Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/16315
metadata.dc.type: Tese
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Anarquismos e formas de subjetivação nas escritas da história
metadata.dc.creator: Monteiro, Fabrício Pinto
metadata.dc.contributor.advisor1: Seixas, Jacy Alves de
metadata.dc.contributor.referee1: Almeida, Antônio de
metadata.dc.contributor.referee2: Avelino, Gilvanildo Oliveira
metadata.dc.contributor.referee3: Noronha, Gilberto Cezar de
metadata.dc.contributor.referee4: Romani, Carlo Maurizio
metadata.dc.description.resumo: Esta tese possui como principal problemática as relações construídas por autores/militantes anarquistas entre suas escritas da história, propostas políticas para a sociedade atual e suas formas de subjetivação, elaboradas junto ao processo de escrita. Na primeira parte da pesquisa, o foco central do debate envolve autores atuantes no Brasil e a nós contemporâneos, dentre eles Edgar Rodrigues e, vinculados de alguma forma ao chamado anarquismo pós-estruturalista , Edson Passetti e Nildo Avelino. Para a discussão dessa problemática, alguns temas e debates ganharam destaque ao longo da pesquisa, como a construção de memórias e esquecimentos nas escritas anarquistas da história, a noção de contemporâneo e a apropriação, via elaborações de memória, do pensamento de autores não-anarquistas, como Max Stirner, Friedrich Nietzsche e Michel Foucault, para a construção de propostas políticas por militantes ácratas. A segunda parte da tese é composta por três ensaios que objetivam contribuir para a reflexão sobre possíveis formas de história social libertária. Três diálogos foram escolhidos como mote problematizador: Mikhail Bakunin e demais revolucionários (ou reformadores) da Liga da Paz e da Liberdade e da Associação Internacional dos Trabalhadores, entre as décadas de 1860 e 1870; o por vezes ácido debate entre Ludwig Feuerbach, Max Stirner e Karl Marx, na primeira metade do século XIX e, em um recuo cronológico mais longo, o debate entre os gregos Parmênides, Górgias e Aristóteles.
Abstract: This thesis has as main goal the discussion about the relationships built by author/anarchist militants among its written history, policy proposals for the current society and its forms of subjectivity. In the first part of the thesis, the central focus of the debate involves active authors in Brazil and we contemporaries, among them Edgar Rodrigues and - somehow linked to the so-called \" poststructuralist anarchism\" - Edson Passetti and Nildo Avelino. For discussion of this problem, some issues and debates have gained prominence throughout the research, such as the construction of memories and oblivion in anarchist writings of history, the notion of contemporary and ownership via elaborations of memory, the thought of non-anarchist authors, as Max Stirner, Friedrich Nietzsche and Michel Foucault, for the construction of policies proposed by anarchist militants. The second part of the thesis consists of three essays that aim to contribute to the reflection on ways of libertarian social history. Three dialogues were chosen as problematizing motto: Mikhail Bakunin and other revolutionaries (or reformers ) of the League of Peace and Freedom and the International Workers Association, between the 1860s and 1870s; the sometimes acid debate between Ludwig Feuerbach, Max Stirner and Karl Marx, in the first half of the nineteenth century and, in a longer chronological retreat, the debate between Parmenides, Gorgias and Aristotle.
Keywords: Anarquismo
Escrita da História
Subjetivação política
Memória e esquecimento
Anarchism
Writing History
Politics subjectivity
Memory and oblivion
História social
Anarquismo e anarquistas
Historiografia
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::HISTORIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Humanas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em História
Citation: MONTEIRO, Fabrício Pinto. Anarquismos e formas de subjetivação nas escritas da história. 2014. 248 f. Tese (Doutorado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2014.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/16315
Issue Date: 29-Jan-2014
Appears in Collections:TESE - História

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AnarquismosFormasSubjetivacao.pdf1.8 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.