Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/16435
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title:  Bom mesmo é ser metalúrgico : vivências de trabalhadores metalúrgicos na cidade de São José dos Campos - SP
metadata.dc.creator: Medeiros, Mônica Xavier de
metadata.dc.contributor.advisor1: Almeida, Paulo Roberto de
metadata.dc.contributor.referee1: Almeida, Antônio de
metadata.dc.contributor.referee2: Bosi, Antônio de Pádua
metadata.dc.description.resumo: Esta dissertação pretende analisar como trabalhadores metalúrgicos em São José dos Campos vivenciaram e, através de suas experiências, interpretaram as transformações que ocorreram tanto na cidade (com o processo de urbanização) como no trabalho (com o processo de industrialização e reestruturação da produção) a partir da década de 70 até os dias de hoje. Dialogando com as narrativas orais de trabalhadores metalúrgicos que viveram e vivem este processo, percebemos como estes significam as mudanças que ocorreram nos seus modos de vida e trabalho na cidade. Esta dissertação também analisa fontes escritas como jornais da imprensa local de São José dos Campos e o jornal editado pelo sindicato da categoria, O Metalúrgico , principalmente a coluna Dito Bronca , que é um espaço para o qual o trabalhador envia reclamações e denúncias do seu dia-a-dia. Embora a maioria das reclamações seja sobre o que ocorre no processo de trabalho dentro das fábricas, como denúncias sobre os chefes de seção, há evidências que nos trazem a dimensão do viver destes metalúrgicos fora do local de trabalho como a dificuldade de trabalhar longe do local de moradia e as disputas destes trabalhadores pelo lazer. Procurei abordar as ações destes trabalhadores tanto no espaço fabril, de trabalho, como no seu local de moradia, nos bairros. Isto implica a análise do viver destes metalúrgicos, onde não apenas as ações tais como greves e manifestações são evidenciadas, mas também as lutas por melhorias no bairro, o lazer, as expectativas de vida, o ritmo de trabalho, a alimentação, dentre outras. Esta dissertação organiza-se em três capítulos que tratam basicamente: O primeiro capítulo acompanha as trajetórias de vida e trabalho destes metalúrgicos articulando-as ao processo de urbanização da cidade de São José dos Campos; O segundo capítulo analisa as transformações do processo de trabalho nas fábricas referenciadas nas experiências destes trabalhadores. O terceiro capítulo aborda os significados das lutas e da organização de metalúrgicos nestes tempos de profundas mudanças na cidade.
Abstract: This dissertation aims at analysing how metallurgy workers in São José dos Campos perceived and, through their experiences, interpreted changes happening in the city (along with urbanization process) as well as in their work (along with industrialization and production restructure process) from the seventies until today. By connecting to oral narratives of metallurgy workers who lived end live this process, we understand how they interpret changes to their way of life and work in the city. This dissertation also analyses written sources like São José dos Campos local press news and metallurgy syndicate s newspaper, O Metalúrgico , mainly in the Dito Bronca section, a space where workers send their complaints and denunciation about daily life facts. Although most of their complaints are about what goes inside the workplace in the industry, denunciation about their immediate chiefs, there is evidence about the living dimension of these metallurgy workers out of their workplace as the problem of working far from home and the worker s disputes for leasure. I looked forward to facing these workers actions in the working place, as well as their home place, in the suburbs. This leads to the analysis of their living habits, of which not only strikes and manifestations are evident, but also their fight for improvements in the quarter, leasure, expectations, rhythm of work, feeding, among others. This dissertation is organized in three chapters: Chapter I: Follows the life and work paths of these metallurgy workers connecting them to the urbanization process of their city, São José dos Campos; Chapter II: Analyses the transformation process of the work in the industry, referenced by the experiences of theses workers. Chapter III: Deals with their significant fight and organization in times of deep changes in the city.
Keywords: Metalúrgicos
Sindicalismo
Reestruturação produtiva
História social
Metalúrgicos - São José dos Campos (SP)
Trabalhadores - São José dos Campos (SP)
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::HISTORIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Humanas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em História
Citation: MEDEIROS, Mônica Xavier de. Bom mesmo é ser metalúrgico : vivências de trabalhadores metalúrgicos na cidade de São José dos Campos - SP. 2006. 131 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2006.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/16435
Issue Date: 24-Aug-2006
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - História

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MXMedeirosDISSPRT.pdf1.29 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.