Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/22860
Document type: Dissertação
Access type: Acesso Aberto
Title: Descolonizando o discurso da corrupção: uma análise do envolvimento do HSBC em corrupção transnacional
Alternate title (s): Decolonizing the discourse of corruption: an analysis of the HSBC's involvement in transnational corruption
Author: Nascimento, Isabella Chaves
First Advisor: Medeiros, Cintia Rodrigues de Oliveira
Second member of the Committee: Valadão Júnior, Valdir Machado
Third member of the Committee: Silveira, Rafael Alcadipani da
Summary: A corrupção é um problema com um custo humano devastador, leva milhões de pessoas à pobreza e à morte, e pode ser uma ameaça à segurança nacional pelo descontentamento social que tem gerado, em diversos países. Não é um fenômeno que pode ser atribuído à atualidade ou qualquer tempo histórico específico, ou tampouco a um sistema político ou econômico, sendo repleta de exemplos em todos os cenários. Mas há países onde a corrupção alcança outras dimensões, e pesquisadores e autoridades de todo o mundo têm se esforçado, para compreender, e em alguma medida, coibir, o fenômeno que alegam prejudicar o crescimento e desenvolvimento dessas nações. Organizações, leis e convenções multilaterais com bandeiras anticorrupção surgiram nesse período, ao lado de críticas sobre a efetividade desses mecanismos, posto que atacavam, prioritariamente, o lado da demanda, e não o da oferta na equação da corrupção global. O lado da demanda é conhecido pela definição da ONG Transparência Internacional como abuso de poder concedido para ganho pessoal, remetendo aos interesses das elites políticas, mas também aos riscos e opacidade do ambiente regulatório para os negócios. Por sua vez, o lado da oferta é bem menos questionado, pois o pagamento de suborno e a lavagem de dinheiro raramente são criminalizados, paraísos fiscais continuam protegendo o sigilo bancário e uma rede de atores internacionais, com agentes do sistema financeiro, permite que traficantes e corruptos sigam negociando. Este estudo se orienta por uma perspectiva pós-colonial, que vê a construção da corrupção nos países não ocidentais como resultado de um conjunto complexo de práticas e crenças que permitiram uma ascendência singular de algumas nações em relação ao restante do mundo, compactuando com práticas capitalistas que levam à desapropriação e subjugação da vida e da dignidade humana. Com base nessa perspectiva, e reconhecendo a importância das redes transnacionais informais na perpetuação da corrupção, estabelecemos como objetivo geral desta dissertação, compreender, sob a lente pós-colonial, como a corrupção se constitui um fenômeno transnacional. Realizamos uma pesquisa qualitativa, com a análise de reportagens, dos últimos dez anos, sobre casos de corrupção envolvendo um dos maiores bancos internacionais do mundo: o HSBC Holdings plc. Para operacionalizar a pesquisa, nos orientamos por duas questões: (1) quais os padrões e atores presentes na dinâmica de corrupção transnacional? (2) quais as relações coloniais que emergem desses esquemas? A análise temática resultou em 42 categorias e seis grupos de atores principais, que foram associados em nove temas intermediários, indicando os padrões recorrentes observados, nomeados como: manual de operações, clientes (in)desejados, desinformação, justiça autorizada, negligência, imperícia, ligações perigosas, indiferença e disrupção. Os resultados da pesquisa apresentam o mapa temático final e dois temas finais que desvelam as relações coloniais presentes nos esquemas: a cumplicidade dos agentes do sistema financeiro com os infratores; e a impunidade do colonizador com esses agentes.
Abstract: Corruption is a problem with devastating human costs, it leads millions of people to poverty and death, and it can be a threat to national security by social discontent it has generated in many countries. It is not a phenomenon that can be attributed to nowadays, or any specific historical time to a neither political nor economic system being full of examples in all scenarios. Yet there are countries where corruption reaches other dimensions then researchers and authorities has striven to understand and somehow curb the phenomenon they claim to harm national growth and development. Organizations, laws and multilateral conventions with anti-corruption flag have arisen in this period besides criticism about the effectiveness of these mechanisms, due to the fact it attacked, primarily, demands side, not the offers side in global corruption equation. Demands side is known by NGO Transparency International definition as abuse of power granted for personal gains, reflecting political class interests but also the risks and the opacity of regulatory environment for business. In turn, the offers side is less questioned because bribe payments and money laundering rarely are criminalized, tax heavens continue protecting baking secrecy and a network of international players, with agents of the national financial system, allows dealers and corrupts keeping negotiating. This study is guided by post-colonial perspective, that see corruption construction in non-western countries as result of a complex set of practices and believes that had allowed singular ascendance in some nations regarding to the rest of the world, getting along to capitalists practices that leadsto dispossession and the subjugation of life and human dignity. From this perspective, recognizing informal transnational networks importance in perpetuation of corruption, is established this thesis general objective as comprehend beneath on the post-colonial lens, how corruption incorporate as a transnational phenomenon. We conducted a qualitative research, and we analyzed reports from the last ten years about corruption cases involving one of the world’s biggest bank: HSBC Holdings plc. In order to operate the research, we had been guided by two questions: (1) which are the standards and actors presents in transnational corruption dynamics? (2) which are the colonial relations that comes from these arrangements? The thematic analysis has resulted in forty-two categories and six groups of main actors that where associated in nine intermediate themes, indicating recurrent observed standards named as: operational manual, (un)wanted clients, disinformation, authorized justice, negligence, malpractice, dangerous liaisons, indifference and disruption. The research results shows a thematic final map and two final themes, which disclose colonial relationships presents on the arrangements: the complicit between financial system agents and offenders, and the colonizer impunity with these same agents.
Keywords: Corrupção
Sistema financeiro
Colonialidade
Pós-colonialismo
Cumplicidade
Impunidade
Administração
Administração financeira
Corruption
Financial system
Coloniality
Postcolonialism
Complicity
Impunity
Area (s) of CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO::ADMINISTRACAO DE EMPRESAS
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
Program: Programa de Pós-graduação em Administração
Quote: NASCIMENTO, Isabella Chaves. Descolonizando o discurso da corrupção: uma análise do envolvimento do HSBC em corrupção transnacional. 2018. 210 f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2018. Disponível em: http://dx.doi.org/10.14393/ufu.di.2018.1352.
Document identifier: http://dx.doi.org/10.14393/ufu.di.2018.1352
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/22860
Date of defense: 29-Aug-2018
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Administração

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DescolonizandoDiscursoCorrupcao.pdf3.32 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.