Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17744
Document type: Dissertação
Access type: Acesso Aberto
Title: A crença sobre a morte e o coping religioso-espiritual em pacientes internados com doenças crônicas
Author: Silva, Virginia Maria Terra
First Advisor: Lopez, Renata Ferrarez Fernandes
First member of the Committee: Lopes, Ederaldo Jose
Second member of the Committee: Domingos, Neide Aparecida Micelli
Summary: O ser humano é compreendido como um ser integral, complexo, que apresenta múltiplas dimensões: social, biológica, psicológica, antropológica, espiritual e outras. Conforme sua dimensão biológica, o homem apresenta a possibilidade do adoecimento físico, o que significa que o corpo necessita de cuidados. O adoecer afasta os seres humanos da condição de saúde e segurança, aproximando-os diretamente da condição de finitude e vulnerabilidade, levando o ser humano a entrar em contato com as maiores incertezas da vida: sofrimento da doença e a morte. A religiosidade e espiritualidade constituem importante estratégia de enfrentamento ao nos depararmos com situações limítrofes. Quando as pessoas se voltam para a religião para lidar com o estresse ocorre o coping religioso-espiritual (CRE). O objetivo dessa pesquisa foi avaliar a relação entre as visões sobre a morte e o coping religioso-espiritual em pacientes portadores de doenças crônicas hospitalizados. Participaram deste estudo dez pacientes internados por complicações de doenças crônicas na unidade de Clinica Médica de um hospital público na cidade de Uberlândia/MG. Foram utilizadas duas escalas psicológicas: Escala de Coping Religioso-Espiritual Breve (Escala CRE-Breve) e Escala Breve sobre diversas perspectivas de Morte e uma entrevista estruturada (audiogravada) sobre o tema morte e coping religioso-espiritual. Os resultados indicaram que 80% da amostra (N=8) foi composta por pacientes internados devido a doenças crônicas não transmissíveis, enquanto 20% representaram pacientes com complicações de AIDS. Analisando-se os resultados da Escala CRE-Breve, ressalta-se a utilização de estratégias de coping religioso-espiritual pelos participantes, pois em relação ao CRE Total, todos os participantes estudados apresentaram escores médios ou altos para este índice, com uma baixa utilização de CRE Negativo e escores médios de CRE Positivo. Em relação às visões sobre a morte, os resultados obtidos pela Escala Breve de Diversas Perspectivas sobre a Morte sugerem que esta amostra concorda com a visão de morte como algo que faz parte do ciclo natural da vida (Morte como fim natural) e apresenta a perspectiva da morte como incerteza, mistério e desconhecimento (Morte como Desconhecida). Nas correlações medidas pelo entre os fatores e itens da Escala CRE-Breve e dimensões das Escalas Breves sobre diversas perspectivas de Morte observa-se a prevalência de correlações das dimensões Morte como desconhecida e Morte como fim natural com a escala CRE-Breve. Na análise da entrevista evidenciou-se a influencia positiva da religiosidade/ espiritualidade sobre a saúde, da perspectiva do entrevistado, com destaque para o amparo promovido pela religião. Percebeu-se também a utilização da oração como estratégia de enfrentamento da hospitalização e adoecimento. No tocante da entrevista acerca do tema da morte, verificou-se o predomínio dos temas ligados à “vida do Além”, “desconhecida” e “abandono”, os quais se associam com as visões da morte como mistério e morte como fim natural. Nas entrevistas há indícios de crenças sobre a morte como um mistério aterrorizante, ligadas, portanto, ao desconhecido e ao sentimento de medo diante da mesma. A experiência do adoecimento, portanto, pode ser analisada como uma fonte de vulnerabilidade, uma vez que nela estão presentes a percepção pessoal do perigo (externo) – o próprio adoecimento e possibilidade da morte, principalmente naqueles pacientes submetidos à internação em UTI – e onde o controle é insuficiente para a sensação de segurança, já que na hospitalização os cuidados dispensados ao paciente são delegados a terceiros e os doentes assumem um papel passivo. Esse fato é importante e relevante aos profissionais de saúde que lidam diariamente com pacientes hospitalizados por doenças crônicas, uma vez que ao recorrer à religião e espiritualidade como estratégia de enfrentamento esse movimento psíquico não se constituiu em uma forma de distanciamento negativo ou mesmo de negação da condição de saúde. Ao contrário, refere-se a um movimento de busca por conforto e segurança disponibilizados pela religião e espiritualidade.
Abstract: The human being is understood as an integral being, complex, which has multiple dimensions: social, biological, psychological, anthropological, spiritual and others. As its biological dimension, the man presents the possibility of physical illness, which means that the body requires care. The sick away from humans in health and safety conditions, approaching them directly from the finitude and vulnerability condition, leading us to contact the major uncertainties of life: suffering of disease and death. Religiosity and spirituality are important coping strategy for human when faced with borderline situations. When people turn to religion to cope with stress is the religious and spiritual coping. The objective of this research was to evaluate the relationship between the views on death and the religious-spiritual coping in patients with chronic diseases hospitalized. The study included ten patients hospitalized for chronic disease complications Medical Clinic Unit of a public hospital in the city of Uberlândia/MG. two psychological scales were used: Scale Religious-Spiritual Coping Brief (CRE-Brief Scale) and Scale Brief Diverse Perspectives of Death and a structured interview (audiogravada) on the subject of death and religious and spiritual coping. The results indicated that 80% of the sample (N = 8) consisted of patients hospitalized due to chronic diseases, while 20% accounted for patients with AIDS complications. Analyzing the results of scale CRE-Brief, it emphasizes the use of strategies of religious and spiritual coping by participants as compared to CRE Total, all study participants had average or high scores for this index, with a low utilization CRE negative and average utilization CRE Positive. Regarding views on death, the results obtained by the Different Perspectives Quick Scale on Death suggest that this sample agrees with the view death as something that is part of the natural cycle of life (M8 - Death as a natural end) and features the prospect of death as uncertainty, mystery and ignorance (M4 - death as Unknown). The correlations between the measures the factors and items of CRE-Bref and dimensions of Short scales on different perspectives of Death notes the prevalence of correlations of M4 dimensions - Death as unknown and M8 - Death as a natural order to the creditor scale soon. In the interview analysis revealed a positive influence of religion/ spirituality on health, from the perspective of the respondent, highlighting the protection promoted by religion. It also noticed the use of prayer as a coping strategy of hospitalization and illness. Regarding the interview about the topic of death, there was a predominance of issues related to "afterlife", "unknown" and "abandonment", which are associated with the visions of death and mystery and death as a natural end. In the interviews there belief clues about death as a terrifying mystery connected, so the unknown and the feeling of fear on the same. The experience of illness can therefore be considered as a source of vulnerability, since it is present personal perception of danger (external) - own illness and possible death, especially in those patients undergoing ICU - and where control is insufficient for the sense of security, since the hospital providing care to the patient are delegated to third parties and patients assume a passive role. This fact is important and relevant to health professionals who deal daily with patients hospitalized for chronic diseases, since the recourse to religion and spirituality as a coping strategy that psychic movement was not constituted in a form of negative distance or even denial of health condition. On the contrary, it refers to a movement in search of comfort and security provided by the religion and spirituality.
Keywords: Psicologia
Morte - Aspectos religiosos
Doenças crônicas
Doentes hospitalizados
Coping
Coping religioso-espiritual
Morte
Doença crônica
Religious and spiritual coping
Death
Chronic disease
Area (s) of CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
Program: Programa de Pós-graduação em Psicologia
Quote: SILVA, Virginia Maria Terra. A crença sobre a morte e o coping religioso-espiritual em pacientes internados com doenças crônicas. 2016. 127 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Aplicada) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2016.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17744
Date of defense: 4-Mar-2016
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CrencaMorteCoping.pdf4.16 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.