Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/15410
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Quando incluir é excluir: um estudo discursivo do surdo na escola
metadata.dc.creator: Gondim, Onilda Aparecida
metadata.dc.contributor.advisor1: Bertoldo, Ernesto Sérgio
metadata.dc.contributor.referee1: Uyeno, Elzira Yoko
metadata.dc.contributor.referee2: Agustini, Carmen Lucia Hernandes
metadata.dc.description.resumo: O presente trabalho problematizou, em termos discursivos, o processo de inclusão de alunos surdos, que se apresentou em uma escola regular, analisando os possíveis efeitos que se constituíram para as instâncias: professor, intérprete e surdo, levando em conta como isso acontece na escola. A pesquisa preocupou-se em responder ao seguinte questionamento: como o surdo se constitui ou é constituído aluno de Língua Portuguesa no contexto de uma sala de aula regular? Para tanto, aventamos a hipótese de que os surdos concernidos pela escola regular pesquisada pareciam sofrer os efeitos discursivos de rarefação subjetiva, de modo a não ser promovida uma relação entre eles com o conhecimento em Língua Portuguesa. Em decorrência disso, pareceu-nos que essa rarefação subjetiva do surdo poderia inibir a sua subjetivação como aluno, contrariando o processo dito inclusivo. Teoricamente, filiamo-nos aos estudos da Análise de Discurso de orientação pecheutiana, em sua terceira época (1983), e aos estudos enunciativos sob a perspectiva de Authier-Revuz (1998,2004). Realizamos, ainda, leituras da literatura especializada sobre a surdez e cognição: Fernandes (1990, 2008), Goldfeld (2002), Santana (2007). Metodologicamente, a pesquisa se estabeleceu a partir de um trabalho de campo em que observamos e gravamos as aulas em vídeo em período de quatro meses; além disso, realizamos entrevistas semiestruturadas e produzimos algumas anotações de campo. Nossa análise contou ainda com dois momentos específicos, a saber: no primeiro momento, analisamos algumas sequências discursivas das transcrições das entrevistas para problematizarmos, por meio do dispositivo das Formações Imaginárias, o modo de projeção de imagens que constituem o funcionamento discursivo, o qual se apresenta em sala de sala frente às imagens que cada participante produz sobre si, sobre o outro e sobre a temática em tela. No segundo momento, analisamos a maneira como se estabelece o jogo de endereçamento entre os envolvidos no jogo discursivo de sala de aula, com o intuito de perceber o possível modo como o surdo se constitui ou é constituído como aluno de Língua Portuguesa. A análise indicou que o jogo de endereçamento, em muitos casos, não se sustenta de modo suficiente para que o aluno surdo assuma sua posição discursiva de aluno e, diante disso, produza conhecimento em Língua Portuguesa.
Abstract: This dissertation discussed the process of inclusion of deaf students of a regular school by analyzing its possible effects for the teacher, the students and the interpreters. The research aimed at answering how a deaf student constitutes himself and is constituted in the Portuguese classroom. It was dealt with a hypothesis under which deaf students seemed to suffer from the discursive effects of subjective rarefaction, what did not allow them to have a relationship with knowledge and its production that could be considered appropriate. One of the consequences of such a relationship was that it was not possible to consider the deaf students included in the learning process. Theoretically, the research was founded in the concepts of the French Discourse Analysis as conceived by Michel Pêcheux, especially those ones related to the so called third stage of his work. Studies undertaken by Authier Revuz on enunciation and specialized readings on deafness were also taken into account. Methodologically, classes were recorded and transcribed during a period of approximately four months. In addition, interviews and field notes were also used as tools to collect data. The analysis was divided into two different moments. In the first one, utterances were analyzed in order to discuss the way the projection of images, which constitutes the functioning of classroom discourse, influenced the relationship among the teacher, the deaf and the interpreters. By doing so, it was possible to realize the images each participant has from each other. In the second one, the way each participant addresses himself towards each other was emphasized. Such an analysis helped the researcher understand how the deaf constituted and were constituted as students in the classroom. Results have shown that the way participants address themselves in the classroom is not enough to make the deaf assume a discursive position as a student who could produce some kind of knowledge in the Portuguese Language classroom.
Keywords: Inclusão
Surdez
Linguagem
Discurso
Inclusion
Deafness
Language
Discourse
Linguagem por sinais - Estudo e ensino
Surdos - Educação
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Linguística Letras e Artes
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos
Citation: GONDIM, Onilda Aparecida. Quando incluir é excluir: um estudo discursivo do surdo na escola. 2011. 248 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Letras e Artes) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2011.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/15410
Issue Date: 27-Oct-2011
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Estudos Linguísticos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
diss onilda.pdf1.21 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.