Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17003
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Lesões cervicais não cariosas: prevalência, severidade e correlação com fatores etiológicos
metadata.dc.creator: Silva, Fernanda Martins Leão e
metadata.dc.contributor.advisor1: Fernandes Neto, Alfredo Júlio
metadata.dc.contributor.referee1: Silva, Marlete Ribeiro da
metadata.dc.contributor.referee2: Rode, Sigmar de Mello
metadata.dc.description.resumo: Este estudo teve por objetivo identificar a presença e a severidade de lesões cervicais não cariosas (LCNCs) e correlacioná-las à ocorrência de contatos dentários prematuros e aos fatores de risco envolvidos em seu desenvolvimento. Foram avaliados 66 pacientes da Universidade Federal de Ubrelândia, de ambos os gêneros, com idade de 15 a 70 anos, envolvendo 1.863 dentes, os quais foram avaliados por dois examinadores, de acordo com critérios para identificação de LCNCs, facetas de desgaste e prematuridades oclusais. Os indivíduos responderam ao questionário com perguntas referentes à idade, gênero, problemas gastrointestinais, uso de medicação, hipersensibilidade dentinária, dieta e hábitos parafuncionais. A avaliação das facetas de desgaste realizou-se por meio de inspeção visual clínica das faces oclusais e incisais dos dentes. Na identificação de lesões cervicais, as faces vestibulares e linguais ou palatinas dos dentes foram examinadas com sonda periodontal posicionada paralelamente ao longo eixo do dente. Os dentes com LCNC foram avaliados quanto à severidade, utilizando-se o Índice de Desgaste Dental (IDD) e, posteriormente, foram examinados com relação à oclusão em relação cêntrica (RC), máxima intercuspidação habitual (MIH) e nos movimentos excursivos. Dois terços dos indivíduos apresentaram o total de 273 lesões cervicais. Quanto à distribuição de lesões por grupo de dentes, apresentaram maior freqüência os pré-molares, seguidos pelos molares e menor freqüência os incisivos e caninos. A mesma tendência foi observada para as facetas de desgaste. Houve correlação positiva entre a presença de LCNCs e os contatos oclusais parafuncionais. Para os dados obtidos com o questionário, o teste Qui-Quadrado (α=0,05) demonstrou diferença entre os indivíduos com e sem lesão para idade, hábito parafuncional e sensibilidade dentinária. O IDD mais freqüente foi o que apresentava lesões menores que 1 mm. Ao analisar os fatores de risco envolvidos nas lesões cervicais não cariosas, sugere-se as prematuridades oclusais e os hábitos parafuncionais como os agentes etiológicos com maior potencial para desenvolvê-las.
Abstract: This study had the aim to identify the presence and the severity of noncarious cervical lesions (NCLs) and correlate them to the occurrence of premature dental contacts and to the risk factors involved in this development. There had been evaluated 66 patients of both genders, with age between 15 and 70 years, involving 1,863 teeth, which had been examined in accordance with criteria for identification of NCLs, wear facets and occlusals prematurities. The individuals had answered to the questionnaire related to the age, gender, gastrointestinal problems, medication use, dentin hypersensitiveness, diet and parafunctional habits. The evaluation of wear facets was achieved by means of visual inspection of the occlusal and incisal faces of teeth. In the identification of cervical lesions, the vestibular and lingual or palatine faces of teeth had been examined with periodontal probing located parallel to the long axis of the tooth. The teeth with NCLs had been evaluated as regards the severity, using the tooth wear index (TWI), and later examined with relation to the occlusion in centric relation (CR), maximal habitual intercuspation (MHI) and in the excursion movements. Two thirds of the individuals had presented the total of 273 cervical lesions. As regards to the distribution of lesions for group of teeth, the premolars had presented greater frequency, followed for molars and the incisors and canines with lesser frequency. The same trend was observed for wear facets. It had positive correlation between the presence of NCLs and the occlusals prematurities. For the data gotten with questionnaire, the Chi-Square test (α=.05) demonstrated difference between the individuals with and without lesion for age, parafunctional habit and dentin hypersensitiveness. The most frequent TWI was which lesions had less than 1 mm. When analyzing the risk factors involved in noncarious cervical lesions, suggest the parafunctionals habits and occlusals prematurities as the etiology agents with greater potential to develop them.
Keywords: Lesões cervicais não cariosas
Abfração
Força oclusal
Dentes - Ferimentos e lesões
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ODONTOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências da Saúde
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Odontologia
Citation: SILVA, Fernanda Martins Leão e. Lesões cervicais não cariosas: prevalência, severidade e correlação com fatores etiológicos. 2006. 91 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2006.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17003
Issue Date: 14-Mar-2006
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Odontologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
FMLSilvaDISSPRT.pdf634.14 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.