Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/19698
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Avaliação de risco à cárie em lactentes e crianças em idade préescolar e validação de um formulário simplificado de avaliação de risco
metadata.dc.creator: Leal, Merialda da Silva Ferreira
metadata.dc.contributor.advisor1: Oliveira, Fabiana Sodré de
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Prado, Alessandra Maia de Castro
metadata.dc.contributor.referee1: Moretti, Ana Beatriz da Silveira
metadata.dc.contributor.referee2: Oliveira, Danielly Cunha de Araújo Ferreira de
metadata.dc.description.resumo: O conhecimento científico sobre a etiologia da cárie dentária e o emprego de modelos que visam à promoção de saúde têm contribuído para o declínio da doença. Entretanto, a cárie dentária em crianças muito jovens, denominada cárie precoce da infância (CPI) continua a ser a doença crônica mais comum da infância. Como o processo saúde-doença decorre de vários fatores, o que se observa é a polarização da CPI, onde uma pequena parcela da população infantil concentra níveis elevados de lesões de cárie. Considerando a necessidade de controlar os fatores etiológicos da doença e não as suas sequelas, a avaliação do risco à cárie representa um elemento essencial do cuidado clínico contemporâneo para lactentes, crianças e adolescentes e tem recebido grande atenção nos últimos anos. Sendo assim, os objetivos deste estudo foram: verificar a experiência de cárie em lactentes e pré-escolares; classificar as crianças com relação ao risco à cárie dentária; avaliar se houve mudança na experiência de cárie e na classificação do risco à cárie dentária em dois momentos analisados e validar um formulário simplificado de avaliação de risco à cárie para lactentes e pré-escolares. O delineamento deste estudo clínico foi observacional, quantitativo, descritivo analítico, com corte transversal, baseado em informações obtidas a partir de 132 prontuários odontológicos de crianças de zero a 71 meses de idade, de ambos os sexos e saudáveis, que receberam tratamento odontológico e consultas de retorno entre os meses de fevereiro de 2015 a julho de 2016 nas clínicas de odontopediatria da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Uberlândia. Para a análise foram incluídos prontuários odontológicos contendo pelo menos duas avaliações de risco à cárie com intervalo de no mínimo de 90 dias entre a primeira e a segunda avaliação. Neste estudo, foram considerados nove fatores para classificação do risco à cárie dentária que formaram a escala de identificação do risco - Fatores de Avaliação de Risco à Cárie (FARC-9). Os dados foram submetidos à análise estatística descritiva e ao teste de Kruskal- Wallis (p<0,05). Os resultados mostraram que 113 (78,0%) e 86 (65,2%) crianças, respectivamente, não apresentaram cárie e foram classificadas como baixo risco à cárie na primeira e na segunda avaliação. Foi observada uma alteração na classificação de risco de 26 (19,7%) crianças. A sensibilidade e a especificidade do formulário simplificado de avaliação de risco à cárie foram 88% e 69%, respectivamente. O formulário simplificado usado neste estudo pode ser considerado bom preditor dos fatores de risco à cárie dentária, pois apresenta alta sensibilidade e média/boa especificidade. Foi possível concluir que: a maioria das crianças não apresentava experiência de cárie e foi classificada de baixo risco; houve alteração na experiência de cárie e na classificação de risco de poucas crianças e que o formulário de avaliação de risco à CPI foi capaz de identificar as crianças suscetíveis à CPI.
Abstract: The scientific knowledge about the etiology of dental caries and the employment of models that aim at promoting health have contributed to the decline of the disease. However, the tooth decay in very young children, called tooth early in childhood (ECC) continues to be the most common chronic childhood disease. As the health-sickness process stems from several factors, what is seen is the polarization of ECC, where a small portion of the population concentrates high levels of injuries of caries. Considering the need to control the etiological factors of the disease and not its sequels, the assessment of the risk for dental caries is an essential element of clinical care for contemporary infants, children and adolescents and has received great attention in recent years. Thus, the objectives of this study were: verify the experience of caries in infants and preschool children; classify children with respect to the risk to dental caries; assess whether there was a change in caries experience and in the classification of the risk to dental caries in two moments analyzed and validate a simplified form of assessment of risk for dental caries in infants and preschool children. The design of this clinical study was observational, quantitative, descriptive analytical, cross-sectional, based on information obtained from 132 dental records of dental children aged zero to 71 months of age, of both sexes and healthy, who received dental treatment and follow-up visits between the months of February 2015 to July 2016 in clinics of pediatric dentistry, School of Dentistry of Federal University of Uberlândia. For the analysis, dental records containing at least two assessments of risk for dental caries with an interval of at least 90 days between the first and the second evaluation were included. In this study, nine risk factors were considered that formed the scale of risk identification Dental caries risk factors (DCRF-9). The data were submitted to descriptive statistical analysis and the Kruskal-Wallis test (p<0.05). The results showed that 113 (78.0%) and 86 (65.2%) children, respectively, showed no caries in the first and second evaluation and that were classified as low risk for dental caries in the first and second evaluation. There was a modification of the risk rating of 26 (19.7%) children. The sensitivity and specificity of the simplified form of assessment of risk for dental caries were 88% and 69%, respectively. The simplified form used in this study can be considered a good predictor of risk factors for dental caries, since it has high sensitivity and average/good specificity. It was possible to conclude that: most of the children had no experience of caries and were classified as low risk; there was no change in caries experience and of the risk rating of few children and that the form of risk assessment to the ECC and was able to identify the children susceptible to ECC.
Keywords: Odontologia
Cáries dentárias em crianças
Fatores de risco
Lactente
Pré-escolar
Cárie dentária
Estudos de Validação
Infants preschool
Risk Factors
Dental Caries
Validation Studies
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ODONTOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Odontologia
Citation: LEAL, Merialda da Silva Ferreira. A avaliação de risco à cárie em lactentes e crianças em idade pré-escolar e validação de um formulário simplificado de avaliação de risco. 2017. 77 f. Dissertação (Mestrado em Odontologia) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2017.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/19698
Issue Date: 3-Apr-2017
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Odontologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AvaliacaoRiscoCarie.pdfDissertação2.01 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.