Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/14589
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Influência do padrão de variação da velocidade de estiramento na avaliação da espasticidade por meio do reflexo de estiramento tônico em pacientes pós acidente vascular encefálico
metadata.dc.creator: Marques, Isabela Alves
metadata.dc.contributor.advisor1: Naves, Eduardo Lázaro Martins
metadata.dc.contributor.referee1: Soares, Alcimar Barbosa
metadata.dc.contributor.referee2: Souza, Luciane Aparecida Pascucci Sande de
metadata.dc.description.resumo: A espasticidade é uma desordem motora que afeta milhões de pessoas no mundo, é considerada uma sequela importante, pois resulta em diversos danos às pessoas acometidas por este distúrbio. Este distúrbio motor é caracterizado pelo aumento, dependente da velocidade, do reflexo de estiramento tônico com exacerbação dos reflexos tendinosos, resultantes da hiperexcitabilidade do reflexo de estiramento. Sua avaliação clínica é de grande importância para todos que estão envolvidos no processo de reabilitação, porém, ainda não existem medidas clínicas padronizadas para avaliação da espasticidade. Assim, nota-se um grande interesse em buscar alternativas de avaliação objetiva do distúrbio, como o desenvolvimento de sistemas de avaliação baseados na detecção do Limiar do Reflexo de Estiramento Tônico (LRET). Esta medida é representada pelo ângulo articular em que os motoneurônios e os respectivos músculos da articulação são recrutados, sendo estimada indiretamente pelos valores dos Limiares do Reflexo de Estiramento Dinâmico (LREDs), quando a velocidade é igual à zero. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar a espasticidade de maneira quantitativa em tempo real. Para tanto, foram adotadas três formas de variação da velocidade de estiramento: crescente, decrescente e randomizada, no intuito de verificar a influência de cada uma delas na avaliação da espasticidade por meio do LRET. Os resultados da pesquisa confirmaram que a avaliação pelo LRET pode ser um método eficiente para quantificação do distúrbio. Também mostraram que existem diferenças estatisticamente significativas entre as metodologias de avaliação do distúrbio (crescente e decrescente), com valor de p=0,04504. Desta forma, há maior eficácia para o conjunto de avaliações correspondentes à velocidade crescente de modo geral. Porém há necessidade de analisar mais detalhadamente características como o tipo do AVE e lado de acometimento para entender qual metodologia de aplicação da velocidade se adequará melhor às características individuais. Além disso, foi demonstrado mais uma vez, que a avaliação da espasticidade pela Escala Modificada de Ashworth pode não ser o parâmetro que melhor avalia o distúrbio.
Abstract: Spasticity is a motor disorder that affects millions of people worldwide, it is considered an important sequel, since it results in damage to many people affected by this disorder. This disorder is characterized by motor-dependent increase speed, the tonic stretch reflex with exacerbation tendon, reflexes resulting from hyperexcitability of the stretch reflex. Their clinical evaluation is of great importance to all who are involved in the rehabilitation process, however, there are still no standard for evaluating clinical measures of spasticity. Thus, there has been a great interest in finding alternative objective assessment of disturbance, such as the development of evaluation systems based on detection of the tonic stretch reflex threshold tonic (TSRT). This measure is represented by the joint angle at which motoneurons and their muscles are recruited articulation, estimated indirectly by the values of the thresholds of the Dynamic Stretch Reflex (TSRT), when the velocity is equal to zero. The objective of this study was to evaluate spasticity quantitatively in real time. For this, three forms of velocity of stretch were adopted: increasing, decreasing and random, in order to examine the influence of each on the assessment of spasticity through TSRT. The results of the study confirmed that the evaluation TRRT can be an efficient method for quantification of the disturbance. Also showed that there are statistically significant differences between the disorder assessment methodologies (up and down), with p = 0.04504. Thus, there is greater efficiency for the set of corresponding measurements at increasing speed in general. But no need to further analyze characteristics such as the type of stroke and side involvement to understand what speed application methodology will suit best to the individual characteristics. Furthermore, it was demonstrated once more that the assessment of spasticity by Modified Ashworth scale may not be the parameter that best evaluates the disorder.
Keywords: Espasticidade
Reflexo de estiramento
Velocidade de estiramento
Avaliação quantitativa
Spasticity
Tonic stretch
Stretch speed
Quantitative evaluation
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::ENGENHARIAS::ENGENHARIA ELETRICA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Engenharias
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Engenharia Elétrica
Citation: MARQUES, Isabela Alves. Influência do padrão de variação da velocidade de estiramento na avaliação da espasticidade por meio do reflexo de estiramento tônico em pacientes pós acidente vascular encefálico. 2014. 97 f. Dissertação (Mestrado em Engenharias) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2014.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/14589
Issue Date: 30-Oct-2014
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Engenharia Elétrica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
InfluenciaPadraoVariacao.pdf2.17 MBAdobe PDFView/Open
InfluenciaPadraoVariacao_Ficha.pdf10.8 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.