Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/15915
metadata.dc.type: Tese
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Movimentos partidos: geopolíticas da revolução brasileira (1964-1985)
metadata.dc.creator: Braga, Sandra Rodrigues
metadata.dc.contributor.advisor1: Vlach, Vânia Rubia Farias
metadata.dc.contributor.referee1: Machado, Lia Osorio
metadata.dc.contributor.referee2: Ramires, Julio Cesar de Lima
metadata.dc.contributor.referee3: Cardoso, Heloisa Helena Pacheco
metadata.dc.contributor.referee4: Silva, Antônio Ozaí da
metadata.dc.description.resumo: O advento do regime burocrático-militar, em 1964, permitiu que a geopolítica uma nova forma de racionalização e tecnificação do território, discurso e ação do poder ocupasse posição central na arena política. A otimização do território, com vistas à reprodução ampliada do capital, fez-se graças a um planejamento autoritário, que produziu uma nova divisão socioterritorial do trabalho. A volta dos militares aos quartéis, após 21 anos à frente do Estado brasileiro, todavia, não representou um recuo desse projeto geopolítico. Ao contrário, o que esta tese pretende demonstrar é que o plano distensionista, desencadeado pelo general-presidente Ernesto Geisel, em 1974, teve por objetivo último a manutenção do Grande Projeto, utilizando-se da política trabalhista como um de seus instrumentos. A questão trabalhista tornara-se delicada pela contribuição dos trabalhadores (por intermédio do arrocho salarial) na conformação do milagre brasileiro. Assim, a primeira das três partes deste trabalho O longo milagre, seus santos e epifanias analisa as políticas econômicas do regime. Tais políticas marcaram-se pela luta contra a inflação e pela ideologia desenvolvimentista, sucedânea do imaginário geopolítico do Brasil Grande (potência): no contraponto do paraíso da classe média, a contenção salarial do exército industrial de reserva, até o limite da fome. Nesse contexto, a revolução do generalato começou a enfrentar a oposição de outras imagens da revolução, conforme demonstrado na segunda parte da tese Adeus às armas . Essa parte inaugura-se com uma discussão teórica sobre partidos, sindicatos e o movimento operário, prosseguindo com a análise da situação da classe trabalhadora no Brasil, suas distintas organizações, projetos societários e formas de enfrentamento do regime. O combate do establishment a essas organizações deu-se, essencialmente, no terreno da geopolítica, ou seja, por mecanismos de controle sobre territórios materiais ou simbólicos. Para colocar a casa em ordem, o regime utilizou-se de instrumentos de repressão física (a comunidade da informação) e simbólica (a ocultação da resistência ) e, opondo-se à concepção maoísta do cerco do campo pela cidade, desencadeou o cerco da cidade pelo campo. Os objetivos essenciais desse boom urbano eram geopolíticos: a integração do arquipelágico território nacional, para não o entregar a Estados e ideologias exóticas . As cidades promoveram um novo modus vivendi e demandas, exponencialmente ampliadas, de acesso a um padrão superior de consumo. Posto que a autocrítica da luta armada se centrasse no caráter pequeno-burguês de suas lideranças, o surgimento de Lula, um operário à frente da poderosa onda grevista do interregno 1978-1980, foi tomado como impulsionador de um novo patamar de organização dos trabalhadores, o que, posteriormente, se consubstanciaria no PT e na CUT. Na terceira parte Em busca da democracia perdida retoma-se o debate teórico sobre as transições democráticas e as especificidades da brasileira. Finalmente, a política trabalhista de Geisel é revisitada, tal qual sua reação às greves do período. Lula apregoava apenas a maximização da produtividade do trabalho sob o capitalismo, em suma, o exercício da liberdade com responsabilidade , defendido por Geisel. Conclui-se que Lula e seu partido revelaram-se poderosos antídotos à doença incurável do comunismo, alvo primeiro dos geopolíticos militares brasileiros.
Abstract: The bureaucratic-military regimen of 1964 allowed geopolitics a new way of rationalization and technicality of the territory, discourse and power action as well to occupy a central position in the political arena. The territory optimization, aiming at the enlarged reproduction of the capital was carried out thanks to an authoritarian planning that produced a new socioterritorial segmentation of the work. The returning of the military to the headquarters, after twenty-one years commanding the Brazilian State, however, did not represent a backward movement of this geopolitical project. On the contrary, what this thesis intends to demonstrate is that the plan of political opening carried out by General-President Ernesto Geisel, in 1974, had as its main objective to maintain the Great Project, and for that he used the workers politics as one of his tools. The workers issue had become delicate because of the contribution of the workers (by means of salary difficulties) in the conformation of the Brazilian miracle . This way, the first section of this work The long miracle, its saints and epiphanies analyses the regimen economic policies. Such policies were marked both by the fight against inflation and the developmental ideology, that replaced the geopolitical imaginary of Brazil Great (Potency): in the counterpart of the paradise of the medium social class, the salary contention of the industrial army of reserve, up to the limit of hunger. In this context, the revolution of the general state began to face opposition of other images of revolution, as it is showed in the second section of the thesis Goodbye Weapons . This section is a theoretical discussion on parties, syndicates and the workers movement. It follows with the analysis of the situation of the workers social class in Brazil, its different organizations, social projects and ways of facing the regimen. The establishment fighting against these organizations occurred, essentially, in the geopolitics field, that is, by means of mechanisms of control of the material and symbolic territories. In order to get things properly done the regimen used instruments both of physical repression (the information community) and symbolic repression (hiding the resistance ), and, opposing to the Maoist conception of the city surrounding the field, caused the surrounding of the city by the field. The essential objectives of this urban boom were geopolitical: the integration of the national archipelago territory, avoiding offering it to exotic States and ideologies. The cities promoted a new modus vivendi and demands as well, exponentially amplified, with an access to a higher standard of consume. Once the self-criticism of the armed fight was centralized on the smallburgess character of its leadership, the emerging of Lula, a worker in the front of a powerful strike wave of the interregnum 1978-1980, was taken as a booster of a new platform of the workers organization, what, later, would become PT and CUT. In the third section In search of a lost democracy the theoretical debate is retaken on the democratic transitions and specificities of the Brazilian transition. Finally, the workers politics of Geisel is revisited, as well as its reaction to the strikes of the period. Lula would only proclaim the maximization of the work productivity under the capitalism, that is, the exercise of liberty with responsibility , defended by Geisel. We conclude that Lula and his party were revealed as powerful antidotes against the incurable disease of the Communism, first target of the Brazilian military geo-politicians.
Keywords: Transição democrática
Geopolítica
Movimento operário
Brazil
Democratic transition
Geopolitics
Workers movement
Geopolítica - Brasil
Movimento operário - Brasil - História
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::GEOGRAFIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Humanas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Geografia
Citation: BRAGA, Sandra Rodrigues. Movimentos partidos: geopolíticas da revolução brasileira (1964-1985). 2008. 377 f. Tese (Doutorado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2008.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/15915
Issue Date: 29-Sep-2008
Appears in Collections:TESE - Geografia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Sandra.pdf3.52 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.