Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/29232
ORCID:  http://orcid.org/0000-0003-4766-7630
Document type: Dissertação
Access type: Acesso Aberto
Title: Organizações que matam: o necrocapitalismo da indústria mineradora de nióbio nas mesorregiões do Alto Paranaíba e Sul Goiano
Alternate title (s): Organizations that kill: necrocapitalism in the niobium mining industry in the mesoregions of Alto Paranaíba and Sul Goiano
Author: Lima, Ana Flávia Martins de
First Advisor: Medeiros, Cíntia Rodrigues de Oliveira
First member of the Committee: Valadão Júnior, Valdir Machado
Second member of the Committee: Miranda, Rodrigo
Third member of the Committee: Mafra, Flávia Luciana Naves
Summary: Entre os anos de 2015 e 2019 o Brasil vivenciou dois dos maiores crimes corporativos da história recente do país com o rompimento das barragens de rejeitos em Bento Rodrigues - distrito do município de Mariana - e Brumadinho, Minas Gerais. A mineração é um setor emblemático quando se trata da destruição da natureza, mortes e deslocamento de famílias. Por meio da crítica pós-colonial realizo uma análise das dimensões do conceito de necrocapitalismo proposto por Banerjee (2008) no contexto da exploração do nióbio nas mesorregiões do Alto Paranaíba e Sul Goiano, mais especificamente nas cidades de Araxá, MG e Catalão, GO onde localizam-se as duas principais produtoras de nióbio no Brasil, a Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM) e a China Molybdenum (CMOC). Por meio de entrevistas e pesquisa documental foi possível construir um corpus cuja análise temática resultou em três categorias distintas que permitiram caracterizar o necrocapitalismo da indústria do nióbio, a saber: “as práticas de acumulação necrocapitalistas da indústria do nióbio”, “o contexto de exploração” e “os efeitos da exploração”. A partir da análise temática e da análise dos resultados foi possível concluir que o necrocapitalismo da indústria do nióbio caracteriza-se pelo crime corporativo enquanto prática de acumulação em um contexto de exploração neocolonial marcado pela subalternidade do Estado a grandes corporações multinacionais. Nesse contexto, o avanço da atividade minerária é justificado por meio do discurso do desenvolvimento e seus efeitos englobam a expropriação das comunidades, a destruição dos meios de vida e a resistência das populações tradicionais. Essa pesquisa contribui para a ampliação das discussões sobre crimes corporativos no contexto dos estudos organizacionais brasileiros por meio da crítica pós-colonial e a escolha dos contextos de exploração justifica-se pela relevância e protagonismo que as mesorregiões do Alto Paranaíba e Sul Goiano representam nos cenários regional, nacional e internacional na extração e exportação de nióbio.
Abstract: Between 2015 and 2019, Brazil faced two of the biggest corporate crimes in the country's most recent history with the breaking of tailings dams in Bento Rodrigues - district of the municipality of Mariana - and Brumadinho, Minas Gerais. Mining is an emblematic sector when it comes to the destruction of nature, deaths and displacement of families. Through postcolonial criticism, an analysis of the dimensions of the concept of necrocapitalism addressed by Banerjee (2008) in the context of niobium exploration in the mesoregions of Alto Paranaíba and Sul Goiano, more specifically in the cities of Araxá, MG and Catalão, GO where the two main niobium producers are located in Brazil, the Brazilian Metallurgy and Mining Company (CBMM) and China Molybdenum (CMOC). Through interviews and documentary research it was possible to create a corpus whose thematic analysis resulted in three categories that allow characterizing the necrocapitalism of the niobium industry: “the necrocapitalist accumulation practices of the niobium industry”, “the context of exploitation” and “the effects of exploitation”. From the thematic analysis and the analysis of the results it was possible to conclude that necrocapitalism of the industry in the sector is characterized by corporate crime as a practice of accumulation in a context of neocolonial exploitation is marked by the subordination of the State to large multinational corporations. In this context, the advance of mining activity is justified through the discourse of development and its effects include the expropriation of communities, the destruction of livelihoods and the resistance of traditional populations. This research contributes to the expansion of discussions on corporate crimes in the context of Brazilian organizational studies through post-colonial criticism and the choice of exploration contexts is justified by the relevance and role that those mesoregions of Alto Paranaíba and Sul Goiano represent in the regional, national and international scenarios in the extraction and export of niobium.
Keywords: Necrocapitalismo
Nióbio
Pós-colonialismo
Crime corporativo
Necrocapitalism
Niobium
Post colonialism
Corporate crime
Area (s) of CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
Program: Programa de Pós-graduação em Administração
Quote: LIMA, Ana Flávia Martins de. Organizações que matam: o necrocapitalismo da indústria mineradora de nióbio nas mesorregiões do Alto Paranaíba e Sul Goiano. 2020. 86 f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2020. Disponível em: http://doi.org/10.14393/ufu.di.2020.321.
Document identifier: http://doi.org/10.14393/ufu.di.2020.321
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/29232
Date of defense: 16-Mar-2020
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Administração

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
OrganizacoesQueMatam.pdf1.3 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.