Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/16009
metadata.dc.type: Tese
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Brejos dos Crioulos no sertão norte mineiro: desordem e rearranjos em territórios relacionais
metadata.dc.creator: Salgado, Hebert Canela
metadata.dc.contributor.advisor1: Santos, Rosselvelt José
metadata.dc.contributor.referee1: Almeida, Maria Geralda de
metadata.dc.contributor.referee2: Cleps Junior, João
metadata.dc.contributor.referee3: Silva, Vicente de Paulo da
metadata.dc.contributor.referee4: Silva, Cássio Alexandre da
metadata.dc.description.resumo: O estudo de doutoramento, inserido no contexto das leituras geográficas territoriais destaca o contexto socioespacial de novos sujeitos políticos que buscam requalificar seus espaços de vida por meio do enfrentamento diversos, na apropriação dos espaços de reconhecimento. Na ocupação das esferas de poder e, no movimento dos diversos relacionamentos, processos territoriais consolidam a reprodução social, material e simbólica da comunidade. Consequente o reconhecimento, a titulação e legitimação do território se manifesta como desafio. A tese apresenta o Brejo dos Crioulos como território relacional a partir da pesquisa de campo, documental e bibliográfica, nos registros, na participação, percepções e observações das relações, aproximações, distanciamentos, representações e experiências ambientadas, nos últimos quatro anos junto ao território e, às relações nele processadas, no contexto dos conflitos agrários, da validação de direitos constitucionais e no exercício de cidadania em meio à luta pelo direito à manutenção de seu cotidiano, seus meios de vida, modos de produção, relações, identidade e cultura, com foco na vida que guarda o lugar-território‟ Brejo dos Crioulos, por eles pronunciado. O objetivo da pesquisa se volta a análise de como a heterogeneidade dos territórios quilombolas pode ser lida no espaço geográfico, considerando as especificidades entre propriedade, apropriação, território e territorialidades, no contexto da homogeneização espacial pela globalização. As reflexões à luz da Geografia apontam para uma imersão nas compreensões sobre processos territoriais regionais, que resultam historicamente da diáspora dos negros no Norte de Minas para uma reflexão acerca da produção do território tradicional quilombola Brejo dos Crioulos no espaço da luta, a partir das relações estabelecidas em diversos campos de poder, espacializados no contexto da questão quilombola no Brasil. O poder simbólico materializado frente à opressão histórica do latifúndio e à flexibilização por parte do Estado brasileiro de direitos territoriais dos povos e comunidades tradicionais em um trecho do Sertão Gerais elabora novos espaços para a reflexão sobre direitos coletivos e garantias constitucionais. No contexto é entendido que a produção espacial do que é apresentado como lugar-território Brejo dos Crioulos se dá pela propriedade relacional do território nas multidimensionalidades do espaço vivido e dos usos do território. A paisagem cultural de sua identidade espacial, seus conteúdos existenciais, produtores e articuladores de poder dão potência aos desdobramentos espaciais e à expansão de novas fronteiras. Da fusão dos espaços brejeiro e crioulo, o território relacional é então projetado como síntese do conteúdo social e das formas espaciais que traduzem sua existência. Nesse caso, compreender o as relações de fronteira entre espaços mercantilizados para as desordens e territórios desmercantilizados que a partir de suas identidades espaciais produzem o desdobramento de suas existências por meio da ação geográfica crítica que resulta no território relacional.
Abstract: PhD study, inserted in the territorial geographic reading studies highlights the social spatial context of new political subjects seeking to requalify their life space through diverse confronts, in the appropriation of recognition spaces. Occupying positions of power, and in many relationships, territorial processes consolidate the social, material and symbolic reproduction of the community. Consequent the territory recognition, titration and legitimacy manifested as a challenge. The thesis presents the Brejo dos Crioulos as a relational territory from field research, documental and bibliographic research, in the participation, perceptions and observation of relations, approaches, distances and acclimated experiences, in the last four years of the territory and, its relation processes, in the context of land conflicts, validation of constitutional rights and in the exercise of citizenship through the struggle for the right to maintain their daily routine, their ways of life, production modes, relations, identity and culture, focused on life that keeps the place-territory‟ called by them Brejo dos Crioulos. This research is intended to analyze how the heterogeneity from quilombolas‟ territory can be read in the geographic space, considering the specialties between propriety, appropriation, territory and territorialities, in the context of spatial homogenization by globalization. The geographic aspects indicates an immersion in the comprehension of the regional territorial processes, resulting historically from the diaspora of the black people from the north of Minas to a reflection about the production of the Brejo dos Crioulosquilomba traditional territory in the space of struggle, from relations established in many power fields, specialized in the in the context of the quilombola issue in Brazil. The symbolic power materialized regarding the historic oppression of the land property and the flexibility of the Brazilian state of territorial rights from traditional people and communities in part of the SertãoGerais creates new opportunities for reflection about collective rights and constitutional assurances. In this context it is understood that the spatial production from what is presented as place-territory‟ Brejo dos Crioulos is a result of the relational propriety of the territory in the multi dimensionalities from the space lived and the used territory. The cultural landscape of its spatial identity, its existential content, producers and power managers feeds the spatial developments and the expansion of new frontiers. From the fusion of the brejeiro and crioulo space, the relational territory is then designed as a synthesis of social content and the spatial forms that translates its existence. In this case, comprehend the frontier relations between commoditized spaces for the disorders and not commoditized territories that from its spatial relations produces the development of its existence by the critic geographic action resulting in the relational territory.
Keywords: Brejos dos Crioulos
Território
Território relacional
Ação
Territory
Relational territory
Geography
Action
Geografia humana - Minas Gerais
Comunidades agrícolas - Brejo dos Crioulos - Minas Gerais
Quilombos - Vida e costumes sociais
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::GEOGRAFIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Humanas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Geografia
Citation: SALGADO, Hebert Canela. Brejos dos Crioulos no sertão norte mineiro: desordem e rearranjos em territórios relacionais. 2015. 738 f. Tese (Doutorado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2015.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/16009
Issue Date: 30-Jan-2015
Appears in Collections:TESE - Geografia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
BrejosCrioulosSertao.pdf11.08 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.