Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/19198
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Olhares sobre as práticas de strategizing e de organizing com a inserção da medicina integrativa na saúde pública
metadata.dc.creator: Pinhal, Vanessa Alves
metadata.dc.contributor.advisor1: Borges, Jacquelaine Florindo
metadata.dc.contributor.referee1: Tavares, Darlene Mara dos Santos
metadata.dc.contributor.referee2: Enoque, Alessandro Gomes
metadata.dc.contributor.referee3: Loebel, Eduardo
metadata.dc.description.resumo: A Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC), aprovada em 2006, proporcionou aos usuários do Sistema Único de Saúde o acesso a novas práticas médicas como acupuntura e homeopatia, antes não oferecidas na saúde pública. Os gestores das unidades de saúde precisam lidar com essas mudanças decorrentes da inserção dessas novas práticas. O objetivo deste trabalho é analisar a configuração das práticas de strategizing e de organizing com a inserção da MI no sistema público de saúde de Uberlândia. A abordagem teórica da pesquisa está baseada nos estudos da estratégia como prática e em estudos sobre a saúde pública e a MI. A partir de pressupostos interpretativistas e de uma abordagem qualitativa, foi conduzida a coleta dos dados em três unidades de saúde de Uberlândia, com a utilização da pesquisa documental, da observação não participante e de entrevistas semiestruturadas com coordenadores, profissionais da saúde e usuários dessas unidades selecionadas. Ademais, foram entrevistados um representante do Conselho Regional de Medicina, uma representante do Conselho Municipal de Saúde e uma representante da Comissão Consultiva das PICS (Práticas Integrativas e Complementares em Saúde). Após a coleta, os dados foram tratados e analisados conforme preceitos da análise de conteúdo. Os resultados da pesquisa mostram uma relação desequilibrada e também interdependente entre strategizing e organizing. A relação desequilibrada pode ter origem no fato das unidades de saúde seguirem estratégias estabelecidas sem que sejam consideradas suas práticas de organizing, o que pode dificultar ou impossibilitar o alcance das diretrizes estratégicas amplamente definidas pelo Ministério da Saúde. Já as práticas interdependentes apontam para um alinhamento entre as práticas de organizing e strategizing e os objetivos propostos. A PNPIC é uma política relativamente nova e que envolve uma ruptura com valores e hábitos presentes nas relações e no cotidiano dos profissionais atuantes nas organizações analisadas, assim como de outros atores estratégicos que influenciam sua inserção nesse contexto. Por isso, as unidades de saúde analisadas ainda carecem de um planejamento quanto às PICS: informar, capacitar e estimular seus profissionais. Quanto aos usuários, apesar dos resultados positivos, notou-se uma carência nos meios de comunicação para esclarecer e divulgar essas práticas. Os resultados mostram a necessidade de pensar as especificidades de cada unidade do sistema de saúde, nas decisões de inserção de novas práticas de atendimento; mostram que as práticas de organizing e strategizing podem ser configuradas a partir de mais de um modo de associação, trazendo à tona os avanços e as lacunas na inserção das práticas de MI em políticas do SUS. Os olhares sobre os modos de configuração das práticas de strategizing e organizing mostram os praticantes fazendo uso de regras e recursos de modo apropriado ou conforme as regras e recursos disponíveis, mas também mostram os praticantes criando alternativas e transformando as regras e desenvolvendo novos recursos.
Abstract: The National Policy on Integrative and Complementary Practices (PNPIC), approved in 2006, provides SUS users with access to practices like acupuncture and homeopathy, not offered by heath care system before. Heath managers need to deal with these changes originated from these new practices. The objective of this research is to analyze the configuration of the practices of strategizing and organizing with the insertion of IM in public health units of Uberlândia. The theoretical approach to this research is based on studies of strategy as practice and studies on public health and IM. Based on interpretative assumptions and a qualitative approach, the data were collected in three health units of Uberlândia, using documental research, non-participant observation and semi-structured interviews with coordinators, health professionals and users of the selected units. In addition, a member of the Regional Medical Council, a member of the Municipal Health Council and a member of the Consultative Committee of integrative practices were interviewed. After the data collection, the data were processed and analyzed according to the precepts of the content analysis. The results of the research pointed to the identification of an unbalanced and also interdependent relationship between strategizing and organizing. The unbalanced relationship may originate from the fact that health units follow general established strategies without considering their organizing practices, which may hinder or make it impossible to reach the strategic guidelines broadly defined by the Ministry of Health. Interdependent practices point to an alignment between organizing and strategizing and the established goals. The PNPIC is a relatively new policy and involves a break with many values and habits in the relationships and daily life of the professionals working in the analyzed organizations, as well as other strategic actors that may influence their insertion in this context. Therefore, it was noticed that the analyzed health units still lack planning with regard to PICS: to inform, to train and encourage their professionals. Regarding users, despite the positive results, it was noted a lack in the communication in order to clarify and disseminate these practices to the population. The results demonstrate the need of thinking about the specificities of each health unit, regarding the decisions of the insertion of new care practices; also demonstrate that organizing and strategizing practices can be configured from more than one mode of association, bringing up the advances and the gaps in the insertion of IM practices into SUS. The looks at the configuration modes of strategizing and organizing practices show that practitioners are using rules and resources according those available rules and resources, but also show practitioners creating alternatives and transforming rules and developing new resources.
Keywords: Administração
Saúde pública - Administração - Uberlândia (MG)
Saúde pública - Aspectos sociais - Uberlândia (MG)
Saúde - Planejamento - Uberlândia (MG)
Política de saúde - Uberlândia (MG)
Contextos pluralísticos
Estratégia como Prática Social
Medicina Integrativa
Organizing
Strategizing
Pluralistic Contexts
Strategy as Social Practice
Integrative Medicine
Strategizing
Organizing
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Administração
Citation: PINHAL, Vanessa Alves. Olhares sobre as práticas de strategizing e de organizing com a inserção da medicina integrativa na saúde pública. 2017. 173 f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2017.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/19198
Issue Date: 23-Feb-2017
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Administração

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
OlharesSobrePraticas.pdfDissertação25.3 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.