Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/30214
Document type: Trabalho de Conclusão de Curso
Access type: Acesso Aberto
Title: Transtornos alimentares em mulheres praticantes de corrida
Alternate title (s): Eating disorders in running women
Author: Cunha Júnior, Evandro Ferreira
First Advisor: Cheik, Nadia
Summary: RESUMO Os padrões de beleza e a idealização do corpo perfeito construídos ao longo dos anos pela sociedade, em especial pelas mídias sociais, geraram uma pressão social pela busca do corpo perfeito. Essas cobranças exacerbadas levam a insatisfação com o próprio corpo e até o desenvolvimento de transtornos alimentares, como a bulimia nervosa, anorexia nervosa e o transtorno de compulsão alimentar periódica. Dentre as modalidades esportivas, aquela que vem se destacando nos últimos anos é a corrida por proporcionar consideráveis resultados de definição muscular e emagrecimento, além de ser acessível e fácil de se realizar. Por esses mesmos motivos, pode ser a escolha de modalidade esportiva de muitas pessoas que apresentem ou possuam predisposição a transtornos alimentares. Considerando à escassez de estudos que envolvem a prática desta modalidade esportiva por mulheres que possam apresentar sintomas de algum transtorno alimentar, o presente estudo foi realizado a fim de compreender se a corrida estaria sendo usada de modo compensatório. Portanto, trata-se de um estudo observacional, com corte transversal, realizado em forma de entrevista com aplicação de quatro questionários específicos para avaliação de transtornos alimentares (BES, BITE, EAT-26 e BSQ), além da obtenção de dados de idade, peso e altura para o cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC). Foi realizada análise estatística descritiva, como cálculo de média, desvio padrão e a frequência (%) de respostas nas questões dos questionários aplicados e dos parâmetros antropométricos. Participaram do estudo 20 mulheres com idade média de 34 ± 5 anos, que praticam a modalidade de corrida no mínimo 3 vezes por semana, com IMC médio igual a 21,65 ± 1,20 kg m-2. Desse grupo 20% das voluntárias apresentaram preocupações com a forma do corpo e 10% apresentaram transtornos alimentares e compulsão alimentar. Sendo assim, o grupo de mulheres corredoras analisado apresentou evidências de transtornos alimentares e preocupação com a imagem corporal, sem evidências conclusivas de desnutrição, considerando o perfil do grupo eutrófico.
Abstract: The standards of beauty and idealization of the perfect body built over the years by society, especially through social media, have generated social pressure in the search for a perfect body. These exacerbated charges lead to body dissatisfaction and even the development of eating disorders, such as bulimia nervosa, anorexia nervosa and binge eating disorder. Among sports, the one that has stood out in recent years is the race, which provides considerable results of muscle definition and weight loss, in addition to being accessible and easy to perform. For these same reasons, it may be the choice of sport for many people who have or are predisposed to eating disorders. Considering the scarcity of studies involving the practice of this sports modality by women, who may have symptoms of an eating disorder, the present study was carried out in order to understand whether running was being used in a compensatory way. Therefore, this is an observational, cross-sectional study, conducted in the form of an interview with the application of four specific questionnaires for the assessment of eating disorders (BES, BITE, EAT-26 and BSQ), in addition to obtaining age data, weight and height for the calculation of the Body Mass Index (BMI). Descriptive statistical analysis was performed, such as calculating the mean, standard deviation and the frequency (%) of responses to the questions in the applied questionnaires and anthropometric parameters. Twenty women participated in the study, with an average age of 34 ± 5 years, who practice the running modality at least 3 times per week, with an average BMI equal to 21.65 ± 1.20 kg m-2. In this group, 20% of the volunteers had concerns about their body shape and 10% had eating disorders and binge eating. Thus, the group of women runners analyzed presented evidence of eating disorders and concerns about body image, without conclusive evidence of malnutrition, considering the profile of the eutrophic group.
Keywords: Transtorno
Alimentar
Area (s) of CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
Quote: CUNHA JUNIOR, Evandro Ferreira. Transtorno alimentar em mulheres praticantes de corrida. 2020. 20 f. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Educação física ) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2020.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/30214
Date of defense: 6-Oct-2020
Appears in Collections:TCC - Educação Física

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TranstornosAlimentaresEm.pdf302.81 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons