Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17785
Document type: Dissertação
Access type: Acesso Aberto
Title: Avaliação comparativa da remodelação óssea periimplantar em implantes com junção cone-morse e hexágono externo: estudo clínico randomizado controlado, duplo cego, boca dividida
Author: Pereira, Leandro Maruki
First Advisor: Neves, Flávio Domingues das
First coorientator: Pessoa, Roberto Salles e
First member of the Committee: Soares, Carlos José
Second member of the Committee: Margonar, Rogerio
Summary: Introdução: Várias hipóteses, tais como a formação de espaço biológico, as reações inflamatórias devido à contaminação do microgap entre implante-pilar, e a concentração de tensões peri-implantares causando microdanos ao tecido ósseo, têm sido sugeridos para explicar a perda óssea peri-implantar no primeiro ano em função. No entanto, ainda não é bem compreendido em qual extensão o tipo de conexão pilar/implante pode influenciar o processo de remodelação óssea ao redor de implantes. Objetivo: avaliar parâmetros clínicos, bacteriológicos, e biomecânicos relacionados à perda óssea peri-implantar na região da crista óssea, comparando as conexões hexagonal externa (HE) e cone morse (CM). Materiais e Métodos: Doze pacientes com mandíbulas totalmente desdentados receberam quatro implantes Ø 3,8 x 13 mm implantes na região interforaminal da mandíbula, com o mesmo design, mas diferentes conexões protéticas (dois deles HE ou CM, colocadas aleatoriamente com base em um desenho de boca dividida) e uma prótese implanto-suportada com carregamento imediato. Os parâmetros clínicos (profundidade de sondagem, índice gengival modificado e espessura da mucosa peri-implantar,) foram avaliados em 4 sítios ao redor dos implantes, após um ano de acompanhamento. A distância a partir do topo do implante para o primeiro contato entre o osso-implante - IT-FBIC foi avaliada em radiografias periapicais digitais padronizadas realizadas a 1, 3, 6 e 12 meses de acompanhamento. Amostras da microbiota subgengival foram coletadas 1, 3 e 6 meses após o carregamento do implante. DNA foi extraído e usado para a quantificação de Tanerella Forsythia, Porphyromonas gingivalis, Actinobacillus Aggragatibacter, Prevotella intermedia e Fusobacterium nucleatum. Comparação entre vários períodos de observação foram realizadas utilizando medidas repetidas Análise de Variância (ANOVA, α =0,5), seguido de um teste post-hoc de Tukey, enquanto que as comparações com base em dois períodos foram feitas utilizando o teste t pareado. Além disso, os modelos de computador tomográficos base de elementos finitos (EF) foram realizadas, simulando cada um dos doze paciente em três condições de carga. Os resultados para o pico de tensão EQV no osso peri-implantar foram interpretados por meio de um modelo linear geral (ANOVA-three- Way, α=0,5). Resultados: A variação na perda óssea peri-implantar avaliada por meio de radiografias foi significativamente diferente entre os tipos de conexão (P <0,001). A média de IT-FBIC foi de 1,17 ± 0,44 mm para HE, e 0,17 ± 0,54 milímetros para CM, considerando-se todos os períodos avaliados. Todos os parâmetros clínicos não apresentaram diferenças estatisticamente significantes. Diferenças significativas microbiológicas não foram observadas entre os dois tipos de conexões. A maioria das amostras recolhidas tinham muito poucos agentes patogénicos, o que significa que estas regiões eram saudáveis do ponto de vista microbiológico. Na análise EF, um pico significativamente maior de tensão EQV (P = 0,005) foi encontrado para HE (média 3.438,65μ∑) em comparação com CM (média de 840,98 μ∑□. Conclusões: Variar o tipo de conexão protética irá resultar em diferentes padrões de remodelação óssea peri-implantar, independentemente das condições clínicas e microbiológicas. É mais provável que este fato seja atribuído à transmissão de carga através de diferentes conexões implante-pilar para o osso peri-implantar. Os resultados atuais sugerem que uma conexão cone morse seja mais eficiente para prevenir a perda óssea peri-implantar, em comparação com uma conexão de hexágono externo.
Abstract: Background: Several theories, such as the biological width formation, the inflammatory reactions due to the implant-abutment microgap contamination, and the periimplant stress/strain concentration causing bone microdamage accumulation, have been suggested to explain early periimplant bone loss. However, it is yet not well understood to which extent the implant-abutment connection type may influence the remodeling process around dental implants. Aim: to evaluate clinical, bacteriological, and biomechanical parameters related to periimplant bone loss at the crestal region, comparing external hexagon (EH) and Morse-taper (MT) connections. Materials and methods: Twelve patients with totally edentulous mandibles received four custom made Ø 3.8 x 13 mm implants in the interforaminal region of the mandible, with the same design, but different prosthetic connections (two of them EH or MT, randomly placed based on a split-mouth design), and a immediate implant- supported prosthesis. Clinical parameters (periimplant probing pocket depth, modified gingival index and mucosal thickness) were evaluated at 6 sites around the implants, at a 12 month follow-up. The distance from the top of the implant to the first bone-to-implant contact – IT-FBIC was evaluated on standardized digital peri-apical radiographs acquired at 1, 3, 6 and 12 months follow-up. Samples of the subgingival microbiota were collected 1, 3 and 6 months after implant loading. DNA were extracted and used for the quantification of Tanerella forsythia, Porphyromonas gingivalis, Aggragatibacter actinomycetemcomitans, Prevotella intermedia and Fusobacterium nucleatum. Comparison among multiple periods of observation were performed using repeated-measures Analysis of Variance (ANOVA), followed by a Tukey post-hoc test, while two-period based comparisons were made using paired t- test. Further, 36 computer-tomographic based finite element (FE) models were accomplished, simulating each patient in 3 loading conditions. The results for the peak EQV strain in periimplant bone were interpreted by means of a general linear model (ANOVA). Results: The variation in periimplant bone loss assessed by means of radiographs was significantly different between the connection types (P<0.001). Mean IT-FBIC was 1.17±0.44 mm for EH, and 0.17±0.54 mm for MT, considering all evaluated time periods. All clinical parameters presented not significant differences. No significant microbiological differences could be observed between both connection types. Most of the collected samples had very few pathogens, meaning that these regions were healthy from a microbiological point of view. In FE analysis, a significantly higher peak of EQV strain (P=0.005) was found for EH (mean 3438.65 µ∑) compared to MT (mean 840.98 µ∑) connection. Conclusions: Varying implant-abutment connection type will result in diverse periimplant bone remodeling, regardless of clinical and microbiological conditions. This fact is more likely attributed to the singular loading transmission through different implant-abutment connections to the periimplant bone. The present findings suggest that Morse-taper connection is more efficient to prevent periimplant bone loss, compared to an external hexagon connection.
Keywords: Odontologia
Implantes dentários
Implantes dentários osseointegrados
Interface implante pilar
Perda óssea
Estudo controlado aleatorizado
Dental implants
Interface abutment implant
Bone loss
Randomized controlled tria
Area (s) of CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ODONTOLOGIA
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
Program: Programa de Pós-graduação em Odontologia
Quote: PEREIRA, Leandro Maruki. Avaliação comparativa da remodelação óssea periimplantar em implantes com junção cone-morse e hexágono externo: estudo clínico randomizado controlado, duplo cego, boca dividida. 2015. 60 f. Dissertação (Mestrado em Odontologia) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2015.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17785
Date of defense: 3-Jul-2015
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Odontologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AvaliacaoComparativaRemodelacao.pdfDissertação2.69 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.