Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/18907
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorAbreu, Rosyane de Oliveira-
dc.date.accessioned2017-06-14T13:47:56Z-
dc.date.available2017-06-14T13:47:56Z-
dc.date.issued2017-05-11-
dc.identifier.citationABREU, Rosyane de Oliveira. Professora, eu sou negra?: relações raciais e sua abordagem no espaço escolar 2010 - 2016. 2017. 148 f. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2017. Disponível em: http://doi.org/10.14393/ufu.di.2017.353pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufu.br/handle/123456789/18907-
dc.description.abstractThis study deals with racial relations in Brazil, the teaching of History in basic education and a possibility of significant practices from the appropriation of the school curriculum. For this we start with the analysis of a series of actions developed with 7 year old students in a municipal school in the city of Uberlândia MG, where activities are sought that encourage young students to discuss a racial race, miscegenation and discrimination, but also thinking on the construction of notions related to an identity and a difference in its historical and political aspect, in a correlation with the curricular content under study, in the case, colonization of Brazil. We start from the assumption that the teaching of history to reminisce the past should seek to encourage students to a better understanding of the present, therefore, the political positions of everyday life, so as to perceive subject - subject and participant in history and therefore, able to reflect on positions, social values; Finally, about their lives and about the world that surrounds them. Our reflection was based on numerous theorists among whom we highlight Jorn Rusen who helped us to problematize on the teaching of History, Hommi Bhabha and Stuart Hall with whom we debate as conceptions related to identity and differences in the racial question as contributions of Franz Fannon, Antônio Sérgio Guimarães, Kabenguele Munanga and Nilma Gomes were fundamental.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de Uberlândiapt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectHistóriapt_BR
dc.subjectHistória - Estudo e ensinopt_BR
dc.subjectRelações raciais - Brasilpt_BR
dc.subjectNegros - Brasil - Identidade racialpt_BR
dc.subjectEnsino de Históriapt_BR
dc.subjectIdentidadespt_BR
dc.subjectHistory teachingpt_BR
dc.subjectRace relationspt_BR
dc.subjectIdentitiespt_BR
dc.titleProfessora, eu sou negra?: relações raciais e sua abordagem no espaço escolar 2010 - 2016pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.contributor.advisor1Carmo, Maria Andréa Angelotti-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4768909H6pt_BR
dc.contributor.referee1Ribeiro Júnior, Florisvaldo Paulo-
dc.contributor.referee1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4794557J0pt_BR
dc.contributor.referee2Azevedo, Amailton Magno-
dc.contributor.referee2Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4778480D5pt_BR
dc.creator.Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4767724D2pt_BR
dc.description.degreenameDissertação (Mestrado)pt_BR
dc.description.resumoEsta dissertação versa sobre as relações raciais no Brasil, o ensino de História na educação básica e a possibilidade de práticas significativas a partir da apropriação do currículo escolar. Para isso partimos da análise de uma série de ações desenvolvidas com alunos de 7° anos em uma escola municipal da cidade de Uberlândia MG, onde se buscou promover atividades que estimulassem esses jovens estudantes a discutir a temática da questão racial, mestiçagem e discriminação, mas também a pensar sobre a construção de noções relacionadas a identidade e diferença em seu aspecto histórico e político, em correlação ao conteúdo curricular em estudo, no caso, colonização do Brasil. Partimos do pressuposto de que o ensino de história ao rememorar o passado deve buscar incentivar junto aos alunos a melhor compreensão do presente e, se possível, dos posicionamentos políticos do cotidiano, de modo a se perceber enquanto sujeito atuante e participante da história e, portanto, capaz de refletir sobre posturas, valores sociais, enfim, sobre sua vida e sobre o mundo que o cerca. Nossa reflexão embasou-se em inúmeros teóricos entre os quais destacamos Jorn Rusen que nos ajudou a problematizar sobre o ensino de História, Hommi Bhabha e Stuart Hall com os quais debatemos as concepções relacionadas a identidade e diferenças e, na questão racial, as contribuições de Franz Fannon , Antônio Sérgio Guimarães, Kabenguele Munanga e Nilma Gomes foram fundamentais.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Históriapt_BR
dc.sizeorduration148pt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::HISTORIApt_BR
dc.identifier.doihttp://doi.org/10.14393/ufu.di.2017.353pt_BR
dc.orcid.putcode81764831-
dc.crossref.doibatchid0614f9c5-fdfd-49ca-82e6-264faa062f03-
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - História

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ProfessoraEuSou.pdfDissertação26.54 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.