Aberto
Title: Práticas sociais, memórias e vivências no combate à lepra: isolamento compulsório em asilos-colônia e preventórios brasileiros 1935 a 1986
Author: Silveira, Bruna Alves
First Advisor: Morais, Sérgio Paulo
First member of the Committee: Almeida, Paulo Roberto de
Second member of the Committee: Pereira, Liliana Patrícia Lemus Sepúlveda
Summary: Este estudo apresenta uma discussão acerca das práticas sociais que instituíram o isolamento compulsório em asilos-colônia e preventórios, das pessoas acometidas pela lepra e seus filhos indenes. Prática que foi considerada a principal medida de combate a doença, adotada pelo governo brasileiro de meados de 1930 a 1986, período compreendido pela pesquisa. Nesse período, havia uma campanha publicitária que propagava a possibilidade de uma qualidade de vida ímpar, com o objetivo de incentivar a internação do máximo de doentes . De fato, os asilos-colônia foram projetados e construídos para que todas as necessidades dos leprosos fossem atendidas no isolamento, ficando os mesmos completamente afastados da cidade e da parcela sadia da sociedade. Prestação de serviços básicos como moradia e alimentação, realização de diversos eventos sociais, atividades de lazer e cultura foram devidamente registradas por diferentes mídias e também confirmada pelos próprios internos da época. Era praticamente uma vida sem ônus para os moradores desse espaço. Entretanto, toda essa qualidade de vida, devidamente estruturada, não foi suficiente para compensar uma vida de confinamento e privações sociais. Entrevistas, documentários, fotografias e até poesias escritas por ex-interna depõem contra práticas autoritárias e higienistas, em nome das quais muitos sujeitos perderam suas famílias, tiveram casas incendiadas, foram capturados pela polícia sanitária como criminosos, sendo assim subtraídos de suas próprias vidas e do seio da sociedade . Tais práticas sociais trouxeram prejuízos irreparáveis nos aspectos sociais, psicológicos, financeiros e morais. Produziram memórias de horror, marcadas pelo medo, pela insegurança, frustração, dor e diversos traumas. Apesar de o isolamento ter se extinguido oficialmente em meados de 1986, ou seja, a terminologia da doença ter sido substituída oficialmente por hanseníase, por força de lei, e do governo ter concedido pensão especial de caráter indenizatório aos sujeitos que foram isolados em função da doença, essas memórias ainda se encontram em disputa, seja na elaboração e reelaboração das experiências vivenciadas no isolamento, na luta pelo direito a essa memória, que muitas vezes se materializa na preservação patrimonial dos antigos asilos ou até na criação de museus dentro desses espaços. Disputa que também se dá na luta do reconhecimento e por indenização para os filhos que foram privados da companhia dos pais, fato que repercutiu na trajetória de suas vidas ou na busca de novas práticas sociais, que, espera-se, se dissociem da ideia da lepra e se aproximem dos conceitos atuais sobre a hanseníase.
Abstract: This study represents a discussion about the social practices that are found on compulsory isolation, in asylums-cologne and preventions, of affected people through leprosy and healthy children. A practice that was considered the principal measure of fighting the disease, which was adopted by the Brazilian government from 1930 to 1986, period understood by the research. There was a public campaign that propagated the possibility of a unique quality of life, such as the objective of encouraging the hospitalization of the maximum of the \"sick\"as possible. As a matter of fact, the asylums-cologne were designed and constructed for that all of the necessities of the \"lepers\" were answered within the insulation. Those lepers stayed completely far away from the \"city\" and the \"healthy\" part of society. The provision of basic services such as housing and food, the performance of various social events, leisure activities and culture had been properly registered through different measures and was also confirmed by their own \"internal\" of the season. It was practically a life without burden for the residents of this area. Therefore, all of these qualities of life that are properly structured, was not sufficient to compensate for a life of confinement. Interviews, documentaries, photos and even poems written by \"ex-internal\" militate against authoritarian practices and hygienists, on behalf of which many subjects have lost their families, had homes torched, were caught by the police health as criminals, being thus robbed of their own lives and from the bosom of \"society\". Such social practices brought irreparable damage, on aspects of the social, psychological, financial and moral. Produced memories of horror, marked by fear, insecurity, frustration, pain and various traumas. Despite the isolation have become officially extinct in mid-1986, the terminology of the disease have been replaced officially by Hansen\'s disease by force of law, and the government has granted special pension indemnity of character to the subjects who were isolated on the basis of the disease, these memories that are still in dispute. It is in the development and redevelopment of experiences in isolation, in the fight for the right to this memory, which often manifests itself in patrimonial conservation of the old asylums or until the creation of museums within these spaces. Acknowledgement and for compensation for the children who have been deprived of the company of country, a fact that reverberated in the trajectory of their lives or in the search of new social practices, decoupling the idea of leprosy and approaching the current concepts about leprosy.
Keywords: Lepra
Isolamento
Memórias
Hanseníase
Leprosy
Insulation
Memories
Saúde e história
Hanseníase - Hospitais - História
Hanseníase - História
Saúde pública - Brasil - História
Area (s) of CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::HISTORIA
Language: por
Country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
Institution Acronym: UFU
Department: Ciências Humanas
Program: Programa de Pós-graduação em História
Quote: SILVEIRA, Bruna Alves. Práticas sociais, memórias e vivências no combate à lepra: isolamento compulsório em asilos-colônia e preventórios brasileiros 1935 a 1986. 2013. 159 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2013.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/16462
Date of defense: 30-Jul-2013
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - História

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PraticasSociaisMemorias.pdf4.31 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.