Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/29222
ORCID:  http://orcid.org/0000-0002-6414-7250
Document type: Dissertação
Access type: Acesso Aberto
Title: Parto humanizado e empoderamento feminino: estudo de caso do grupo Flore Ser em Uberlândia/MG
Alternate title (s): Humanized birth and female empowerment: case study of the flore ser group in Uberlândia/MG
Author: Silva, Lucília Mendes de Oliveira e
First Advisor: Vannuchi, Maria Lúcia
First coorientator: Abdala, Mônica Chaves
First member of the Committee: Dias, Rafaela Cyrino Peralva
Second member of the Committee: Silva, Jeane Félix da
Summary: Neste trabalho realizamos um estudo de caso do Grupo Flore Ser na cidade de Uberlândia/ MG, no qual analisamos a preparação das gestantes para o momento do parto buscando entender a relação entre a luta das grávidas por um parto humanizado e o empoderamento das mesmas. No Brasil o parto hospitalar tornou possível salvar a vida de mãe e bebê em casos de gravidez de risco ou complicações no parto. No entanto o país possui uma taxa de cesáreas acima dos 50%, número bem maior do que a recomendação da Organização Mundial da Saúde, que orienta que a taxa deve ser de, no máximo, 10%. Para diminuir as cesáreas desnecessárias e os casos de violência obstétrica o Ministério da Saúde lançou o Programa Nacional de Humanização do Pré-Natal e Nascimento (PNHPN) – Rede Cegonha, com um caderno específico voltado para humanização do parto nos hospitais públicos do país. A cidade de Uberlândia possui projetos de humanização do parto em seus dois hospitais públicos, o Hospital Municipal e o Hospital das Clínicas, assim como conta com profissionais atuantes em hospitais particulares e grupos voltados para orientação das gestantes. Com o objetivo de entender como o parto humanizado ocorre nesta cidade escolhemos um dos grupos que luta pela sua defesa e ampliação. O grupo Flore Ser tem, como um dos objetivos, auxiliar as mulheres para vivenciar um parto ativo, humanizado, com menos intervenções desnecessárias e no qual ela possa ser dona do seu parto. Com esse intuito são promovidas várias atividades, como a roda de gestantes, a roda de pós-parto, e alguns cursos para conhecer a fisiologia do parto e aprender os primeiros cuidados com o recém-nascido. Por meio de entrevistas com as mulheres grávidas que participam do grupo foi possível obter dados sobre como ocorre a orientação para o parto humanizado, por quê elas buscam por um parto mais natural e se elas desenvolvem um maior empoderamento nessa situação.
Abstract: In this work, we carried out a case study of the Flore Ser Group in the city of Uberlândia / MG, where we analyzed the preparation of pregnant women for the moment of delivery, seeking to understand the relationship between the struggle of pregnant women for a humanized delivery and their empowerment. In Brazil, the hospital birth has made it possible to save the life of mother and baby in cases of pregnancy risk or complications in childbirth. However, the country has a rate of caesarean section above 50%, much higher than the recommendation of the World Health Organization, which indicates that the rate should be at most 10%. To reduce unnecessary caesarean sections and cases of obstetric violence, the Ministry of Health has launched the National Program for Humanization of Prenatal and Birth(PNHPN) - Stork Network, with a specific notebook aimed at the humanization of childbirth in the country's public hospitals. The city of Uberlândia has humanization projects for childbirth in its two public hospitals, the Municipal Hospital and the Hospital das Clínicas, as well as professionals working in private hospitals and groups focused on the orientation of pregnant women. In order to understand how humanized childbirth occurs in this city we choose one of the groups that fight for its defense and expansion. One of the objectives of the Flore Ser group is to help women to experience an active, humanized delivery with fewer unnecessary interventions and in which they can take care of their birth. For this purpose, several activities are promoted, such as the pregnant women wheel, the postpartum wheel, and some courses to learn about the physiology of childbirth and learn the first care with the newborn. Through interviews with pregnant women participating in the group, it was possible to obtain data on how the orientation for humanized delivery occurs, why they seek a more natural birth, and if they develop a greater empowerment in this situation.
Keywords: Gênero
Parto Humanizado
Empoderamento
Roda de Gestantes
Violência Obstétrica
Gender
Humanized Birth
Empowerment
Wheel of Pregnant Women
Obstetric Violence
Area (s) of CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::SOCIOLOGIA::SOCIOLOGIA DA SAUDE
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
Program: Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais
Quote: SILVA, Lucília Mendes de Oliveira e. Parto humanizado e empoderamento feminino: estudo de caso do grupo Flore Ser em Uberlândia/MG. 2019.144 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2019. Disponível em: http://doi.org/10.14393/ufu.di.2019.2569
Document identifier: http://doi.org/10.14393/ufu.di.2019.2569
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/29222
Date of defense: 28-Feb-2019
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Ciências Sociais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PartoHumanizadoEmpoderamento.pdf1.07 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.