Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/22023
Document type: Trabalho de Conclusão de Curso
Access type: Acesso Aberto
Title: América latina e dependência: subordinação no contexto de financeirização do capital
Alternate title (s): Latin america and dependency: subordination in the financialization context
Author: Reis, Vinícius Cardoso
First Advisor: Amaral, Marisa Silva
First member of the Committee: Almeida Filho, Niemeyer
Second member of the Committee: Mendonça, Filipe Almeida do Prado
Summary: O presente trabalho busca entender de que forma o avanço do capitalismo para sua nova fase, a de financeirização do capital, se desdobrou na América Latina, gerando consequências econômico-sociais para os Estados latino-americanos a partir de suas novas práticas, e como essa nova fase trouxe para a região um aumento da subordinação em relação aos centros capitalistas, agora no aspecto financeiro. Para que a compreensão seja feita, busca-se entender como o capitalismo se modificou durante o final do século XX: com a quebra do sistema de Betton-Woods, as crises da década de 1970 e a ascensão do neoliberalismo, o capitalismo adentra em uma nova fase, irreversível, de acumulação com predominância financeira, na qual se transformam estrutural e sistemicamente as economias modernas com um salto rumo às finanças e a novas práticas que envolvem, mais do que nunca, o capital fictício. Dentro dessa dinâmica que ocorre primeiro nos centros, a periferia latino-americana, que já vinha tentando atenuar sua dependência em relação a eles sem sucesso, sofre, em nossa interpretação utilizando como instrumental teórico a Teoria da Dependência, uma intensificação de sua condição subordinada na qual as finanças são a nova expressão da dependência, essencialmente graças à dívida externa. Os Estados se endividam para poder sustentar seus modelos econômicos diante dos choques externos e da transição doméstica que a maioria vivenciava na tentativa de se industrializar, mas que, na verdade, serão uma forma de reconfigurar a vulnerabilidade econômica frente aos mesmos fenômenos, caracterizando-se por ter seu modelo macroeconômico e sua prosperidade completamente subordinadas às condições financeiras internacionais. Ao analisar com enfoque como Brasil e Argentina adentraram nessa nova fase, percebemos que mesmo que hajam diferenças em relação ao momento e gradualismo de absorção das novas práticas capitalistas e neoliberais nos dois países e também quanto à forma que os países buscam se livrar dessa condição, ao final do século ambas as nações se caracterizam por níveis altíssimos de dívida externa e, consequentemente, de vulnerabilidade político-econômica frente aos choques internacionais.
Abstract: This work seeks to understand how the capitalism advance to a new phase, the capital financialization, spread in Latin America, bringing to the latin-american states socioeconomic consequences from its new practices, and how this new phase brought to the region more subordination in relation to the capitalist centers, now in the finance area. In order to comprehend this, it is necessary to understand how the capitalism has changed during the end of the 20th century: due to the fall of the Bretton-Woods system, the oil crises and the neoliberalism ascension, the capitalism enters into a new stage, irreversible, of acumuluation with financial predominance, in which the modern economies suffered estructural and systemic transformations, jumping to the finances and its new practices involving, more than ever, the fictitious capital. Inside these dynamics, which occur first in the centers, the latin-american periphery that was trying to unsuccessfully atenuate its dependency in relation to them suffered, in our interpretation using as theoretical instrumental the Dependency Theory, an intensification of its subordinate condition in which finances are the new expression of dependency, essencially due to the external debt. The states became indebted in an attempt to sustain their economic models against external shocks and the domestic transition towards industrialization that the major part of them were, however, they were actually deepening their economic vulnerability, turning their macroeconomic model and prosperity entirely subordinated to the international financial conditions. Analysing how Brazil and Argentina entered in this new phase, we realized that even if there are diferences in the moment and gradualism of the capitalist and neoliberal new practices absorption between them, and different ways that they sought to get rido f this condition, in the end of the century both of the States were characterized by extremely high external debt rates and, consequently, political-economic vulnerability to international shocks.
Keywords: financeirização
financialization
dependência
dependency
neoliberalismo
neoliberalism
América Latina
Latin America
Area (s) of CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::CIENCIA POLITICA::POLITICA INTERNACIONAL::RELACOES INTERNACIONAIS, BILATERAIS E MULTILATERAIS
CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA::ECONOMIA INTERNACIONAL::INVESTIMENTOS INTERNACIONAIS E AJUDA EXTERNA
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
Quote: REIS, Vinícius Cardoso. América Latina e dependência: subordinação no contexto de financeirização do capital. 2018. 79 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Relações Internacionais) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2018.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/22023
Date of defense: 3-Jul-2018
Appears in Collections:TCC - Relações Internacionais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AmericaLatinaDependencia.pdfTCC1.38 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.