Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12802
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Relação entre padrão de sono e obesidade em mulheres com fibromialgia
metadata.dc.creator: Araújo, Tânia Aparecida de
metadata.dc.contributor.advisor1: Crispim, Cibele Aparecida
metadata.dc.contributor.referee1: Souza, Daurea Abadia de
metadata.dc.contributor.referee2: Penaforte, Fernanda Rodrigues de Oliveira
metadata.dc.description.resumo: A fibromialgia (FM) se caracteriza por regiões corporais dolorosas, sono não restaurador, fadiga, distúrbios do humor e depressão. Evidências têm demonstrado que a FM esta intimamente associada com o desenvolvimento de sobrepeso e obesidade. Em adição, os distúrbios do sono - que incluem despertares frequentes, sonolência diurna, menor duração e eficiência do sono - são frequentes e altamente incômodos nesses pacientes. Até o momento, a relação entre a ocorrência de sobrepeso e obesidade e os distúrbios no sono é pouco descrita na literatura. Diante disso, o objetivo do presente estudo foi investigar a relação entre obesidade e padrão de sono em mulheres com FM. Participou do estudo o total de 100 mulheres com diagnóstico médico prévio de fibromialgia. Foi avaliada a massa corporal, a estatura (para cálculo do índice de massa corporal), além da aferição da circunferência da cintura. A qualidade da dieta foi avaliada por meio da aplicação de recordatório 24hrs com posterior determinação do Índice de Alimentação Saudável Adaptado (IASad). Análises subjetivas da sonolência diurna (Escala de Sonolência de Epworth - ESS) e qualidade do sono (Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh - PSQI) foram realizadas. Os resultados demonstram uma taxa de obesidade de 41% entre todas as mulheres avaliadas (56,1% eram sonolentas e 43,9% não eram sonolentas; p=0,04). Mulheres obesas demonstraram maior nível de sonolência quando comparadas com as que não eram obesas (10,2 e 7,0, respectivamente; p=0,004), mas essas não diferiram em relação ao tempo de sono (6,9 e 6,6 horas para obesas e não obesas, respectivamente; p=0,41) e qualidade do sono (12,5 e 12,6 horas para obesas e não obesas, respectivamente; p=0,94). Mulheres sonolentas apresentaram maior ganho de peso após o diagnóstico de FM quando comparadas com as mulheres não sonolentas (11,7kg e 6,4kg, respectivamente; p=0,04). Uma correlação positiva entre IMC e sonolência também foi encontrada (r=0,35, p=0,02). Na regressão logística multivariada, a sonolência moderada ou grave (ESS>12) foi associada à obesidade (Odds Ratio=3,44; intervalo de confiança de 95%: 1,31-9,01; p=0,04). Estes resultados demonstram uma importante associação entre sonolência e FM, sugerindo que a ocorrência da obesidade pode estar envolvida com a sonolência nestes pacientes.
Abstract: Fibromyalgia (FM) is characterized by painful body regions, non-restorative sleep, fatigue, mood disturbances and depression. Evidence has shown that FM is closely associated with overweight and obesity development. In addition, sleep disorders which include frequent awakenings, daytime sleepiness, shorter duration and sleep efficiency are frequent and highly uncomfortable in these patients. At present, the relationship between the occurrence of overweight and obesity and the sleep pattern is poorly described in the literature. The objective of the present study was to investigate the relationship between obesity and sleep pattern in women with FM. Participated in the study a total of 100 adult female patients with a prior medical diagnosis of fibromyalgia. Body mass, height (to calculate body mass index) were assessed, besides the measurement of waist circumference. The diet quality was evaluated using a 24-hour dietary recall with subsequent determination of the Healthy Eating Index (AHEI). Subjective analyses of daytime sleepiness (Epworth Sleepiness Scale) and sleep quality (Pittsburgh Sleep Quality) were performed. The results demonstrate an obesity rate of 41% of all women studied (56.1% were sleepy and 43.9% weren t sleepy, p=0.04). Obese women showed a greater level of sleepiness when compared with non-obese (10.2 and 7.0, respectively; p=0.004), but no there were no differences in relation to sleep time (6.9 and 6.6, respectively, p=0.41) and sleep quality (12.5 and 12.6, respectively, p=0.94). Sleepy women showed a greater weight gain after the diagnosis of fibromyalgia when compared with nonsleepy women (11.7 kg and 6.4kg, respectively; p=0.04). A positive and significant correlation between BMI and sleepiness (r=0.35, p=0.02) was also found. In multivariate logistic regression, moderate or severe sleepiness (ESS >12) was associated with obesity (odds ratio=3.44, 95% confidence interval: 1.31-9.01, p=0.04). These results demonstrate an important association between sleepiness and FM, suggesting that the occurrence of obesity may be involved with sleepiness in these patients.
Keywords: Fibromialgia
Obesidade
Sonolência
Nutrição
Fibromyalgia
Obesity
Sleepiness
Nutrition
Sono
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências da Saúde
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde
Citation: ARAÚJO, Tânia Aparecida de. Relação entre padrão de sono e obesidade em mulheres com fibromialgia. 2014. 76 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2014.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12802
Issue Date: 17-Feb-2014
Appears in Collections:PGCS - Mestrado em Ciências da Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RelacaoPadraoSono.pdf790.94 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.