Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12727
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Associação entre o uso de antimicrobianos, estadio anátomo-patológico e infecção de sítio cirúrgico após apendicectomia
metadata.dc.creator: Amaral, Luana Mesquita
metadata.dc.contributor.advisor1: Diogo Filho, Augusto
metadata.dc.contributor.referee1: Gontijo Filho, Paulo Pinto
metadata.dc.contributor.referee2: Oliveira, Luiz Carlos Marques de
metadata.dc.contributor.referee3: Silva, Alcino Lázaro da
metadata.dc.description.resumo: A maioria das infecções intra-abdominais, como apendicite aguda, necessita de intervenção cirúrgica. O uso de antimicrobianos, entretanto, é fundamental na complementação do tratamento e redução de infecção do sítio cirúrgico (ISC). O presente estudo tem como objetivo fazer uma análise crítica entre o uso de antimicrobianos, o estádio anátomo-patológico e infecção do sítio cirúrgico após apendicectomia. Foram analisados os dados demográficos, esquema de antimicrobiano escolhido, início do antimicrobiano, tempo de uso e evolução quanto a ISC associada com o estádio anátomo-patológico dos apêndices ressecados. Foram avaliados 233 pacientes entre 14 anos e 78 anos, com predominância do sexo masculino (135 / 57,94%) e na terceira década de vida (72 / 30,90%). Em 139 pacientes (59,63%) o tempo cirúrgico foi de uma a duas horas, com predominância da Apendicite Aguda Flegmonosa (91 / 39,05%) e Apendicite Aguda Necrosante, (88 / 37,76%). O esquema antimicrobiano mais utilizado foi a associação de Ampicilina /Sulbactam, totalizando 127 (54,50%) pacientes. A maioria dos pacientes teve o início do esquema antimicrobiano à indução anestésica, (212 / 90,94%). Em relação ao tempo de uso do antimicrobiano, a prevalência foi de menos de 24 horas de uso, (122 / 52,36%) e 14 (6,01%) apresentaram ISC. Baseado na classificação anátomo-patológica em apêndices não-necrosados, 145 (62,24%) pacientes deveriam ter usado antimicrobiano em dose única ou no máximo por 24 horas. Dos pacientes com apêndice não-necrosados apenas 60 (41,37%) usaram uma dose; 15 (10,34%) usaram de 2 a 4 doses e 70 (48,29%) usaram mais de 4 doses de antimicrobianos. Em 16 (6,87%) pacientes considerados com o apêndice normal foram usadas mais de 4 doses de antimicrobianos. Na análise das ISC sob perspectiva do Índice de Risco de Infecção Cirúrgica (IRIC), nenhum paciente com IRIC 0 apresentou ISC; (4 /5,79%) dos pacientes com IRIC 1 apresentaram ISC;( 9 / 5,88%) dos pacientes IRIC 2 apresentaram ISC e (1/ 12,5%) IRIC 3 apresentaram ISC. Baseado na associação entre o anátomo-patológico (necrosados e não necrosados) dos apêndices ressecados por suspeita clínica de apendicite aguda e o uso de antimicrobianos, podemos concluir que: houve uso desnecessário de mais de uma dose de antimicrobianos nos pacientes com apendicite não complicada.
Abstract: Most intra-abdominal infections such as acute appendicitis require surgical intervention. The use of antimicrobials, however, is essential in the treatment complementation and reduction of surgical site infection (SSI). The present study aims to make a critical analysis of the use of antimicrobials use, anatomopathological stage and surgical site infection after appendectomy. It were analyzed the demographic data, antimicrobial scheme chosen, the beginning of antimicrobial, usage time and evolution as the SSI associated with the anatomopathological stage of resected appendices. 233 patients were evaluated between 14 years and 78 years with male predominance (135 / 57.94%) and in the third decade of life (72 / 30.90%). In 139 patients (59.65%) surgical time was up to two hours with a predominance of Phlegmonous Acute Appendicitis (91 / 39.05%) and Necrotizing Acute Appendicitis (88 / 37.76%). The antimicrobial scheme most used was a combination of Ampicillin/Sulbactam totalizing 127 (54.50%) patients. Most patients had the start of the antimicrobial scheme in anesthetic induction (212 /90.94%). Regarding the usage time of antimicrobials, the prevalence was of less than 24 hours of use (122 / 52.36%) and 16 (6.87%) presented SSI. Based on the anatomopathological classification on nonnecrotic appendices, 145 (62.23%) patients should have used a single antimicrobial dose or at maximum for 24 hours. Of patients with non-necrotic appendix, only 60 (41.37%) used one dose; 15 (10.34%) used 2 to 4 doses and 70 (48.29%) used more than four doses of antimicrobial. In 16 (6.87%) patients considered with normal appendix were used more than four doses of antimicrobials. In the analysis of the SIRI SSI in perspective, no patient presented with SIRI 0 SSI (4 / 5.79%) patients presented with an SIRI SSI (9 / 5.88%) patients had 2 SIRI SSI and (1 / 12.5) 3 SIRI SSI presented. Based on anatomopathological association (necrotic and non-necrotic) of resected appendices for clinical suspicion of acute appendicitis and the use of antimicrobials, we can conclude: there was unnecessary use of more than one dose of antimicrobials in patients with uncomplicated appendicitis.
Keywords: Antimicrobianos
Apendicite aguda
Classificação anátomo-patológica
Infecção de sítio cirúrgico
Antimicrobial
Acute appendicitis
Anatomopathological classification
Surgical site infection
Infecção hospitalar
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências da Saúde
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde
Citation: AMARAL, Luana Mesquita. Associação entre o uso de antimicrobianos, estadio anátomo-patológico e infecção de sítio cirúrgico após apendicectomia. 2012. 63 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2012.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12727
Issue Date: 9-Feb-2012
Appears in Collections:PGCS - Mestrado em Ciências da Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
d.pdf240.11 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.