Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/15879
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Efeito de diferentes intensidades de treinamento em modelo de obesidade experimental
metadata.dc.creator: Freitas, Zulmária Rezende Ramos de
metadata.dc.contributor.advisor1: Botelho, Françoise Vasconcelos
metadata.dc.contributor.referee1: Puga, Guilherme Morais
metadata.dc.contributor.referee2: Vieira, Etel Rocha
metadata.dc.description.resumo: O sedentarismo e o consumo de dietas hipercalóricas e/ou hiperlipídicas são, hoje, os dois principais fatores exógenos responsáveis pelo aumento expressivo da obesidade na população mundial. A literatura destaca que 95% dos casos de sobrepeso/obesidade estão relacionados ao balanço energético positivo e que o fator genético isoladamente não é causa da obesidade. Mesmo apresentando algum desarranjo fisiológico e/ou metabólico, hábitos alimentares adequados e a prática regular de exercícios físicos são capazes de evitar e tratar a obesidade. Diante dos dados epidemiológicos atuais, este problema de saúde pública pode tornar-se ainda mais preocupante nos próximos anos, e os gastos públicos serem cada vez maiores. Ao comparar indivíduos eutróficos e obesos, o estresse oxidativo é maior na população obesa, aparentemente, devido a fatores característicos desses pacientes como a hipercolesterolemia, o metabolismo anormal no tecido adiposo ou a excessiva liberação de citocinas inflamatórias. Assim, o aumento da produção de pró oxidantes, em detrimento dos antioxidantes, pode sobrecarregar o organismo e promover o estresse oxidativo crônico. Além disso, há também evidências de que a obesidade está associada à redução da expressão de várias proteínas antioxidantes, contribuindo efetivamente para o estresse oxidativo. Fatores exógenos e endógenos podem levar à produção das espécies reativas de oxigênio (EROs). Representam o resultado da excitação do O2 para formar oxigênio singleto (1O2) ou da redução do O2 pela citocromo oxidase nas mitocôndrias, que pela transferência de um, dois e três elétrons, originando, respectivamente, radical superóxido (O2-), peróxido de hidrogênio (H2O2) e radical hidroxila ( OH). Por serem extremamente reativas, níveis elevados de EROs podem causar danos ao DNA, às proteínas e aos lipídios. Tais danos estão relacionados às alterações celulares que podem acarretar necrose ou apoptose, além de sinalizar ativação gênica de eventos patológicos que, até então, estavam silenciados. O aumento de mortalidade por doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) relaciona-se ao excesso de peso devido a sua estreita relação com o desenvolvimento de doenças cardiovasculares e metabólicas. Está bem documentado que o exercício físico e a dieta equilibrada estão relacionados a muitos benefícios a saúde, incluindo riscos reduzidos de desenvolvimento de 14 DCNT. No entanto, ainda é preciso elucidar qual a intensidade ideal do exercício na obesidade e quais os efeitos isolados do sedentarismo e da dieta hiperlipídica em um contexto sistêmico. Sendo assim, este trabalho teve o objetivo de avaliar o efeito de diferentes intensidades de exercício, da dieta hiperlipídica e da dieta comercial no estresse oxidativo muscular e hepático de camundongos. A apresentação da dissertação foi dividida em capítulos, conforme as normas do Instituto de Genética e Bioquímica e a formatação seguiu as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas, a ABNT. No capítulo 1, é apresentada uma revisão bibliográfica do assunto. No capítulo 2, mostramos os métodos utilizados, os resultados obtidos e a discussão sob a forma de um artigo, que será submetido a uma revista científica indexada
Abstract: A sedentary lifestyle and the consumption of a high fat diet are the two exogenous factors responsible for the increase in obesity in the world population. About 95% of cases of overweight / obesity are related to positive energy balance. The genetic factor alone is not the cause of obesity. Even with some physiological or metabolic derangement, proper eating habits and regular physical exercise are able to prevent and treat obesity. Comparing obese population with normal weight, obese have higher oxidative stress than normal weight. Apparently, because of characteristic conditions of these patients: hypercholesterolemia, abnormal metabolism in adipose tissue or excessive release of inflammatory cytokines. The increased production of pro-oxidants instead of antioxidants, can overload the body and promote chronic oxidative stress. There is also evidence that obesity is associated with reduced expression of several proteins antioxidants effectively contributing to the oxidative stress. Exogenous and endogenous factors can lead to the production of reactive oxygen species (ROS). They represent the result of excitation of O2 to form singlet oxygen (1O2) or reduction of O2 by cytochrome oxidase in mitochondria, that the transfer of one, two and three electrons, originating, respectively, superoxide (O2), hydrogen peroxide (H2O2) and hydroxyl radical (OH). To be extremely reactive, high levels of ROS can cause damage to DNA, proteins and lipids. Such damages are related to cellular changes that can lead to necrosis or apoptosis, and gene activation signal of pathological events that, until then, were silenced. The increased mortality from chronic diseases is related to overweight because of the relationship with the development of cardiovascular and metabolic diseases. It is well documented that physical exercise and a balanced diet are related to many health benefits, including reduced risk of developing chronic diseases. The dissertation was divided into chapters according to the standards of the Institute of Genetics and Biochemistry and formatting followed the rules of the Brazilian Technical Standards Association, ABNT. In Chapter 1, we present a literature review of the subject. In chapter 2 we show the methods used, the results and the discussion in the form of an article to be submitted to an indexed journal
Keywords: Obesidade
Obesity
Bioquímica
Stress oxidativo
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::GENETICA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Biológicas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Genética e Bioquímica
Citation: FREITAS, Zulmária Rezende Ramos de. Efeito de diferentes intensidades de treinamento em modelo de obesidade experimental. 2014. 75 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2014.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/15879
Issue Date: 29-Jul-2014
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Genética e Bioquímica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
EfeitoDiferentesIntensidades.pdf1.82 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.