Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/14323
metadata.dc.type: Tese
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Proposta de um sistema computacional utilizando metáforas aderentes à escrita e leitura musical por deficientes visuais e seus acompanhantes, utilizando células hexadecimais com quatro pontos em relevo, conceitos da numerofonia e a codificação numérica do Código Braille
metadata.dc.creator: Lima, Sandra Fernandes de Oliveira
metadata.dc.contributor.advisor1: Yamanaka, Keiji
metadata.dc.contributor.referee1: Ribeiro, Sônia Tereza da Silva
metadata.dc.contributor.referee2: Azevedo, Haroldo Rodrigues de
metadata.dc.contributor.referee3: Borges, Jose Antonio dos Santos
metadata.dc.contributor.referee4: Dorça, Fabiano Azevedo
metadata.dc.description.resumo: Aprender música, principalmente através de partituras musicais, é uma tarefa difícil, mesmo para pessoas que não possuem problemas visuais. O aprendizado musical demanda anos de esforço e de dedicação. Por outro lado, a tarefa de aprender música, para um deficiente visual, é bem mais complexa. Além da complexidade do Código Braille para música (Musicografia Braille), existem poucas pessoas capacitadas a ensinar música através deste método. Este trabalho apresenta uma solução que busca tanto simplificar a codificação da escrita e leitura musical através de células de pontos em relevo, como, também, tornar o ensino e o aprendizado mais atrativos, exigindo dos deficientes visuais e seus assistentes, um menor esforço, menos tempo e menos dedicação. Este trabalho apresenta uma solução computacional que busca dar, aos deficientes visuais, acessibilidade às músicas à medida que as mesmas são postadas na internet. Infelizmente, a maior barreira a ser enfrentada, ainda é a falta de profissionais para ensinar o deficiente visual a ler tal codificação. O sistema proposto, e já prototipado, apresenta uma nova codificação simplificada, apresentando a partitura da música em células básicas de 4 pontos em relevo (4 raised dots arranged in cells), em formato musical textual e em formato numerofônico. O método proposto tem como base o paradigma da codificação decimal proposta por Braille e o paradigma numérico já utilizado na codificação internacional de eventos musicais. O método desta pesquisa apresenta um paradigma que permite, com um menor esforço e menor dedicação, a capacitação dos professores, dos familiares e dos assistentes dos deficientes visuais no aprendizado da notação Musical aqui proposta. Destaca-se ser isto relevante devido ao fato de que, uma vez que o assistente aprenda o paradigma e ele consiga ler as músicas, ficará mais fácil ensinar ao deficiente visual sob sua tutela, a nova musicografia. Um software foi idealizado e implementado em linguagem funcional CLEAN para geração dos códigos da musicografia deste trabalho, bem como dos outros paradigmas voltados à utilização pelos acompanhantes dos deficientes visuais.
Abstract: Learning music, mostly through musical scores, is a difficult task, even for people who do not have visual problems. Learning musical demands years of effort and dedication. Moreover, the music learning tasks for a blind is much more complex. Besides the complexity of the Braille code for music (musicografia Braille), there are few people trained to teach music by this method. This work presents a solution that seeks to simplify the coding of both writing and reading music through cells of raised dots, as also make teaching and learning more attractive, requiring visually impaired and their assistants, less effort, less time and less dedication. This work presents a computational solution that seeks to give the visually impaired, accessibility to the songs as they are posted on the same internet. Unfortunately, the biggest barrier to be faced, it is still a lack of professionals to teach the blind to read such encoding. The proposed system, prototyped and now presents a new simplified coding, presenting the music score in basic cells of 4 points in relief (4 raised dots arranged in cells), musical, textual and Numerofonia format. The proposed method is based on the paradigm of decimal encoding proposed by Braille and the paradigm number already used in international encoding of musical events. The method of this research presents a paradigm that allows, with less effort and less dedication, training of teachers, family members and assistants of visually impaired in learning musical notation proposed here. Learning to read music is relevant due to the fact that, since the assistant learn the paradigm and he can read music, it will be easier to teach visually impaired under his tutelage, the new musicografia. Software was designed and implemented in functional language for generating the codes of this work, as well as other paradigms focused on use by accompanying of visually impaired.
Keywords: Deficiente visual
Música
Numerofonia
Aschero
MIDI
Braille
Barbier
Musicografia Lima
Código Lima
Visual Impaired
Music
Numerofonia
Deficientes Visuais
Música por computador
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::ENGENHARIAS::ENGENHARIA ELETRICA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Engenharias
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Engenharia Elétrica
Citation: LIMA, Sandra Fernandes de Oliveira. Proposta de um sistema computacional utilizando metáforas aderentes à escrita e leitura musical por deficientes visuais e seus acompanhantes, utilizando células hexadecimais com quatro pontos em relevo, conceitos da numerofonia e a codificação numérica do Código Braille. 2013. 180 f. Tese (Doutorado em Engenharias) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2013.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/14323
Issue Date: 1-Mar-2013
Appears in Collections:TESE - Engenharia Elétrica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Sandra Fernandes.pdf6.37 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.