Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/20730
Document type: Dissertação
Access type: Acesso Aberto
Title: Mulheres na contabilidade: os estereótipos socialmente construídos sobre a contadora
Alternate title (s): Women in accounting: socially constructed stereotypes about the accountant
Author: Silva, Derley Junior Miranda
First Advisor: Silva, Marli Auxiliadora
First member of the Committee: Leal, Edvalda Araújo
Second member of the Committee: Oliveira, Marcelle Colares
Summary: Investigou-se, neste estudo, a percepção dos profissionais de contabilidade com relação aos estereótipos associados à mulher contadora e à profissão contábil. Para realização da pesquisa, classificada como exploratória e descritiva, com abordagem predominantemente quantitativa, foi realizado um levantamento, do tipo survey, com profissionais de ambos os gêneros da cidade de Uberlândia, em Minas Gerais, que possuíam registro ativo no Conselho Regional de Contabilidade de Minas Gerais (CRCMG), totalizando uma amostra por acessibilidade e não probabilística de 308 (trezentos e oito) profissionais de contabilidade. Mediante questionário foram coletadas informações sociodemográficas dos respondentes e as estereotipagens relacionadas ao gênero atribuídas por estes à profissão contábil e à mulher contadora, por meio de adjetivos em uma Escala de Diferencial Semântico. Destaca-se que na parte 2 e 3 do instrumento de pesquisa foram adaptadas assertivas utilizadas em questionário de Saemann e Crooker (1999) e Gomes (2009), respectivamente, ambos compostos por pares de adjetivos opostos em que o respondente é convidado a responder com base na percepção que possui sobre o objeto pesquisado, por meio de respostas elaboradas em escala de diferencial semântico. Para a realização das análises foram usados recursos estatísticos descritivos, assim como o Teste de Hipóteses para Diferença de Proporções com o fim de evidenciar diferenças nas proporções em que os gêneros percebem os estereótipos encontrados. Foram rejeitadas ambas as hipóteses nulas (H0a e H0b), não sendo possível afirmar a inexistência da diferença na proporção da estereotipagem da profissão contábil para os contadores e contadoras, visto que foram identificadas diferenças nas proporções de estereotipagem da profissão contábil entre os respondentes de ambos os gêneros para os estereótipos flexível, orientado para pessoas e imaginativa. Já em relação à mulher contadora constataram-se diferenças nas proporções para os estereótipos líder, prática, independente, confiante, com sentido de humor, conhecedora da realidade empresarial e sensível. Embora a maioria das contadoras tenha afirmado existirem diferenças entre os gêneros, na profissão contábil, pôde-se perceber o quão essas diferenças de gêneros podem passar despercebidas aos olhos dos contadores do gênero masculino: apenas 9,8% dos contadores participantes da pesquisa reconhecem algum distanciamento entre níveis salariais, empregabilidade e ocupação de cargos e funções, entre contadores e contadoras, no mercado de trabalho. Mesmo que a percepção que se tenha em relação à mulher contadora tenha mudado como os resultados obtidos nesta pesquisa apontam, especialmente em relação a estereótipos negativos sobre a imagem da mulher contadora (mal humorada, imaginativa, submissa, melhor preparada para atividades repetitivas, antissocial e assumindo características de liderança, realista, sociável, íntegra e honesta), ainda parece haver, principalmente na percepção das próprias mulheres, dificuldades que as impedem de se destacarem no ambiente corporativo.
Abstract: In this study, we investigated the perception of accounting professionals regarding the stereotypes associated with the woman accountant and the accounting profession. To conduct the research, classified as exploratory and descriptive, with a predominantly quantitative approach, a survey was carried out, with survey of professionals of both genera of the city of Uberlândia, in Minas Gerais, who had an active registry in the Regional Accounting Council of Minas Gerais (CRCMG), totaling an accesibility and non-probabilistic sample of 308 (three hundred and eight) accounting professionals. The sociodemographic information of the respondents and the gender stereotypes attributed by them to the accounting profession and to the woman accountant were collected through a questionnaire using adjectives in a Semantic Differential Scale. It should be emphasized that in Block 2 and Block 3 of the research instrument were adaptad the assertions used in the questionnaire of Saemann and Crooker (1999) and Gomes (2009), respectively, both composed by opposing pairs of adjectives in which the respondent is invited to respond on the basis of perception which has on the object searched, through answers elaborated in scale of semantic differential. For the analysis, descriptive statistical resources were used, as well as the Test of Hypotheses for Proportion Difference in order to show differences in the proportions in which the genders perceive the stereotypes found. Both null hypotheses were rejected (H0a and H0b), and it is not possible to affirm that there is no difference in the proportion of the stereotyping of the accounting profession for accountants and accountants, since differences in the proportions of stereotyping of the accounting profession between the respondents of both the genres for flexible stereotypes, people-oriented and imaginative. Regarding the woman accountant, there were differences in the proportions for the stereotypes: leader, practical, independent, confident, with a sense of humor, knowledgeable about business and sensitive reality. Although most accountants have claimed that there are differences between genders in the accounting profession, it has been realized how these gender differences can go unnoticed in the eyes of male accountants. Only 9.8% of the accountants participating in the survey recognize some distance between salary levels, employability and occupation of positions and functions, between accountants and accountants, in the labor market. Even if the perception of the woman accountant has changed, the results obtained in this research point out, especially in relation to negative stereotypes about the image of the woman accountant (bad tempered, imaginative, submissive, better prepared for repetitive activities, antisocial and assuming leadership, realistic, sociable, honest and honest), there still seem to be difficulties, especially in the perception of women themselves, that prevent them from standing out in the corporate environment.
Keywords: Gênero
Mulher contadora
Estereótipos
Gender
Accountant woman
Stereotypes
Contabilidade
Mulheres - Contabilidade
Trabalho feminino - Contabilidade
Contadores
Gender
Accountant woman
Stereotypes
Area (s) of CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO::CIENCIAS CONTABEIS
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
Program: Programa de Pós-graduação em Ciências Contábeis
Quote: SILVA, Derley Júnior Miranda. Mulheres na contabilidade: os estereótipos socialmente construídos sobre a contadora. 2018. 110 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2018.
Document identifier: http://dx.doi.org/10.14393/ufu.di.2018.110
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/20730
Date of defense: 15-Jan-2018
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Ciências Contábeis

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MulheresNaContabilidade.pdfDissertação3.24 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.