Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17594
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: As relações de interação e integração entre cérebro, corpo-propriamente-dito e meio-ambiente na constituição da mente consciente
metadata.dc.creator: Cardoso, Thiago Rezende de Deus
metadata.dc.contributor.advisor1: Almada, Leonardo Ferreira
metadata.dc.contributor.referee1: Goto, Tommy Akira
metadata.dc.contributor.referee2: Cerqueira, Luiz Alberto
metadata.dc.description.resumo: Esta dissertação será marcada por nossa proposta de sustentar uma perspectiva teórica para o clássico problema mente-corpo, e mais precisamente pela defesa da ideia de que a consciência (ou mente consciente) emerge de relações de interação e integração entre corpo-propriamente-dito, cérebro e ambiente. Esse propósito nos levará a assumir uma posição alternativa em relação às mais tradicionais abordagens para o problema mente-corpo, isto é, uma perspectiva alternativa não só em relação às formas de dualismo mente-corpo, mas também em relação à fisicalista redutiva, que reduz mente a cérebro. Visando a sustentar uma posição que tanto evite a tese de que mente e corpo são substâncias distintas quanto a teoria de que o cérebro explica a consciência em sua totalidade, dedicaremos parte importante deste trabalho a explicar como a estruturação da consciência depende, de maneira significativa, do corpo-propriamente-dito e dos mecanismos de informação corporal, bem como do ambiente e dos mecanismos fisiológicos por meio dos quais nos situamos no espaço, perante os nossos e os outros corpos (orgânicos e inorgânicos). Considerando que as relações entre cérebro, corpo e ambiente envolvem diferentes níveis mentais — desde os mecanismos mentais mais primitivos e não conscientes até os níveis propriamente conscientes — procederemos à tarefa de assumir um modelo para explicar em que sentido esses níveis concorrem para que nossos instintos e as mais sofisticadas dimensões de nossa vida mental sejam parte de um só e o mesmo processo, razão pela qual estruturaremos nosso argumento na concepção de que mente, self e consciência são os distintos níveis hierárquicos que compõem a totalidade de nossa vida psíquica e, portanto, orgânica. De posse desse tratamento conceitual, avançaremos para o que constitui o cerne deste trabalho, a saber, as razões que nos levam a conferir papel de destaque ao corpo-propriamente-dito e ao ambiente na constituição da mente consciente, ou ainda, as razões que nos levam a defender a tese de que somos corporificados e situados, o que nos levará de encontro às posições teóricas que dicotomizam homem e mundo. Com o propósito de sustentar a tese de que somos corporificados e situados, e, portanto, com o propósito de superar os paradigmas que dicotomizam consciência e mundo, recorreremos aos autores e às perspectivas que acreditamos ter mais êxito nessa empreitada, o que inclui as abordagens fenomenológicas da autoconsciência corporal, as perspectivas enativistas e as pesquisas dedicadas a mapear as relações de interação e integração entre cérebro, corpo e ambiente. Para tanto, a dissertação será dividida em dois capítulos: no primeiro capítulo enfatizaremos em que sentido a estruturação da consciência depende do corpo-propriamente-dito e do ambiente, enquanto que, no segundo capítulo, recorreremos às dimensões fenomenológicas da autoconsciência corporal, com ênfase nos canais de informação corporais que nos dão a certeza imediata, em uma perspectiva de primeira pessoa, de que o self é corporal em um sentido não-metafórico.
Abstract: This dissertation will be marked by our proposal to hold a theoretical perspective to the classical mind-body problem, and more precisely for the defense of the idea that consciousness (or conscious mind) emerges from the interaction and integration relationships between body proper, brain and environment. This purpose will lead us to assume an alternative position with respect to the more traditional perspectives to the mind-body problem, ie an alternative perspective not only in relation to the dualistics forms of mind-body, but also in regards to the reductive physicalists, which usually reduces mind to brain. Aiming to support a position that both avoid the idea that mind and body are distinct substances and the theory that the brain explains the consciousness in its totality, we will dedicate an important part of this work to explain how the structure of consciousness depends significantly of the body proper and the bodily information mechanisms as well as the environment and the physiological mechanisms through which we place ourselves in space, in front of us and the other bodies (organic and inorganic). Given that the relationship between brain, body and environment involves different mental levels — from the most primitive and unconscious mental mechanisms until conscious and sophisticated levels — we will proceed to the task of assuming a model to explain in what sense these levels contribute to that our instincts and the most sophisticated dimensions of our mental life are part of the one and the same process, which is why we will structure our argument from the ideia that mind, self, and consciousness are the different hierarchical levels which make up the totality of our psychic life and therefore organic one. Imbued with this conceptual approach, we will advance to the focus of this work, namely the reasons that will lead us to give a prominent role to the body proper and the environment in the constitution of the conscious mind, or even the reasons that will lead us to defend the thesis according to which we are embodied and situated, as well as the reasons that will lead us to reject the theoretical positions that dichotomize man and world. In order to support the thesis that we are embodied and situated, and therefore with the purpose of overcoming the theoretical paradigms that dichotomize consciousness and world, we will turn out to the authors and the perspectives we believe to be more successful in this endeavor, including the phenomenological approaches to bodily self-consciousness, the enactivists perspectives and the researches dedicated to mapping the interaction and integration relationships between brain, body and environment. To achieve our goals, the dissertation will be divided into two chapters: the first chapter will emphasize in what way the structuring of consciousness depends on the body proper and the environment, while in the second chapter we will resort to the phenomenological dimensions of bodily self-consciousness, emphasizing the bodily information channels that provide us the immediate certainty, in a first person perspective, that the self is bodily in a non-metaphorical sense.
Keywords: Filosofia
Corpo e mente
Consciência
Autoconsciência
Problema mente-corpo
Mente e self
Cérebro
Corpo-propriamente-dito
Ambiente
Autoconsciência corporal
Mind-body problem
Consciousness
Mind and self
Brain
Body proper
Environment
Bodily self-consciousness
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::FILOSOFIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Filosofia
Citation: CARDOSO, Thiago Rezende de Deus. As relações de interação e integração entre cérebro, corpo-propriamente-dito e meio-ambiente na constituição da mente consciente. 2016. 117 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2016.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17594
Issue Date: 28-Mar-2016
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Filosofia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RelacoesInteracaoIntegracao.pdfDissertação999.91 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.