Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17148
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Os bastidores da queixa escolar: da sala de aula ao consultório psicológico
metadata.dc.creator: Rosa, Anyellem Pereira
metadata.dc.contributor.advisor1: Silva, Sílvia Maria Cintra da
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Ribeiro, Maria José
metadata.dc.contributor.referee1: Peretta, Anabela Almeida Costa e Santos
metadata.dc.contributor.referee2: Caldas, Roseli Fernandes Lins
metadata.dc.contributor.referee3: Barbosa, Deborah Rosária
metadata.dc.description.resumo: O grande número de crianças com queixas escolares encaminhadas às clínicas psicológicas públicas e particulares é um fato que demanda reflexão sob dois aspectos: por um lado, a escola estigmatiza a criança e sua família sem de fato ajudá-las e, por outro, o atendimento psicológico requer do profissional conhecimentos e concepções que abarquem toda a complexidade que tais queixas apresentam. Em face desse contexto, o presente estudo visa contribuir para uma melhor compreensão da queixa escolar, seguindo os caminhos que ela percorre desde a escola até o atendimento psicológico, e discutindo as concepções e práticas presentes nesse percurso, possibilitar um aprofundamento na reflexão acerca de aspectos tanto de manutenção como de superação da queixa escolar e de seus efeitos na vida dos indivíduos. Considerando que a queixa escolar tem origem na escola, a pesquisa iniciou-se investigando este universo. Selecionamos duas instituições educacionais públicas e duas particulares, das quais entrevistamos, respectivamente, as diretoras e as coordenadoras, perfazendo um total de cinco entrevistas. Solicitamos, então, a essas profissionais que indicassem um ou dois psicólogos a quem costumam encaminhar as crianças com queixas escolares. Assim, foram entrevistadas duas psicólogas, uma indicada pelas escolas particulares e uma psicóloga do serviço de saúde pública mencionado pelas escolas públicas. A análise das entrevistas mostrou que os bastidores da queixa escolar são constituídos pelos papéis ocupados por todos os envolvidos na rede de relações em que a queixa se constitui (educadores, família, psicólogo e criança); pelos discursos construídos sobre a criança; pelas concepções de desenvolvimento humano e de educação, pelas condições concretas do trabalho educativo e pela formação dos educadores e dos psicólogos. Tais aspectos foram discutidos e relacionados com outras temáticas, sendo reunidos em três grandes eixos: O papel da Escola destacando a especificidade da educação, as condições do trabalho docente, a relação família/escola/sociedade; Concepções sobre a queixa escolar focalizando a culpabilização da criança e a dicotomia entre a dimensão afetiva e cognitiva do indivíduo; A formação e a atuação do psicólogo que atende a queixa escolar discutindo os bastidores da queixa escolar fora dos muros escolares, especificamente nos consultórios de psicologia, e analisando as concepções das psicólogas entrevistadas a respeito da queixa escolar, da especificidade do trabalho do psicólogo e de sua atuação. A pesquisa aponta a necessidade urgente de divulgar práticas em psicologia que busquem a compreensão e a superação dos problemas identificados no cotidiano escolar, práticas que não se aliem à forma reducionista de conceber a queixa escolar e que possam intervir na instituição antes que ocorra um encaminhamento equivocado, a ser resolvido fora dos muros da escola.
Abstract: The great number of children with school issues referred to public and private clinical psychologists is a fact that requires consideration for two aspects: first, the school stigmatizes the child and his/her family without actually helping them and, secondly, psychological care demands of the professional knowledge and concepts that cover the whole complexity of such issues. Given this context, this study aims to contribute for a better understanding of the school issues following the paths they travel from school to psychological care, and discuss the concepts and practices present, enabling a deeper reflection on aspects such as maintenance of issues as well as overcoming them and their effects on the lives of the individuals. Considering that the complaints come from the school, this study began investigating this universe. We selected two public and two private educational institutions and we interviewed, respectively, the directors and coordinators. A total of five interviews were conducted. We then requested these professionals to indicate one or two psychologists who they tend to refer children with school problems. Thus, two psychologists were interviewed; one indicated by a private school and the other, a health service psychologist mentioned by the public schools. Analysis of the interviews showed that the scenes of school issues are made up by the roles occupied by all those involved in the network of relationships in which the issue is constructed (teachers, family and child psychologist), by what is thought of the child, by the human developmental and educational concepts, by the concrete conditions of educational work and training of educators and psychologists. These aspects were discussed and related to other topics, and grouped in three main areas: 1) the role of schools highlighting the specificity of education, teacher working conditions, the relation between family / school / society; 2) concepts of school issues focusing on blaming the child and the dichotomy between the cognitive and affective dimension of the individual and 3) the training and work of the psychologist who receives the child with the issue discussing the scenes of school issues outside the school walls, specifically in psychology practices, and analyzing the views of the psychologists interviewed regarding school issues, the specificity of the work of the psychologist. This research revealed the urgent need to disclose actions in psychology that seek to understand and overcome the problems identified in school life, practices which are not allies with the reductionist way of conceiving school issues and that the institution can intervene before there is a wrong referral, to be resolved outside the school walls.
Keywords: Queixa escolar
Atendimento psicológico
Psicologia escolar
School issues
Psychological assistance
School psychology
Psicologia aplicada
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Humanas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Psicologia
Citation: ROSA, Anyellem Pereira. Os bastidores da queixa escolar: da sala de aula ao consultório psicológico. 2011. 175 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2011.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17148
Issue Date: 19-Aug-2011
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
d.pdf432.1 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.