Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/25828
Document type: Trabalho de Conclusão de Curso
Access type: Acesso Aberto
Title: Há divergência genética entre genótipos de algodoeiro transgênicos e convencionais?
Alternate title (s): Divergência genética entre genótipos de algodoeiro transgênicos e convencionais
Author: Paiva, Thatiane de Sousa
First Advisor: Sousa, Larissa Barbosa de
First member of the Committee: Cardoso, Daniel Bonifácio Oliveira
Second member of the Committee: Miranda, Melissa Cristina de Carvalho
Summary: O cultivo do algodoeiro no Brasil tornou-se, nas últimas décadas, uma das práticas mais rentáveis economicamente. Obtendo como principal produto a fibra, a cultura passou a ser cultivada por vários produtores devido à demanda da indústria têxtil. A partir dos avanços tecnológicos das indústrias e da demanda crescente por materiais superiores, a criação de cultivares que atendem a essa demanda se fez necessária. O melhoramento genético foi responsável pelo desenvolvimento desses cultivares com maiores produtividades e qualidade de fibra. A transgenia, que consiste na inserção de um gene exógeno de interesse em um determinado genótipo, possibilitou um avanço na obtenção de melhores cultivares de algodoeiro. A prática vem ganhando espaço cada vez maior na produção de genótipos de algodoeiro pois possibilita a inserção de caracteres desejáveis a materiais já melhorados. Com a obtenção de novos cultivares, aqueles que eram utilizados anteriormente têm sido substituídos por genótipos de melhor qualidade. Essa substituição pode causar uma perda na variabilidade genética, por serem poucos cultivares em uso. A utilização de genótipos semelhantes pode acarretar riscos de diminuição de informações genéticas, necessárias para manter a variabilidade. Neste sentido, o presente trabalho objetivou detectar a diversidade genética entre genótipos convencionais e transgênicos de algodoeiro de fibra branca. Foram avaliados 10 genótipos de algodoeiro, sendo cinco convencionais e cinco transgênicos. As avaliações foram realizadas em três momentos: na fase de florescimento pleno, maturidade plena e na pós-colheita A partir dos dados obtidos, foram realizadas análises estatísticas no programa Genes, as quais possibilitaram o estudo da diversidade genética entre os genótipos. As análises mostraram que somente as características produtividade de algodão em caroço e rendimento de pluma obtiveram diferença significativa. Para o estudo da diversidade, rendimento de pluma foi a característica de maior importância. Concluiu-se, por fim, que houve diversidade entre os materiais convencionais e transgênicos utilizados, com a criação de seis grupos distintos, dentre eles, grupos separados de genótipos convencionais e transgênicos.
Keywords: Gossypium hirsutum
Melhoramento genético
Dissimilaridade
Area (s) of CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
Quote: PAIVA, Thatiane de Sousa. Há divergência genética entre genótipos de algodoeiro transgênicos e convencionais? 2019. 21 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2019.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/25828
Date of defense: 5-Jan-2019
Appears in Collections:TCC - Agronomia (Uberlândia)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
HáDivergênciaGenética.pdf334.78 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.