Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/18915
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Vigilância da infecção pelo Mycobacterium leprae por meio de sistema de informação geográfica e de ferramentas moleculares e imunológicas em município de alta endemia de hanseníase no estado de Minas Gerais
metadata.dc.creator: Nicchio, Mariana Vitorino Candeiro
metadata.dc.contributor.advisor1: Goulart, Isabela Maria Bernardes
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Barreto, Josafá Gonçalves
metadata.dc.contributor.referee1: Lima, Samuel do Carmo
metadata.dc.contributor.referee2: Ferreira, Ricardo Vicente
metadata.dc.description.resumo: Hanseníase é um problema de saúde pública em países de baixa renda e em desenvolvimento. Contatos domiciliares de pacientes com hanseníase estão em risco para o desenvolvimento da doença e podem estar envolvidos na cadeia de transmissão do Mycobacterium leprae. Caracterizar a endemia hansênica do município de Ituiutaba no período de 2004 a 2014, por meio de ferramentas de georreferenciamento, a partir dos casos novos notificados no SINAN neste período e realizar epidemiologia molecular entre os contatos de hanseníase. Sistemas de Informação Geográfica (SIG) e análise espacial são ferramentas eficientes para determinar as regiões de risco e fornecer suporte na detecção precoce de novos casos. O SIG foi aplicado para explorar a distribuição dos casos de hanseníase (N = 303) entre 2004 a 2014, e de contatos (N = 53) entre 2013 e 2014, em uma área altamente endêmica da região sudeste do Brasil, foram analisados de acordo com a distribuição dos casos de hanseníase e a infecção subclínica determinados por sorologia entre contatos, para avaliar transmissão e o risco para o aparecimento da doença, bem como apoiar estratégias de prevenção. No período analisado 57,4% (213/371) dos pacientes apresentaram hanseníase multibacilar e 42,6% (158/371) foram considerados como casos paucibacilares. Em relação ao gênero, a maioria dos casos foi do sexo feminino, com 52,6% (195/371) dos casos (p<0,05). Quanto à faixa etária, mais da metade dos casos 47,7% (177/371) estava entre 35 a 59 anos, com diferença estatisticamente significante das outras (p<0,05) Em relação à classificação clínica dos casos novos (classificação Madrid), a manifestação dimorfa foi o mais prevalente, compreendendo 47,2% (175/371) dos pacientes neste estudo. A detecção de casos apresentou um declínio de 43% no período de 10 anos do estudo (P <0,05), permanecendo no parâmetro de detecção altamente endêmico (20 a 39,99 casos/ 100.000 habitantes). Enquanto a detecção em < de 15 anos saiu do parâmetro hiperendêmico, com 18,54 casos por 100.000 hab. para zero alcançando o parâmetro baixo. A análise espacial demonstrou áreas com maior número de casos, que coincidem com as áreas com maiores densidades populacionais. Os aglomerados espaciais, por meio da estimativa de Kernel, sugerem três principais clusters de doentes. A positividade entre os contatos com infecção subclínica foi 17% para o ELISA anti PGL-I e 42% para teste LID-NDO e 9,43% para qPCR de sangue. Encontramos mais de 70% (38/60) de contatos de casos índices classificados como multibacilares. A espacialização dos 56% de contatos com infecção subclínica mostrou proximidade com aglomerados de doentes, além disto, identificou três possíveis de doentes. A distribuição espacial dos casos de hanseníase foi heterogênea em todo o perímetro urbano. Foram identificados quatro principais clusters de pacientes e três clusters principais de infecção subclínica, que coincidiram, confirmando uma relação com entre os doentes e contatos espacialmente próximos. A epidemiologia espacial e temporal associada à análise sorológica pode aumentar a eficácia das estratégias de controle através da identificação de áreas de carga da doença e da transmissão de M. leprae, fornecendo informações importantes para apoiar o planejamento das intervenções de saúde ação em regiões de interesse.
Abstract: Leprosy is a public health problem in developing and low income countries. Household contacts of leprosy patients (HHCs) are at risk for the development of disease and may be involved in Mycobacterium leprae chain of transmission. To characterize the leprosy endemic of the municipality of Ituiutaba in the period from 2004 to 2014, using georeferencing tools, from new cases reported not SINAN in this period and carry out molecular epidemiology among leprosy contacts. Geographic Information Systems (GIS) and spatial analysis are efficient tools to determine regions of risk and support early detection of new cases. Applied GIS to explore the distribution of leprosy cases (N=303), reported during 2004 to 2014, and of HHCs (N=53), in a highly endemic area of southeast Brazil, were analyzed according to leprosy classification of the cases and the subclinical infection determined by serology among HHCs, to evaluate risk for disease onset and transmission, as well support prevention strategies. In the analyzed period 57.4% (213/371) of patients had multibacillary and 42.6% (158/371) were considered paucibacillary cases. for genres, most of the cases were female, with 52.6% (195/371) of cases (p <0.05). As for the age group, more than half of the cases 47.7% (177/371) was between 35 and 59 years, with a statistically significant difference from the other (p <0.05) for the clinical classification of new cases (classification Madrid ), the manifestation borderline was the most prevalent, comprising 47.2% (175/371) of patients in this study. While the detection of <15 years left the hyperendemic parameter, with 18.54 cases per 100,000 hab. for reaching the low parameter.. Positivity among the HHCs with subclinical infection: 17% for anti-PGL-I ELISA and 42% for anti-LID-NDO rapid lateral-flow test. The detection of cases showed a 43% decline in 10 years of the study (P <0.05), remaining in highly endemic detection parameter (20 to 39.99 cases / 100,000hab.) Seventy percent (38/60) was observed among contacts of index cases manifesting multibacillary (MB) leprosy. Spatial distribution of leprosy cases was highly heterogeneous throughout the urban perimeter. Four main clusters of patients and three main clusters of subclinical infection were identified. Spatio-temporal epidemiology associated to serologic analysis can increase the effectiveness of the control strategies through the identification of areas of disease burden and of M. leprae transmission, providing critical information to support the action planning of health interventions in regions of interest.
Keywords: Ciências médicas
Hanseníase
Sistemas de informação geográfica
Hanseníase, casos e contatos domiciliares
ELISA anti-PGL-I
Teste rápido (LID-NDO)
PCR de detecção de DNA de M. leprae
Sistema de Informação Geográfica (SIG)
Epidemiology
Leprosy
Mycobacterium leprae
Serologic Tests
Spatial Analysis
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde
Citation: NICCHIO, Mariana Vitorino Candeiro. Vigilância da infecção pelo Mycobacterium leprae por meio de sistema de informação geográfica e de ferramentas moleculares e imunológicas em município de alta endemia de hanseníase no estado de Minas Gerais. 2016. 101 p. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2016.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/18915
Issue Date: 25-Feb-2016
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Ciências da Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
VigilanciaInfeccaoMycobacterium.pdfDissertação4.66 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.