Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/18398
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Sepse em pacientes com lesão renal aguda severa
metadata.dc.creator: Inácio, Ana Cristina Rocha
metadata.dc.contributor.advisor1: Diogo Filho, Augusto
metadata.dc.contributor.referee1: Iwamoto, Helena Hemiko
metadata.dc.contributor.referee2: Gonçalves, Rejane Maria Dias de Abreu
metadata.dc.description.resumo: As principais causas de mortalidade entre os pacientes críticos são a sepse grave e o choque séptico. Possuem um impacto negativo e crescente na saúde pública. A lesão renal aguda (LRA) é comum durante a fase crítica da doença, há um aumento na incidência em pacientes hospitalizados e prenuncia piora na evolução clínica. Associa-se com aumento da utilização de recursos intensivos, mortalidade e aumento no tempo de internação. A sepse e LRA estão aumentando entre os pacientes críticos e estabelecem maior risco de morbidade e mortalidade. Sendo a sepse estabelecida como fator chave para o desenvolvimento de LRA em doenças criticas. O objetivo foi analisar a prevalência de sepse nos pacientes com lesão renal aguda, submetidos à terapia renal substitutiva hemodialítica. O estudo avaliou 44 pacientes acima de 18 anos que iniciaram terapia renal substitutiva hemodialítica na unidade de terapia intensiva de um hospital de grande porte terciário, referência na macro-região do Triângulo-Norte do estado de Minas Gerais, Brasil. Houve uma análise dos prontuários dos pacientes e no Sistema de Informação Hospitalar (SIH) como idade, gênero, data de internação hospitalar, data de internação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), diagnóstico de internação, parâmetros bioquímicos e hematológicos e infecções pré-existentes. E foi coletado tipo de terapia hemodialítica, uso de noradrenalina, data de alta hospitalar ou óbito, parâmetros bioquímicos e hematológicos, infecções apresentadas após o início da hemodiálise. A coleta dos dados foi por meio de preenchimento de questionário elaborado a partir dos objetivos propostos. Os dados foram avaliados por medidas descritivas e tabelas. As variáveis quantitativas foram avaliadas por meio do teste de Shapiro- Wilk. Para as variáveis quantitativas que seguem distribuição normal foi calculado o coeficiente de correlação de Pearson e aquelas variáveis que não seguem distribuição normal foi obtido coeficiente de correlação de Spearman. A associação de variáveis qualitativas foi avaliada pelo teste qui-quadrado. As variáveis ainda foram avaliadas por meio de teste t-Student ou Kruskall-Wallis. As variáveis sócio- demográficas foram analisadas revelando que 63,6% foram sexo masculino com idade média 63,3 anos. A sepse foi principal causa de lesão renal aguda em 65,9% dos pacientes e a mortalidade foi de 79,5%. O tempo de internação na UTI foi 22,45 ± 13,5 dias e o tempo total de hospitalização foi 31,30 ± 21,4 dias. A hemodiálise intermitente foi a mais utilizada em 61,4% dos casos. O choque séptico e a sepse grave estavam presentes em 54,5% e 13,6% da população. O principal foco de infecção primária encontrado foi o pulmonar 41,1%. Apesar de campanhas internacionais, a sepse e a sua mortalidade permanecem altas. Deve-se prevenir o aparecimento de infecções evitando sua evolução para formas mais graves.
Abstract: The main causes of mortality among critical patients are severe sepsi s and septic shock. They have a negative and growing impact on public health. Acute renal injury (AKI) is common during the critical phase of the disease, there is an increased incidence in hospitalized patients and indicates a worsening of clinical outcome. It is associated with increased use of intensive resources, mortality and increased length of hospital stay. Sepsis and AKI are increasing among critically ill patients and pose a higher risk of morbidity and mortality. Being established sepsis as a key factor for the development of AKI in critical illness. We aimed to analyze the prevalence of sepsis in patients with acute renal injury submitted to hemodialysis renal replacement therapy. The study evaluated 44 patients over 18 years of age who started hemodialytic renal replacement therapy in the intensive care unit of a large tertiary hospital, a reference in the Triângulo-Norte macro region of the state of Minas Gerais, Brazil. There was an analysis of patient records and the Hospital Information System (SIH), such as age, gender, date of hospital stay, date of hospitalization in the Intensive Care Unit (ICU), diagnosis of hospitalization, biochemical and hematological parameters, existing. Hemodialysis therapy, norepinephrine use, hospital discharge or death date, biochemical and hematological parameters, infections after hemodialysis was started were collected. Data collection was done through the completion of a questionnaire based on the proposed objectives. The data were evaluated by descriptive measures and tables. Quantitative variables were evaluated using the Shapiro-Wilk test. For the quantitative variables that follow normal distribution the Pearson correlation coefficient was calculated and those variables that do not follow normal distribution were obtained Spearman correlation coefficient. The association of qualitative variables was assessed by the chi -square test. The variables were still evaluated using Student's t-test or Kruskall-Wallis test. The socio-demographic variables were analyzed revealing that 63.6% were males with a mean age of 63.3 years. Sepsis was the main cause of acute renal injury in 65.9% of patients and mortality was 79.5%. The length of ICU stay was 22.45 ± 13.5 days and the total hospitalization time was 31.30 ± 21.4 days. Intermittent hemodialysis was the most used in 61.4% of the cases. Septic shock and severe sepsis were present in 54.5% and 13.6% of the population. The main focus of primary infection was pulmonary 41.1%. Despite international campaigns, sepsis and its mortality remain high. Preventing the onset of infections should be avoided by avoiding their evolution to more severe forms.
Keywords: Ciências médicas
Insuficiência renal crônica
Rins - Doenças
Septicemia
Lesão renal aguda
Sepse
Terapia de substituição renal
Acute renal injury
Sepsis
Renal replacement therapy
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde
Citation: INACIO, Ana Cristina Rocha. Sepse em pacientes com lesão renal aguda severa. 2017. 63 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2017.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/18398
Issue Date: 23-Jan-2017
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Ciências da Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SepsePacientesLesao.pdfDissertação616.15 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.