Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/26530
ORCID:  http://orcid.org/0000-0001-7798-9556
Document type: Dissertação
Access type: Acesso Aberto
Title: Enterocolite Necrosante: avaliação entre os fatores de risco e de proteção com a gravidade e o desfecho da doença
Alternate title (s): Necrotizing enterocolitis: evaluation of risk and protection factors with severity and outcome of the disease
Author: Marcondes, Maria Raquel Alvarenga
First Advisor: Abdallah, Vânia Olivetti Steffen
First coorientator: Azevedo, Vivian Mara Gonçalves de Oliveira
First member of the Committee: Moura, Magda Regina Silva
Second member of the Committee: Araújo, Maria Bernadete Jeha
Summary: Introdução: A Enterocolite Necrosante (ECN) é a doença do sistema gastrointestinal e sistêmica mais grave que acomete os recém-nascidos (RN), principalmente nas unidades neonatais, com altos índices de mortalidade entre os doentes. É também a doença neonatal com mais indicações cirúrgicas e graves desfechos, como a síndrome do intestino curto e distúrbios psicomotores em longo prazo. Durante as últimas décadas, muito tem-se investigado sobre a causa, diagnóstico, sintomas, prognóstico, tratamento, complicações e prevenção da doença. No entanto, ainda não há uma completa compreensão sobre a causa, patogênese, prevenção ou tratamento da ECN. Vários fatores de estresse enfrentados pelos RN durante a gestação ou no período pós-natal estão relacionados à causa da doença, porém a prematuridade tem sido citada como o principal fator causal. A identificação dos fatores de risco e de proteção pré-natais e neonatais relacionados aos estágios mais avançados da doença pode contribuir na prevenção de piores desfechos e complicações. Objetivo: Relacionar os fatores de risco e de proteção pré-natais, neonatais a gravidade e ao desfecho da ECN. Material e Método: Foi realizado um estudo observacional retrospectivo, no qual foram incluídos 88 RN (pré-termo e termo), diagnosticados com ECN, admitidos em um hospital universitário do estado de Minas Gerais/Brasil, no período de 1° de janeiro de 2007 a 31 de dezembro de 2016 (10 anos retrospectivos) e suas respectivas mães. Uma ficha de registro de dados foi desenvolvida para anotações dos principais fatores de risco pré-natais, neonatais e das complicações relacionadas à ECN. A doença foi classificada de acordo com os critérios de Bell et al., (1978), que considera três estágios de gravidade. Após a coleta, os dados foram digitados em planilhas do programa software Excel Windows 2010, por meio do programa R Core Team para Windows®. Inicialmente, foi feita análise descritiva das variáveis em estudo, com a finalidade de apresentar o perfil da população estudada. Em seguida, os estágios de gravidade da doença foram relacionados aos fatores de risco pré e pós-natais e ao desfecho (óbito). Ainda, estes foram analisados em relação à conduta terapêutica (manejo). Posteriormente, foram aplicados os testes de Qui-quadrado, comparações múltiplas, Kruskal-Wallis, com significância estatística p<0,05. Também foi aplicada o teste de regressão logística para previsão de óbitos, com significância estatísticas p<0,10. Resultados: Foram considerados elegíveis, 88 RN diagnosticados com ECN, sendo 11 excluídos. Dos 77 casos avaliados, 79,22% eram RN pré-termo e 20,78% a termo. Quanto à gravidade, 40,25% pertenciam ao estágio I, 24,67% ao estágio II e 35,06% ao estágio III da doença. O presente estudo também pôde constatar que as variáveis tempo de oxigenoterapia e ventilação mecânica, presença de sepse precoce e uso de medicamentos protetores da mucosa gástrica foram relacionadas a doença e a gravidade de suas manifestações. Condição semelhante, também foi evidenciada em relação à própria gravidade clínica do RN, de acordo com o escore SNAPPE-II. Apesar dos resultados não mostrarem relação da utilização de drogas ilícitas e lícitas pelas gestantes com a gravidade da ECN, o maior número de mães usuárias de drogas ilícitas foi referido no grupo dos RN classificados no estágio III da doença. Foi possível observar também que o risco para óbito foi relacionado ao tempo de ventilação mecânica, sepse precoce, hipoglicemia e aos estágios mais graves da ECN. Além disso, os resultados sugerem que o leite humano foi um fator protetor para o desenvolvimento dos estágios mais graves da doença. Em relação à conduta terapêutica (manejo) nos diferentes estágios da ECN, observou-se maior quantidade de casos cirúrgicos no estágio III, consequentemente a presença de síndrome do intestino curto. Conclusão: Os fatores de risco relacionados a sua gravidade foram o tempo de oxigenoterapia e ventilação mecânica, presença de sepse precoce e ao uso de medicamentos protetores da mucosa gástrica, situação análogo foi evidenciada à própria gravidade clínica do RN, de acordo com o escore SNAPPE-II. Conclui-se ainda, que a ventilação mecânica(p=0,049) e presença de sepse precoce(p=0,014), também podem influenciar o desfecho (óbito), assim como a hipoglicemia(p=0,047) e as formas mais graves da ECN (estagio III versus I – odds ratio de 5,4 e valor-p=0,010). Além disso, foi observado o possível papel protetor do leite humano para o desenvolvimento dos estágios mais graves da ECN.
Abstract: Background: The Necrotizing Enterocolitis (NEC) is the most serious systemic gastrointestinal and systemic disease affecting newborns (NB), especially in neonatal units, with high mortality rates among patients. It is also neonatal disease with more surgical indications and severe outcomes, such as short bowel syndrome and long-term psychomotor disorders. During the last decades, much has been investigated on the cause, diagnosis, symptoms, prognosis, treatment, complications and prevention of the disease. However, there is still no complete understanding about the cause, pathogenesis, prevention or treatment of NEC. Several factors of stress faced by the newborn during gestation or in the postnatal period are related to the cause of the disease, but prematurity has been cited as the main causal factor. The identification of risk factors and prenatal and neonatal protection related to the more advanced stages of the disease can contribute to the prevention of worse outcomes and complications. Purpose: Relate prenatal and neonatal risk and protection factors to neonatal severity and outcome of NEC. Material and Methods: A retrospective observational study was conducted in which 88 NB (preterm and term), diagnosed with NEC, admitted to a university hospital in the state of Minas Gerais/Brazil, were enrolled in the period of January 1, 2007 to December 31, 2016 (10 retrospective years) and their respective mothers. A datasheet was developed for annotations of the main prenatal risk factors, neonatal and complications related to NEC. The disease was classified according to the criteria of Bell et al. (1978), which considers three stages of severity. Results: 88 NBs diagnosed with NEC were considered eligible, of which 11 were excluded. Of the 77 cases evaluated, 79.22% were preterm infants and 20.78% were term infants. Regarding severity, 40.25% belonged to stage I, 24.67% to stage II and, 35.06% to stage III of the disease. The present study also found that the severity of NEC manifestations were related, in particular, to the time of oxygen therapy and mechanical ventilation, the presence of early sepsis and the use of gastric mucosal protective drugs, which are also related to the RN clinical severity of the disease itself, according to the SNAPPE-II score. Although the results did not show a relation between the use of illicit and licit drugs by pregnant women and the severity of NEC, the highest number of mothers using illicit drugs was reported in the group of NBs classified in stage III of the disease. It was also possible to observe that the risk for death was related to the time of mechanical ventilation, early sepsis, hypoglycemia and the most severe stages of NEC. In addition, the results suggest that human milk was a protective factor for the development of more severe stages of the disease. Regarding the therapeutic conduct (management) in the different stages of NEC, a greater number of surgical cases were observed in stage III, consequently the presence of short bowel syndrome. Conclusion: The risk factors related to its severity were the time of oxygen therapy and mechanical ventilation, the presence of early sepsis and the use of gastric mucosal protective drugs, an analogous situation was evidenced to the clinical severity of the newborn, according to the SNAPPE-II score . It is also concluded that mechanical ventilation(p=0,049) and the presence of early sepsis(p=0,014) may also influence the outcome (death), as well as hypoglycemia(p=0,047) and more severe forms of NEC (stage III versus I - odds ratio of 5.4 and p-value = 0.010). In addition, the possible protective role of human milk for the development of the most severe stages of NEC was observed.
Keywords: Doença Gastrointestinal
Fatores de Risco
Recém-Nascido
Prematuridade
Infants
Prematurity
Gastrointestinal Disease
Risk Factors
Area (s) of CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
Program: Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde
Quote: MARCONDES,Maria Raquel Alvarenga. Enterocolite necrosante: avaliação entre os fatores de risco e de proteção com a gravidade e o desfecho da doença. 2019 46f. Dissertação Mestrado em Ciências da Saúde)- Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2019.Disponível em: http://dx.doi.org/10.14393/ufu.di. 2019.2108
Document identifier: http://dx.doi.org/10.14393/ufu.di. 2019.2108
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/26530
Date of defense: 26-Apr-2019
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Ciências Sociais



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons