Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/15423
Document type: Dissertação
Access type: Acesso Aberto
Title: Ferdinand de Saussure: de silêncio e de autoria
Author: Vinhais, Eminéa Aparecida
First Advisor: Silveira, Eliane Mara
First member of the Committee: Mussalim, Fernanda
Second member of the Committee: Vitto, Maria Francisca Lier-de
Summary: Este trabalho propôs-se a realizar, inicialmente, uma reflexão sobre o silêncio de Ferdinand de Saussure, linguista suíço, considerado o pai da linguística moderna e do estruturalismo, e questionar algumas ocorrências, como a não publicação do Curso de Linguística Geral nem de suas pesquisas, atestadas pelos seus manuscritos; também o fato de Saussure não ter dito aos seus alunos o conteúdo desses manuscritos, lugar de reflexões e escrita de suas pesquisas; bem como a razão de o linguista ter se autocreditado trinta anos de silêncio. As inquetações sobre esse silêncio de Saussure permitiram que o foco desta pesquisa se direcionasse para duas questões, a saber: a autoria, uma vez que o Curso de Linguística Geral foi editado pelos alunos de Saussure, Bally e Sechehaye (1916), e o deslocamento do silêncio de Saussure para o silêncio em Saussure, no sentido de que seus manuscritos com os brancos, as rasuras e as hiâncias, além das teorizações do Curso de Linguística Geral flagram uma outra forma de silêncio.Tais análises, permaneceram sob a égide de uma perspectiva psicanalítica de sujeito do inconsciente, conforme Freud e Lacan. Assim, quanto à autoria de Saussure sobre o Curso de Linguística Geral, o intuito foi ultrapassar uma noção ingênua sobre autor, vislumbrando os três cursos que Saussure realizou em Genebra como uma das últimas instâncias de sua démarche teórica, a existência do livro como resultado do compromisso dos alunos com a teorização do professor, e a ilusão de se questionar a legitimidade do livro em relação às exatas palavras de Saussure. Ainda em relação à autoria, buscou-se um deslocamento para as postulações teóricas contidas no Curso de Linguística Geral, já que o que se subtrai como essencial é o efeito que tais teorizações saussureanas possibilitaram às ciências. Dentre as reflexões aqui contidas também estão os manuscritos saussureanos, reconhecidos como mais uma obra de Saussure, passível de novos desdobramentos. Destaca-se, ainda, que tais ponderações sobre autoria ganharam amplitude com a contribuição de autores, especialmente com Normand ([2000- 2006] 2009), Milner (2002), Silveira (2007) e Foucault (1992). Quanto ao enfoque sobre o silêncio em Saussure, distinguiu-se, sob a visão de Lacan (1966-67), o silêncio taceo, que se refere ao não dito, e o sileo, que é um silêncio relacionado às pulsões. A partir dessa distinção, pesquisou-se, nos manuscritos de Saussure e no Curso de Linguística Geral, se haveria realmente um silêncio de Saussure com relação à teorização sobre a fala e, ainda, se as teorias sobre a língua, especialmente o signo linguístico e a teoria do valor, presentes no Curso de Linguística Geral e nos Escritos de Linguística Geral, poderiam estar relacionadas a algum tipo de silêncio. A análise indicou que o silêncio sileo, no sentido de que é constitutivo da forma de produção de Saussure, está presente na própria teorização, uma vez que engendra outras produções teóricas, de tal forma que o sileo, em vez de apontar para o fim de sua teoria, demonstra antes o movimento de sua elaboração. Enfim, as reflexões objetivaram ultrapassar o sentido mais comum de autor e de silêncio, propondo uma discussão específica sobre a teorização de Saussure, o Curso de Linguística Geral, os editores, e seus manuscritos, a fim de apontar que ambas as obras são muito importantes no quadro geral das ciências, e que o silêncio constitutivo encontrado na teorização saussureana, indica a presença de Saussure e, portanto, sua autoria.
Abstract: This paper has the purpose to, initially, discuss a reflection about Ferdinand de Saussure s silence, a Swiss linguist, considered the father of modern linguistics and structuralism, and also to question some occurrences, such as the non-publication of the Course in General Linguistics or his researches, tested by the manuscripts; also the fact that Saussure had not said to his students the content of the manuscripts, where he reflected and wrote his researches; in addition to the reason that the linguist has been self credited thirty years of silence. The concerns around this Saussure silence allowed the focus of this research to direct to two questions: the authorship of the book, once the Course in General linguistics was edited by Saussure s students, Bally and Sechehaye (1916), and the dislocation of the silence of Saussure to the silence in Saussure, in the sense that his manuscripts contained blank parts, the erasures and the hiatus, besides the theorization of the Course in General Linguistics present another form of silence. These analysis, have been supported by a psychoanalytic perspective of the unconscious subject, in accordance with Freud and Lacan. Therefore, concerning Saussure s authorship of the Course in General Linguistics, the intention to overtake the naive notion about the author, seeing the three courses that Saussure realized in Geneva as one of his last theoretical demarche, the existence of the book as a result of the students commitment with the teacher theorization, and the illusion of questioning the legitimacy of the book in relation to Saussure s exact words. Concerning the focus on the silence in Saussure, distinguished by Lacan s view, the taceo silence, which is referred to what is not said, and the sileo, which is the silence related to the instinct (or drive). From this distinction, we have researched on Saussure s manuscript and the Course in General Linguistics, if there would have a Saussure s silence related to the theorization about speech (parole) or, yet if the theories about language (langue), specially the linguistic sign and the linguistic value, present in the Course in General Linguistics and in the Writings in General Linguistics, would be related to any type of silence. The analysis indicated the sileo silence, in the sense that it is constitutive of Saussure s form of production; it is present in its own theorization, once it generates other theory productions, so that sileo, instead of pointing the end of his theory, demonstrates in advance the movement of his elaboration. Finally, the reflections had the purpose of overpassing the most common sense of the authorship and of silence, proposing a specific discussion about Saussure s theorization, the Course in General Linguistics, the editors, and his manuscripts, in order to indicate that both works are very important to the general sciences, and that the constitutive silence found in the saussurian theorization, indicates the presence of Saussure and, therefore, his authorship.
Keywords: Saussure
Curso de linguística geral
Manuscritos
Silêncio
Autoria
Inconsciente
Saussure
Course in general linguistics
Manuscripts
Silence
Authorship
Unconscious
Saussure, Ferdinand de, 1857-1913
Area (s) of CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA
Language: por
Country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
Institution Acronym: UFU
Department: Linguística Letras e Artes
Program: Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos
Quote: VINHAIS, Eminéa Aparecida. Ferdinand de Saussure: de silêncio e de autoria. 2012. 122 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Letras e Artes) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2012.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/15423
Date of defense: 13-Aug-2012
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Estudos Linguísticos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
d.pdf2 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.