Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/20295
Document type: Trabalho de Conclusão de Curso
Access type: Acesso Aberto
Title: Produção de etanol de segunda geração
Alternate title (s): Second generation ethanol production
Author: Aguiar, Héricles Resende Ricardo de
First Advisor: Ribeiro, Eloízio Júlio
First member of the Committee: Falleiros, Larissa Nayhara Soares Santana
Second member of the Committee: Sousa, Carla Cristina de
Summary: Em relação à sustentabilidade, desafios cada vez maiores são enfrentados pela sociedade atual e devido à escassez das reservas de petróleo e às mudanças climáticas, as fontes de energia renováveis têm-se apresentado como uma alternativa ao futuro do planeta. Dentre as fontes de energia renováveis, pode-se mencionar os biocombustíveis, que têm sido bastante utilizados. No caso do Brasil, o mais proeminente é o etanol, visto que o país é reconhecido mundialmente pela produção desse combustível. Entretanto, a produção de açúcar e de etanol de primeira geração usa aproximadamente apenas um terço da energia total da cana-de-açúcar, pois aproximadamente dois terços estão na palha e bagaço, fato que tem despertado o interesse do setor sucroenergético em usar tais biomassas na produção de etanol de segunda geração. Uma vez consolidada a obtenção de etanol 2G no Brasil, esta terá potencial para aumentar a produtividade em até 50% em relação à produção atual. Porém, alguns fatores ainda representam desafios a serem superados, para que a produção de etanol de segunda geração seja implementada comercialmente e ganhe participação no mercado. Pode-se citar, por exemplo, a existência de outras aplicações para os resíduos lignocelulósicos e o fato de que o processo produtivo exige algumas etapas que não estão presentes na produção do etanol 1G (pré-tratamento e hidrólise da matéria-prima) e que necessitam do domínio de tecnologias ainda não completamente desenvolvidas e que atualmente são complexas, o que resulta em baixo rendimento na conversão da matéria-prima, balanço energético negativo e custo de produção elevado. Considerando o uso de cana-de-açúcar, a diferença entre o custo de produção do etanol 2G e do 1G pode alcançar R$ 0,30 por litro. Dessa forma, com o intuito de romper as barreiras existentes à produção do etanol de segunda geração, pesquisas têm sido realizadas, visando tanto o desenvolvimento de tecnologias de produção quanto a melhoria da matéria-prima utilizada. Por esses e outros fatores, o objetivo geral desse trabalho é realizar uma revisão bibliográfica sobre o processo produtivo do etanol de segunda geração. Os objetivos específicos são: apresentar as matérias-primas usadas, descrever os principais métodos de pré-tratamento em uso, discorrer sobre a etapa de hidrólise e descrever a fermentação do hidrolisado.
Abstract: In relation to sustainability, increasing challenges are faced by actual society and due to the scarcity of the oil reserves and climate changes, the renewable energy sources have presented themselves as an alternative to the future of the planet. Among the renewable energy sources, it can mention biofuels, which have been quite used. In the case of Brazil, the most prominent is ethanol, since the country is worldwide acknowledged for the production of this fuel. However, the sugar production and of first generation ethanol uses only about onethird of the total energy of the sugarcane, because approximately two-thirds are in the straw and bagasse, fact that has aroused the interest of the sugar and energy sector in using such biomass in the second generation ethanol production. Once the 2G ethanol obtention is consolidated in Brazil, it will have potential to increase the productivity in up to 50% in relation to the current production. However, some factors still represent challenges to be overcome, so the second generation ethanol production is commercially implemented and gains market share. It can cite, for example, the existence of other applications for the lignocellulosic waste and the fact that the productive process requires some steps that are not present in the 1G ethanol production (pretreatment and hydrolysis of the raw material) and which need the domain of technologies that are not yet completely developed and which are currently complex, which results in low yield in the conversion of the raw material, negative energy balance and high production cost. Considering the use of sugarcane, the difference between the production cost of the 2G and 1G ethanol can reach R$ 0.30 per liter. Thus, in order to break the existing barriers to the second generation ethanol production, researches have been carried out, aiming at both the development of production technologies and the improvement of the raw material used. For these and other factors, the general objective of this work is to make a bibliographic review about the second generation ethanol productive process. The specific objectives are: to present the raw materials used, to describe the main pretreatment methods in use, to talk about the hydrolysis step and to describe the fermentation of the hydrolyzate.
Keywords: Etanol de segunda geração
Lignocelulose
Bagaço de cana-de-açúcar
Second generation ethanol
Lignocellulose
Sugarcane bagasse
Area (s) of CNPq: CNPQ::ENGENHARIAS::ENGENHARIA QUIMICA::PROCESSOS INDUSTRIAIS DE ENGENHARIA QUIMICA
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
Quote: AGUIAR, Héricles Resende Ricardo de. Produção de etanol de segunda geração. 2017. 85 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Química) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2017.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/20295
Date of defense: 30-Nov-2017
Appears in Collections:TCC - Engenharia Química

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ProduçãoEtanolSegunda.pdf3.53 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.