Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/19459
Document type: Dissertação
Access type: Acesso Embargado
Title: Da higienização à loucura - uma perspectiva do processo higienizador “disciplinador”
Author: Café, Laércio de Jesus
First Advisor: Amitrano, Georgia Cristina
First member of the Committee: Pimentel Filho, José Eduardo
Second member of the Committee: Soares, Alexandre Guimaraes Tadeu de
Summary: A presente dissertação objetiva realizar uma análise do processo de higienização social, ao mesmo tempo que reflete acerca dos dispositivos de saber e poder, em especial os que envolvem os diferentes desdobramentos da loucura, da noção de normalidades, discurso e alteridade, além de refletir as exclusões e “higienizações” ocasionadas pelas novas realidades políticas/cientificistas, bem como sua repercussão no cenário social dominador da loucura. Buscando, para tanto, entender quem é esse Outro que emerge no e do discurso da loucura, discorreremos sobre vários conceitos com a possibilidade de releitura da História da loucura. Para realizar tal empreitada, este trabalho parte das análises de Michel Foucault, que nos concede uma apreciação das arbitrárias relações capitalistas políticas de controle existentes e a forma como estas assumem a racionalidade técnico-científica higienista instaurada no alvorecer da Modernidade e tempo presente. Refletimos o indivíduo moderno, seu status quo na sociedade, passando por diferentes tempos históricos, pois a cada episteme, a cada tempo histórico, o louco e a loucura possuem verdades distintas. Ora, para examinar essas implicações que partem de uma análise da loucura mediante as diferentes transformações que esta sofrera com o passar dos séculos, insuflada por distorcidas práticas de poder, de autoridade, direção, administração, correção e que não se remetem sempre a vontades gerais, mas sim a de seus soberanos, seguimos as consequências desses processos, em especial as práticas e os dispositivos que fizeram da loucura aquilo que hoje a entendemos, fazendo-se necessário penetrar no âmago de certas teorias de Michel Foucault, dentre outros autores. E isso, concomitantemente, a uma reflexão dos elementos da narrativa de O Alienista, de Machado de Assis, relacionando o tema entre a fronteira da loucura e da razão no processo de higienização social, que se constitui como uma preocupação social generalizada no Século XIX, e são tomadas pelo cientificismo. Desse modo, ao falarmos de higienização, não realizamos uma história da limpeza corporal - que registra em si normas de limpeza das partes corpo vista como práticas higiênicas e que apresentam regras de asseio com a finalidade de se propagar uma educação corporal e cívica ao corpo sujo e desregrado em meio a grupos reconhecidos e muitas vezes com finalidade estética -; antes, nossa finalidade é mostrar uma história da limpeza social, uma higienização do corpo na sociedade que permitiu métodos eficazes de manipulação, orientação e controle que abrange principalmente os menos capazes. Fundamentada em teorias política e científica, que passou de popular a científica, sendo disseminada por aparatos legais, que acabam por subjugar uma camada da população relativa à classe trabalhadora. Evidenciamos, assim, a direção desta pesquisa, reunindo os elementos existentes que nos dará uma abertura para entendermos a higienização da loucura na sociedade, que compõem aspectos teórico-metodológicos de uma análise que continua a ser atual.
Abstract: The present study analyzes the process of social hygiene, also speculates the devices of knowledge and power, especially the ones which involves the different kinds of insanity, the idea of normal, the discourse and otherness, besides considering the exclusions and "hygiene" caused by the new political/ scientific realities, as well as its repercussion in the dominating social scene of madness. Seeking, therefore, to understand who is this Other that emerges in and of the discourse of madness, we will descant several concepts with the possibility of rereading the History of madness. To do such work, this study uses as a begin the Michel Foucault's reviews, which analyses the existing arbitrary political capitalist relations of control and how it assumes the hygienist technical-scientific rationality established at the beginning of the Modern Age and currently. Considering the modern individual, his status quo in society, going through different historical times, because every episteme, at every historical time, the mad one and madness have different truths. Now, to examine these implications from an analysis of madness through the different transformations it has undergone over the centuries, infused with distorted practices of power, authority, direction, administration, correction, and which do not always refer to general wills , But rather that of its sovereigns, we follow the consequences of these processes, especially the practices and devices that made madness what we understand today, making it necessary to penetrate the core of certain theories of Michel Foucault, among other authors. And this, at the same time, reflects on the elements of the narrative of The Alienist, Machado de Assis, relating the theme between the frontier of madness and reason in the process of social hygiene, which is a widespread social concern in the nineteenth century, And are taken by scientism. Thus, when we speak of hygiene, we do not carry out a history of bodily cleansing - which registers in itself rules of cleanliness of the body parts as hygienic practices and that present rules of cleanliness in order to propagate a corporal and civic education to the dirty body And unruly amid recognized groups and often with aesthetic purpose -; Rather, our purpose is to show a history of social cleansing, a sanitization of the body in society that has allowed for effective methods of manipulation, guidance, and control that encompasses primarily the least capable. Grounded on political and scientific theories, which went from popular to scientific, being disseminated by legal apparatuses, which end up subduing a layer of the population relative to the working class. We thus show the direction of this research, bringing together the existing elements that will give us an opening to understand the hygiene of madness in society, which make up the theoretical and methodological aspects of an analysis that continues to be current.
Keywords: Loucura
Higienização social
Discurso
Normalidade
Alteridade
Foucault
Madness
Social hygiene
Discourse
Normality
Other
Area (s) of CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::FILOSOFIA
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
Program: Programa de Pós-graduação em Filosofia
Quote: CAFÉ, Laércio de Jesus. Da higienização à loucura - uma perspectiva do processo higienizador “disciplinador”. 2017. 127 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2017.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/19459
Date of defense: 27-Apr-2017
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Filosofia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
HigienizacaoLoucuraPerspectiva.pdf
  Until 2019-08-30
TCC14.69 MBAdobe PDFView/Open    Request a copy


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.