Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/16993
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Estudo in vitro do efeito do clareamento dental na resistência ao microdesgaste abrasivo do esmalte dentário bovino
metadata.dc.creator: Freire, Tatiane Moreira
metadata.dc.contributor.advisor1: Pfeifer, Jesuânia Maria Guardiero Azevedo
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Goncalves, Rafael Ariza
metadata.dc.contributor.referee1: Gonçalves, Luiz Carlos
metadata.dc.contributor.referee2: Souza, João Batista de
metadata.dc.contributor.referee3: Costa, Marcio Magno
metadata.dc.description.resumo: O estudo teve por objetivo avaliar o microdesgaste abrasivo do esmalte dentário bovino submetido ao clareamento dental. Métodos: As amostras foram submetidas ao clareamento dental, e as suas resistências ao microdesgaste avaliadas pelo ensaio de microabrasão (Calowear Tester). Foram utilizados noventa incisivos bovinos nos quais foram aplicados os produtos clareadores, em forma de gel, sobre o esmalte, na técnica de clareamento de consultório. Os produtos clareadores utilizados foram: dois de origem nacional - Lase Peroxide Sensy (LPS 35) e Lase Peroxide Sensy II (LPS 25); e dois de origem estrangeira - Opalescence Xtra Boost (OXB 38) e Opalescence Quick (OQ 35) e os seguintes protocolos foram seguidos para todos os produtos clareadores: 1- não aplicação (Controle); 2- aplicação seguindo as orientações do fabricante (Aplicação Normal- N); 3- aplicação por tempo maior (Aplicação Exagerada- E). A aplicação do gel clareador aumentando o número de aplicações dos produtos, consequentemente aumentando o tempo de contato dos produtos sobre as amostras. A aplicação exagerada teve por objetivo a avaliação secundária do efeito do clareamento, na resistência ao microdesgaste abrasivo. O coeficiente de desgaste (Ks) é inversamente proporcional a resistência ao microdesgaste. Resultados: A Análise de Variância demonstrou que os Coeficientes de Desgaste (Ks) dos grupos apresentaram distribuição normal, o que possibilitou a aplicação do Teste de Tukey, que classificou os grupos com desempenho semelhante quanto ao microdesgaste. A diferença entre os grupos foi significativa* (p = 0,021). O menor Ks apresentado pelos grupos foi para o grupo Controle (1,21E-11). Os grupos OQ 35 E, LPS 25 E, LPS 35 E, LPS 35 N, LPS 25 N, OXB 38 E, são equivalentes entre si, e quando comparados ao Controle. Os grupos OXB 38 N e OQ 35 N, não apresentaram diferenças significativas entre si, porém não são equivalentes ao Controle. * (p < 0,05). Conclusão: diante dos resultados, o clareamento dental na técnica de consultório quando realizado de acordo com as normas do fabricante, não traz prejuízos ao esmalte dentário bovino em termos de resistência ao microdesgaste abrasivo.
Abstract: The study aimed to evaluate the abrasive microdesgaste bovine enamel submitted to bleaching. Methods: Samples were submitted to dental bleaching, and their resistance to microdesgaste evaluated by testing microabrasion (Calowear Tester). Bovine incisors in which ninety applied bleaching products in gel form, in enamel, in office bleaching techniques were used. Bleaching products used were: two of domestic origin - Lase Peroxide Sensy (LPS 35) and Lase Peroxide Sensy II (LPS 25); and two foreign origin - Opalescence Xtra Boost (OXB 38) and Opalescence Quick (Q 35) and the following protocols were followed for all bleaching products: 1 - no application (control); 2 - application following the manufacturer\'s guidelines (Application Normal- N); 3 - Applying for a longer time (Exaggerated Application-E). The application of the whitening gel by increasing the number of applications of the products, thus increasing the contact time of the product on the samples. Excessive application aimed to evaluate the effect of secondary bleaching, resistance to abrasive microdesgaste. The wear coefficient (Ks) is inversely proportional to the resistance microdesgaste. Results: Analysis of variance showed that the wear coefficients (Ks) groups showed normal distribution, which allowed the application of the Tukey test, which ranked groups with similar performance as the microdesgaste. The difference between groups was significant * (p = 0.021). The lowest Ks presented by the groups was for the control group (1.21 E-11). The Q 35 E, 25 E LPS, LPS 35 E, 35 N LPS, LPS 25 N, 38 E OXB, groups are equivalent to each other, and when compared to control. Groups OXB 38 N and 35 N OQ, showed no significant differences, but are not equivalent to the control. * (P <0.05). Conclusion: From these results, the technique of tooth whitening in office when performed according to the manufacturer\'s instructions, does not harm the bovine enamel in terms of resistance to abrasive microdesgaste.
Keywords: Clareamento dental
Resistência
Microdesgaste abrasivo
Esmalte dentário bovino
Tooth whitening
Resistance
Abrasive microdesgaste
Bovine enamel
Esmalte dentário - Bovino
Dentes - Clareamento
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ODONTOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências da Saúde
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Odontologia
Citation: FREIRE, Tatiane Moreira. Estudo in vitro do efeito do clareamento dental na resistência ao microdesgaste abrasivo do esmalte dentário bovino. 2007. 99 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2007.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/16993
Issue Date: 30-Aug-2007
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Odontologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
EstudoInvitroEfeito.pdf5 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.