Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/16142
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: As imagens do sertão na literatura nacional: o projeto da modernização territorial brasileira a partir dos romances regionalistas da geração de 1930
metadata.dc.creator: Leitão Júnior, Artur Monteiro
metadata.dc.contributor.advisor1: Souza, Rita de Cassia Martins de
metadata.dc.contributor.referee1: Straforini, Rafael
metadata.dc.contributor.referee2: Gomes, Gláucia Carvalho
metadata.dc.description.resumo: Pautado no entrecruzamento possível entre a Arte e a Ciência mais precisamente, entre a Geografia e a Literatura , esta pesquisa pretende fornecer uma análise de como a ideia de Sertão é construída discursivamente ao longo das obras mais representativas dos romances regionalistas da Segunda Geração Modernista também conhecida como Geração de 1930. Considerando legítimas as relações entre os textos literários e a consciência (e produção) do espaço e encarando os literatos enquanto intelectuais e indivíduos expressivos (GOLDMANN, 1979), torna-se possível a construção de um painel do modo de abordagem valorativa do Sertão nacional (imagens positivas, negativas ou para além dessas versões dualistas) relacionado aos projetos estatais-nacionais de formação e modernização do território brasileiro os quais, em grande parte, foram tratados, durante a Era Vargas (1930-1945), sob a insígnia da modernização do Sertão (ou dos sertões). Configurando-se mais como uma condição (um qualificativo básico imposto, implicando no processo de valoração de dadas situações locacionais) do que propriamente um local (materialidade terrestre localizável, passível de ser delimitada e cartografada), o Sertão abriga, ao longo da história, diferentes discursos valorativos referentes ao espaço (ideologias geográficas), em geral, mas não necessariamente, negativos. Assim, nada ingênuo, o qualificativo sertanejo designa, portanto, um qualificativo dos lugares, sempre acompanhado de projetos (historicamente assentados em palavras de ordem como povoação, civilização ou modernização), com vistas à incorporação de tais espaços ao escopo da economia nacional. Partindo desse pressuposto e buscando perseguir o objetivo acima elencado, foram selecionadas e analisadas obras representativas dos autores canônicos Rachel de Queiroz, Graciliano Ramos, José Lins do Rego e Jorge Amado do momento histórico-literário em foco, tencionando perscrutar em que medida tais literatos forjaram imagens sobre os seus sertões literários que, total ou parcialmente, justificassem as intenções intervencionistas sob os signos da modernização para a consolidação de um Estado central no território brasileiro.
Abstract: Guided in the possible intersection between Art and Science more precisely, between Geography and Literature , this research aims to provide an analysis of how the idea of Sertão is discursively constructed along of the most representative opus of the Second Modernist Generation s also known as the Generation of 1930 regionalist novels. Considering legitimate the relationships between literary texts and spatial awareness (and production), and conceiving the literates as intellectuals and expressive individuals (GOLDMANN, 1979), it becomes possible to construct a panel about the mode of evaluative broach of the national Sertão (positive, negative or beyond these dualistic versions images), related to the national-state projects of formation and modernization of the Brazilian territory which, largely, were treated, during de Vargas Era (1930-1945), under the badge of Sertão s (or hinterland s) modernization. Being configured more as a condition (a basic qualifying imposed, implying in the valuation process of given locational situations) than a strictly place (localizable terrestrial materiality, which can be defined and mapped), the Sertão hosts, along the History, different evaluative discourses about the space (geographical ideologies), usually, but not necessarily, negatives. Therefore, nothing ingenuous, the backcountry qualifying indicates, thus, a qualifying of some terrestrial spots, always accompanied by projects (historically established in slogans such as settlement, civilization or modernization), aiming the incorporation of such spaces to the scope of the national economy. Based on this assumption and pursuing the goal listed above, were selected and analyzed representative opus of canonical authors Rachel de Queiroz, Graciliano Ramos, José Lins do Rego and Jorge Amado of the literary-historical moment in focus, intending to scrutinize in which extension these writers forged images about theirs literary hinterlands that, in whole or in part, justify the interventionist intentions under the signs of modernization to the consolidation of a central State in the Brazilian territory.
Keywords: Sertão
Segunda geração modernista
Discursos literários
Modernização
Projetos estatais-nacionais
Era Vargas (1930-1945)
Discourses
Modernization
State-national projects
Vargas era (1930-1945)
Geografia na literatura
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::GEOGRAFIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Humanas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Geografia
Citation: LEITÃO JÚNIOR, Artur Monteiro. As imagens do sertão na literatura nacional: o projeto da modernização territorial brasileira a partir dos romances regionalistas da geração de 1930. 2012. 397 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2012.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/16142
Issue Date: 1-Jun-2012
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Geografia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
d.pdf6.28 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.