Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17133
Document type: Dissertação
Access type: Acesso Aberto
Title: Construção narrativa e campo de ficção : uma forma de pensar a clínica psicanalítica
Author: Leite, Marcela Maria Borges
First Advisor: Romera, Maria Lucia Castilho
First coorientator: Barone, Leda Maria Codeço
Summary: Esta investigação surgiu da necessidade de encontrar subsídios teóricos e conceituais para determinadas experiências clínicas vividas com alguns pacientes que foram denominadas de construções narrativas. A partir de três experiências clinicas, a pesquisa se constituiu, gerando a hipótese de que o setting no atendimento de pacientes graves configura-se por meio da abertura de um campo de ficção e a interpretação pode se dar através da construção narrativa. Estas experiências clínicas foram sendo tecidas e re-tecidas no decorrer do desenvolvimento da pesquisa, de forma que ao final se configuraram tanto como causa quanto como produto da investigação, assim a construção da dissertação se deu no après-coup. Inicialmente, foi retomado o caso Schreber de Freud que apesar de não ser um tratamento, configura-se como uma análise de uma obra ficcional/paciente grave por meio de uma construção narrativa; o texto freudiano. Com a exploração deste caso freudiano, procurou-se apreender o método psicanalítico em ação, tal como compreendido pela Teoria dos Campos resultando na aproximação entre construções narrativas e delírio. A investigação do caso Schreber desdobrou-se em outra onde foi considerado o lugar e a economia psíquica com que Freud tratou as criações imaginárias no transcorrer de produção de seu conhecimento. Frente a esse levantamento, foi considerada a relação de duplo e alteridade existente entre Psicanálise e Literatura e o caráter ficcional do método Psicanalítico. Aproximações cabíveis entre a Literatura e a Psicanálise foram consideradas em vários aspectos: na forma de construção dos seus saberes sobre o ser humano, no uso comum do poder da palavra, da narração e da imaginação e finalmente o compartilhamento de um mesmo momento histórico. Nesse sentido, as teorias de Walter Benjamin tornaramse ferramentas-ideias indispensáveis para que fossem articulados: modernidade, romantismo, crise da narrativa, surgimento da psicanálise, rememoração ou salvação do passado, dimensão social do sujeito, arte de narrar e construção de histórias ou fabulação. Ao final dessas considerações adentrando na função da crença, tal como definida por Fabio Herrmann, chegamos ao objeto imaginário. Diante disso, consideramos mais particularmente o conceito de fantasia para Freud, Lacan, Herrmann e também retomamos o conceito de espaço potencial de Winnicott com o intuito de mergulharmos nos alicerces da construção narrativa. A partir da reedição daquelas experiências clinicas, foram possíveis as seguintes articulações: o setting - enquanto aquilo que circunscreve a transferência protegendo-a da interferência da realidade rotineira - nasce junto com o atendimento por meio da identificação analista-paciente e exige ser constantemente reconstruído por motivos advindos do próprio desenvolvimento do tratamento. No caso de pacientes graves, a construção do setting demanda sobrevivência psíquica do analista frente à necessária identificação com uma espécie de fragmentação e/ou enrijecimento psíquico. Essa sobrevivência que gera condição de espera e possibilita a construção do setting, pela destinação que tive na clínica constituída nesta investigação, foi possível por meio da incursão no universo literário/ficcional.
Abstract: This investigation arose from the need to find conceptual and theoretical support for certain clinical trials experienced with some patients were called narratives. From three clinical experiences, the research developed the hypothesis that the setting in the care of critically ill patients is configured by opening a field of fiction and interpretation may be through narrative construction. These clinical trials were being re-woven and woven throughout the development of research, so that the end is configured both as cause and product of research, and the construction of the dissertation took place in the après-coup. Initially, it was taken over the "Schreber case" of Freud that although not a treatment, appears as an analysis of a fictional work / patient critically ill through a narrative construction, the Freudian text. With the exploration of this "case" Freud, attempted to seize the psychoanalytic method in action, as understood by the theory of fields resulting in approach between narratives and delirium. The investigation of the "Schreber case" unfolded in another, where it was considered the place and the psychic economy with which Freud treated the imaginary creations in the course of production of knowledge. Before this survey, was considered the relationship with the double and the otherness existing between Psychoanalysis and Literature and the fictional character of the psychoanalytic method. Reasonable approximations between literature and psychoanalysis have been considered in several aspects: in the construction of their knowledge about human beings, in common usage the power of speech, narration and imagination and finally the sharing of a single historical moment. In that sense, Walter Benjamin's theories have become indispensable tools-ideas that were articulated: modernity, romanticism, the crisis of the narrative, the emergence of psychoanalysis, remembering the past or salvation, the social dimension of the subject, the art of narrating and telling stories or building fables. At the end of these considerations entering in the function of belief, as defined by Fabio Herrmann, come to the imaginary object. Therefore, we consider more particularly the concept of fantasy to Freud, Lacan, Herrmann and also take up the concept of Winnicott's potential space in order to delve into the foundations of narrative construction. From the reprint of these clinical trials, could articulate the following: the setting - as it restricts the transfer to protect it from interference from everyday reality - comes with the treatment by identification of the analyst-patient and asks to be constantly rebuilt by reasons arising out of your own course of treatment. In the case of critically ill patients, the construction of setting demand psychic survival of the analyst ahead the necessary identification with a kind of fragmentation and/or mental rigidity. This psychic survival generates condition to wait and allows the construction of the setting, it was possible through the foray into the literary universe / fictional.
Keywords: Construção narrativa
Setting
Campo de ficção
Literatura
Narrative construction
Setting
The field of fiction
Literature
Psicologia aplicada
Psicanálise
Area (s) of CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Language: por
Country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
Institution Acronym: UFU
Department: Ciências Humanas
Program: Programa de Pós-graduação em Psicologia
Quote: LEITE, Marcela Maria Borges. Construção narrativa e campo de ficção : uma forma de pensar a clínica psicanalítica. 2011. 147 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2011.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17133
Date of defense: 16-Sep-2011
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
d.pdf1.32 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.